Por que Klopp, técnico do Liverpool, não usa mais óculos?

Quando uma pessoa muda o visual, costuma gerar impacto, chamar a atenção das outras.

Se alguém se mantém durante muito tempo do mesmo jeito e decide ficar diferente, esse impacto é ainda maior.

É o que aconteceu com o treinador do Liverpool, Jürgen Klopp, um dos mais respeitados da atualidade, eleito o técnico do ano pela Fifa em 2019, quando ganhou a Liga dos Campeões da Europa.

Uma das marcas dele é a barba. Outra, o boné, sempre em sua cabeça nas partidas. Uma outra, os óculos.

Pois essa última não é mais. Era. Foi.

Para a atual temporada, o alemão apareceu sem óculos, causando estranhamento em quem estava habituado a vê-lo sempre com o acessório.

E até a ele mesmo, conforme declarou em entrevistas ao tabloide Bild, de seu país, e à TV britânica Sky Sports.

“Acho que meu rosto fica estranho sem óculos. Uso óculos há 44 anos, desde os 10.”

Sem eles, Klopp percebeu, a contragosto, que suas olheiras estão acentuadas. “Quando você tira os óculos, não vê o seu rosto, e aí está tudo bem. Agora eu vejo e digo ‘meu Deus!’”

Jürgen Klopp à época que comandava o Borussia Dortmund, ao seu estilo: barba, boné e óculos (Ina Fassbender – 30.mar.2015/Reuters)

O descarte do dispositivo óptico, seu companheiro por décadas, foi necessário, diz ele.

“Nos últimos anos os óculos não conseguiam mais corrigir minha visão. A solução foi uma pequena intervenção. Não foi a laser, mas me fez enxergar bem.”

Klopp submeteu-se à implantação de lentes intraoculares, procedimento que visa corrigir distúrbios visuais como miopia, hipermetropia e astigmatismo por meio de cirurgia que dura aproximadamente meia hora.

“Não preciso mais de óculos”, declarou o treinador, “mas posso voltar a precisar. Quando isso acontecer, usarei novamente.”

A possível necessidade, explica, deve-se a uma dificuldade de enxergar nas partidas noturnas, devido ao efeito da luz emitida pelos refletores, necessários para iluminar o campo.

“É muito provável que eu tenha que usar [óculos] em jogos. Mas para as coisas normais não preciso mais deles, então eu não os usarei.”

Essa história protagonizada por Klopp me fez lembrar de trecho de música famosa dos Paralamas do Sucesso, “Óculos”, sucesso nos anos 1980.

“Por que você não olha pra mim? Me diz o que é que eu tenho de mal. Por que você não olha pra mim? Por trás dessa lente tem um cara legal”, cantava o míope e quatro-olhos Herbert Vianna, em uma época em que cirurgias oculares eram consideradas arriscadas.

Com óculos, Klopp sempre foi um cara legal, e bem-humorado, e positivo, e sorridente.

Tomara que, sem eles, continue sendo.

Em tempo 1: Os supersticiosos dirão que Klopp sem óculos traz sorte ao Liverpool. Não há informação sobre a data em que Klopp implantou as lentes, apenas que ocorreu na intertemporada, ou seja, julho. Depois disso, iniciada a temporada, os Reds disputaram 20 partidas, ganhando 14, empatando cinco e perdendo só uma –um amistoso contra o Hertha Berlin.

Em tempo 2: Em contato com o blog após a publicação do texto, o oftalmologista João Marcello Furtado afirmou, sobre a visão de Klopp: “Se os óculos dele não corrigiam mais sua visão e ele fez um implante de lente intraocular, muito provavelmente ele tinha catarata”.