Técnico deixa aposentadoria para comandar time por um único jogo

Louis van Gaal é visto no mundo futebolístico como um dos mais renomados em sua profissão.

Ou, sendo mais preciso, na profissão que o tornou conhecido, já que ele não a exerce há cinco anos, desde que deixou o cargo de treinador do Manchester United.

Currículo o holandês de 69 anos tem: com o Ajax, uma vez campeão da Champions League (1995), uma da Copa da Uefa (1992) e três vezes campeão holandês (1994/95/96); com o Barcelona, duas vezes campeão espanhol (1998/99); com o Bayern de Munique, uma vez campeão alemão (2010); entre outros títulos –são 20 ao longo da carreira iniciada em 1991.

Além disso, comandou a seleção holandesa duas vezes, e na mais recente terminou em terceiro lugar a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Depois de tanto tempo afastado das atividades como técnico, ninguém mais esperava que Van Gaal voltasse a degustar essa experiência.

Então foi uma surpresa quando o Telstar, da segunda divisão da Holanda, que terminou o campeonato mais recente em um modesto 13º lugar, anunciou que contará com os serviços dele.

Tão surpreendente quanto foi saber que esses serviços serão prestados por uma única partida.

A razão? “Estou aposentado”, afirmou Van Gaal ao programa de TV VTBL, da Holanda, ressaltando não querer encrenca com sua mulher.

“Minha esposa, Truus, largou o emprego por mim há 22 anos e me acompanhou quando fui para o exterior. Eu lhe disse que deixaria de ser treinador quando fizesse 55 anos, porém continuei até os 65.”

Sendo assim, ao receber o convite do Telstar, Van Gaal comprometeu-se, certamente após obter um alvará de Truus, por um breve período. O tempo de conhecer os jogadores, vê-los em ação nos treinos e comandá-los em um jogo.

Não foi anunciado que jogo será esse. O provável é que seja o confronto da equipe na Segundona do Holandês, no dia 6 de agosto, contra o Emmen, no estádio do Telstar.

Van Gaal com Rivaldo em evento em que o brasileiro ganhou prêmio quando defendia o Barcelona e o holandês era seu técnico (Julian Martin – 23.dez.1999/AFP)

Tendo o comprometimento, mesmo que fugaz, de uma celebridade, o clube aproveitará para se divulgar, se fazer um pouco conhecido, e o fará por meio de uma ação promocional.

Por intermédio de seu site, fez o convite a torcedores e simpatizante para que comprem bilhetes de uma loteria, a um custo de € 2,63 (R$ 16), cujo dinheiro será destinado a melhorias na arena do Telstar, que fica na cidade de Velsen –distante 21,3 km da capital, Amsterdã–, e para uma fundação que ajuda crianças com deficiências físicas e outra que orienta jovens na tomada de decisões na vida.

O prêmio principal, dos 163 oferecidos a quem participar do sorteio, será ser o assistente técnico de Van Gaal na partida em questão: ajudá-lo a definir a escalação, a escolher as táticas, a definir os substitutos durante o jogo. Uma experiência e tanto.

Leia também: O destrato de Van Gaal com o brasileiro Rafael

Em tempo: E por que Van Gaal aceitou o convite do Telstar? Possivelmente, por sentimentalismo. Quando jogador (era um meio-campista mediano), atuou uma temporada (1977/78) vestindo a camisa do clube, pelo qual anotou um gol.