EUA desempatam campeonato regional mais polarizado do século

Em meio à disputa das Olimpíadas de Tóquio, os entusiastas do futebol no México passaram a dividir a atenção entre sua seleção olímpica e sua seleção principal.

Enquanto a equipe que viajou ao Japão para os Jogos Olímpicos avançava na competição –disputará a semifinal contra o Brasil nesta terça (3), às 5h (de Brasília)–, o mesmo acontecia com a que embarcou aos Estados Unidos para participação na Copa Ouro.

Essa competição conta com representantes das Américas do Norte e Central e do Caribe (neste ano o Qatar participou como convidado), e é equivalente, em termos regionais, a Copa América (América do Sul), Eurocopa (Europa), Copa Africana de Nações (África) e Copa da Ásia.

A diferença na Copa Ouro é que há, neste século, o domínio completo de duas seleções. Mesmo tendo sido alto o número de edições disputadas –11 com a deste ano–, houve somente dois campeões: México e EUA.

E eles chegaram à decisão de 2021 rigorosamente empatados: cinco títulos para cada um. Mexicanos venceram em 2003, 2009, 2011, 2015 e 2019; norte-americanos, em 2002, 2005, 2007, 2013 e 2017.

O último país diferente a ganhar o torneio foi o Canadá, no ano 2000, ou seja, ainda no século 20.

Na Copa América, houve oito edições no século 21, com três vitórias do Brasil, duas do Chile, uma da Argentina, uma da Colômbia e uma do Uruguai.

A Eurocopa é disputada de quatro em quatro anos, e os vencedores foram Espanha (duas vezes), Grécia, Itália e Portugal.

Na África, venceram o torneio continental, neste século, Egito (três vezes), Camarões (duas), Argélia, Costa do Marfim, Nigéria, Tunísia e Zâmbia (uma cada um).

E, na Ásia, os campeões foram Japão (duas vezes), Austrália (que apesar de estar localizada na Oceania joga a Copa asiática), Iraque e Qatar.

Sendo assim, na Copa Ouro, a final em Las Vegas, neste domingo (1º) à noite, seria o desempate entre os polarizadores da Copa Ouro.

O zagueiro Miles Robinson cabeceia para vencer o goleiro Talavera, do México, e fazer o gol do jogo aos 12 minutos do 2º tempo da prorrogação (Stephen R. Sylvanie – 1º.ago.2021/USA Today Sports)

E, em um jogo muito disputado, com várias chances desperdiçadas pelos dois lados, e com o estádio tomado por 61.114 torcedores que se aglomeraram em meio à pandemia de coronavírus, os EUA superaram o México por 1 a 0, gol de cabeça de Miles Robinson a três minutos do fim do segundo tempo da prorrogação.

O gol do zagueiro do Atlanta United significou o sexto título dos EUA na Copa Ouro no século 21.

O México, que permanece com cinco nesse recorte, continua sendo, com 11 troféus, o maior ganhador da competição, que é disputada desde 1963 –a deste ano foi a 26ª edição.

Os EUA têm sete títulos; a Costa Rica, três; o Canadá, dois; a Guatemala, o Haiti e Honduras, um cada um.