No Kuait, atacante brasileiro tem dia de Pelé ao fazer 8 gols em um jogo

Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, o melhor jogador que o futebol já teve, fez mais de mil gols com a camisa do Santos. Ao todo, foram 1.283, segundo o próprio.

Tendo uma carreira inigualável, o hoje octogenário Pelé é comumente lembrado em comparações de feitos no futebol. É um exemplo de excelência.

Muitas vezes se pergunta: Messi tem quantos gols? Tem “x”. E Cristiano Ronaldo, tem quantos gols? Tem “y”. OK, mas isso é mais ou menos que Pelé? A referência é sempre o rei do futebol.

Pois o paulistano Patrick Fabiano entrou no rol dos aptos a serem comparados, mesmo que brevemente, com Pelé.

O atacante de 33 anos mereceu citação da IFFHS (Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol), entidade alemã fundada em 1984, por ter marcado oito gols em um mesmo jogo da divisão de elite de um país.

Esses oito gols aconteceram no estádio Ali Al-Salem Al-Sabah, na cidade de Al Farwaniyah, no Kuait.

Pelo Campeonato Kuaitiano, no dia 26 de dezembro, o clube que ele defende, o Al Salmiyah, derrotou o Al Tadhamon por 9 a 1, e Patrick Fabiano marcou três gols no primeiro tempo (os três primeiros do time) e cinco no segundo (os cinco últimos).

Patrick Fabiano comemora gol pelo Al Salmiyah (Reprodução/Instagram de Patrick Fabiano)

Entre os futebolistas nascidos no Brasil, de acordo com a IFFHS, Pelé registrou oito gols em uma partida. Foi pelo Santos, um 11 a 0 no Botafogo de Ribeirão Preto, no dia 21 de novembro de 1964, pelo Campeonato Paulista.

O Rei fez cinco gols no primeiro tempo e os outros três na etapa complementar, estes em um intervalo de somente quatro minutos: um aos 25, um aos 27 e um aos 28.

Por decisão da IFFHS, o Paulista foi igualado aos campeonatos nacionais de elite, tendo status de Brasileiro para esse ranking.

Desse modo, Patrick Fabiano, que jogou pelo alagoano CSA em 2019 –inclusive com atuações na Série A do Campeonato Brasileiro–, pode dizer a parentes, amigos e a quem mais desejar que teve um dia de Pelé (é para poucos), e que isso está registrado em um órgão internacional que goza de prestígio.

Até se pode minimizar a proeza dele, afirmando-se “ah, mas foi no Kuait, no Oriente Médio, na periferia do futebol”. Sim, mas, como Patrick Fabiano, todos por lá têm chance de fazer oito gols em uma partida, e apenas ele conseguiu. Não é moleza.

De acordo com a IFFHS, o recordista de gols em um jogo é o argelino Hacène Lalmas, morto em 2018, que anotou 14 na vitória de 18 a 0 do Ruisseau sobre o Birtouta em 22 de outubro de 1962.

Com 12 gols figura Ali Ashfaq, das Maldivas, no triunfo de 20 a 0 do VB Sports Club diante do Kalhaidhoo, em 2 de julho de 2009.

A federação de estatística, entretanto, e por seguir determinada regra, deixa de mencionar em sua lista pelo menos dois brasileiros que fizeram mais gols que Pelé e que Patrick Fabiano em uma partida oficial.

Dario, o Dadá Maravilha (em foto de 1983), é o recordista de gols em uma partida oficial de futebol no Brasil, segundo a CBF (Fernando Santos/Folhapress)

A Confederação Brasileira de Futebol publicou que no dia 7 de abril de 1976, pelo Campeonato Pernambucano, o centroavante Dario, o Dadá Maravilha, marcou dez gols pelo Sport contra o Santo Amaro. O jogo terminou 14 a 0.

A CBF relatou também que o ponta-esquerda Dalmar fez nove gols pelo Cruzeiro, em 20 de novembro de 1966, em um 16 a 0 contra o Renascença, no Campeonato Mineiro.

Assim, se Patrick Fabiano igualou Pelé, Dadá (vivíssimo, 74 anos hoje) e Dalmar (morto em 2011, aos 69) superaram, ao menos em um quesito, o melhor da história.