Champions teve 7 finais entre times do mesmo país; saiba quem ganhou

Luís Curro

Com os ingleses Chelsea e Manchester City, a Liga dos Campeões da Europa terá pela oitava vez um decisão entre clubes do mesmo país.

A primeira delas aconteceu em 2000, quando o Real Madrid superou o Valencia por 3 a 0. Equipes espanholas duelariam na final do mais badalado interclubes do planeta outras duas vezes, em 2014 e em 2016.

Esta será a terceira ocasião, depois de 2008 e de 2019, em que times da terra da rainha medem forças no jogo decisivo da Champions League.

Houve ainda uma final entre clubes italianos, em 2003, e uma opondo clubes alemães, em 2013.

É válido ressaltar que, apesar de a Champions ser disputada desde a temporada 1955/56, decisões entre conterrâneos só puderam ter chance de ocorrer a partir da edição de 1996/1997.

Antes disso, o formato não permitia, pois um único clube de cada país –o campeão da liga nacional– tinha direito de participar da competição continental.

Você se lembra dessas finais que tiveram times do mesmo país? Onde elas aconteceram? Quem ganhou? Qual o placar? Quem fez os gols?

A seguir, cada uma delas (três das sete foram para os pênaltis).

  • 2000: Real Madrid 3 x 0 Valencia. Local: Stade de France (Saint-Denis). Público: 80 mil. Gols: Morientes, McManaman e Raúl.
  • 2003: Milan 0 x 0 Juventus. Local: Old Trafford (Manchester). Público: 62.315. O Milan venceu nos pênaltis por 3 a 2. Converteram para o Milan Serginho, Nesta e Shevchenko, e para a Juventus, Birindelli e Del Piero. Erraram pelo Milan Seedorf e Kaladze, e pela Juventus, Trezeguet, Zalayeta e Montero.
  • 2008: Manchester United 1 x 1 Chelsea. Local: estádio Luzhniki (Moscou). Público: 67.310. Gols: Cristiano Ronaldo (MU) e Lampard (C). O Man United ganhou nos pênaltis por 6 a 5. Fizeram para os campeões Tevez, Carrick, Hargreaves, Nani, Anderson e Giggs, e para os vices, Ballack, Belletti, Lampard, Ashley Cole e Kalou. Desperdiçaram Cristiano Ronaldo (MU), Terry e Anelka (C).
  • 2013: Bayern de Munique 2 x 1 Borussia Dortmund. Local: Wembley (Londres). Público: 82.298. Gols: Mandzukic e Robben (BM); Gundogan (BD).
  • 2014: Real Madrid 4 x 1 Atlético de Madrid (na prorrogação, depois de 1 a 1 no tempo normal). Local: Estádio da Luz (Lisboa). Público: 60.976. Gols: Sergio Ramos, Bale, Marcelo e Cristiano Ronaldo (RM); Godín (AM).
  • 2016: Real Madrid 1 x 1 Atlético de Madrid. Local: San Siro (Milão). Público: 71.942. Gols: Sergio Ramos (RM) e Carrasco (AM). O Real Madrid venceu nos pênaltis por 5 a 3. Lucas Vásquez, Marcelo, Bale, Sergio Ramos e Cristiano Ronaldo fizeram para o Real, e Griezmann, Gabi e Saúl, para o Atlético. Juanfran não converteu para os vice-campeões.
  • 2019: Liverpool 2 x 0 Tottenham. Local: Wanda Metropolitano (Madri). Público. 63.272. Gols: Salah e Origi.

Nota-se que o Real Madrid foi implacável, com 100% de êxito. Já o Chelsea, finalista neste sábado (29), caiu no embate caseiro ante os Diabos Vermelhos.

O alemão Gundogan, autor do gol do Borussia Dortmund em 2013, defende hoje o Manchester City.

O lateral esquerdo Marcelo, do Real Madrid, foi o principal personagem brasileiro nessas partidas, fazendo um gol na prorrogação, em 2014, e outro na disputa de penalidades máximas, em 2016.

Outros três brasileiros deixaram sua marca nas cobranças de pênaltis: o lateral-esquerdo Serginho (Milan), em 2003, o lateral direito Belletti (Chelsea) e o volante Anderson (Man United), ambos em 2008.