Covid afasta 15 de time colombiano, que joga com 7 e perde de 3

Bejarano; Delgado e Valencia; Pérez, Martínez e Otálvaro; Uribe.

Foi assim, com sete jogadores, numa formação 2-3-1, que o Águilas Doradas entrou em campo pelo Campeonato Colombiano, contra o Boyacá Chicó.

Mas por que atuar com somente sete jogadores, se as regras permitem ir a campo com 11? Certamente não é para provar que o time é tão bom que dá para ganhar com quatro a menos.

A pandemia de Covid afetou de forma arrasadora o time da cidade de Rionegro (a cerca de 225 km da capital, Bogotá), que se viu antes da partida com 15 jogadores infectados pelo coronavírus.

Com outros sete sem condições de jogo devido a lesões, o Águilas solicitou o adiamento do confronto à federação de futebol do país.

O pedido foi negado, já que, no contexto da epidemia, os clubes se comprometeram por escrito a, para levar o campeonato adiante, atuar desde que haja sete atletas disponíveis.

O Águilas tinha, sendo que um dos escalados na linha (Valencia) era goleiro.

Os jogadores entraram em campo no silencioso estádio Alberto Grisales, em Rionegro, com duas faixas. Em uma estava escrito “Primeiro a vida”, e na outra, “Jogo limpo”.

Jogadores do Águilas Doradas seguram faixas antes do jogo com o Boyatá Chicó com as inscrições “Primeiro a vida” e “Jogo limpo” (Reprodução – 11.abr.2021/Instagram do Águilas Doradas)

No duelo em si, no domingo (11), o Águilas não fez feio.

Com quatro a menos, e em uma tarde/noite inspirada do goleiro de 36 anos Bejarano, que fez grande defesas, resistiu até os 13 minutos do segundo tempo, quando enfim foi vazado pelo zagueiro Plazas.

O Chicó, que além dos titulares ainda tinha à disposição, para substituições, sete reservas –no outro banco, o Águilas não tinha ninguém–, tendo utilizado quatro, ampliou com Echeverri e Balanta (de pênalti).

O placar de 3 a 0 poderia ter sido mais elástico, já que a equipe da casa, apesar da luta, estava entregue, porém o árbitro encerrou o jogo aos 34 minutos devido à lesão de Martinez.

Quando uma equipe fica reduzida a seis jogadores, a regra não permite a continuidade da partida.

O goleiro Bejarano, que fez defesas difíceis e evitou uma derrota do Águilas por diferença maior, segura o prêmio de melhor jogador da partida (Reprodução – 11.abr.2021/Instagram do Águilas Doradas)

“Quero parabenizar a todos pelo esforço empreendido”, declarou o camisa 1, Bejarano, eleito o melhor da partida, orgulhoso dele e dos companheiros.

Nas redes sociais, o Águilas enalteceu a atitude de não ter desistido do jogo –perder de W.O. era uma alternativa–, postando: “Perdemos? Não, senhor. Este grupo deu o seu melhor e ganhou respeito”.

O resultado, que esteve longe de ser humilhante, fez o Águilas cair da 16ª para a 17ª posição no Colombiano. Dezenove clubes disputam a competição, liderada pelo Atlético Nacional.

Em tempo: Esse é um exemplo claro de como a pandemia de coronavírus tem conseguido, constantemente, prejudicar o futebol. Os estádios, na maior parte do mundo, prosseguem vazios, sem a presença de torcedores, já faz mais de ano, em um cenário desolador. As tentativas de se retornar ao normal têm sido frustradas por novas ondas da Covid, que não dão sinal convincente de recuo. E assim um 7 contra 11, que jamais deveria ocorrer, acaba virando notícia.

Erramos: o texto foi alterado

A capital da Colômbia não é Cali, mas Bogotá. O texto foi corrigido.