Em seu título na Libertadores, Palmeiras bateu River por 3 a 0 na semifinal

O resultado foi memorável e histórico.

Com a vitória por 3 a 0 no primeiro duelo das semifinais, inesperada até pelo mais otimista de seus fãs, o Palmeiras impôs ao River Plate o seu segundo pior placar como mandante nas 35 participações do clube argentino na Libertadores.

Só em 1973 o River amargou resultado mais vexaminoso atuando em casa, um 4 a 0 para o também argentino San Lorenzo, na fase de grupos.

Nove anos depois, no triangular semifinal, o Flamengo de Zico e companhia superou o River por 3 a 0, mesmo placar alcançado pelo Palmeiras na noite desta terça (5) em Avellaneda.

O triunfo dos comandados pelo português Abel Ferreira, até aqui de trabalho promissor, certamente é um ótimo presságio para os torcedores palestrinos supersticiosos.

Além de ter estabelecido uma diferença de gols que muito dificilmente o time argentino conseguirá reverter na próxima semana, o Palmeiras já vivenciou uma ocasião em que, também em uma semifinal, superou o River, também por 3 a 0.

Foi em 1999. Em seu estádio, a equipe dirigida por Luiz Felipe Scolari (Felipão), com gols de Alex (2) e Roque Júnior, classificou-se para a final, desfazendo a vantagem de 1 a 0 que o River obtivera no jogo de ida.

A escalação do Palmeiras naquela noite de maio foi: Marcos; Arce, Roque Júnior, Agnaldo e Rubens Júnior (Tiago Silva); César Sampaio, Rogério (Galeano) e Zinho; Alex; Paulo Nunes e Oséas (Euller).

Euller, o ‘filho do vento’, dá trabalho à defesa rival em Palmeiras 3 x 0 River Plate no jogo de volta da Libertadores-99, no estádio Palestra Itália (Joel Silva – 26.mai.1999/Folhapress)

Ao eliminar o River, o time alviverde teve, entre ele e a taça, o colombiano Deportivo Cali, que se mostrou uma parada dura mas acabou derrotado na disputa de pênaltis.

Esse foi o primeiro e, até agora, único título palmeirense na mais importante e tradicional competição das Américas.

A coincidência claramente existe, essa do 3 a 0 no River na semifinal.

Dizem que um raio não cai no mesmo lugar. O Palmeiras, porém, jogando muito bem, caminha a passos firmes para desdizer esse velho ditado.

Atuando desse modo, consistente e determinado, não dará chance de reação ao River e chegará com favoritismo à decisão, seja o Santos, seja o Boca Juniors o adversário.

A Libertadores 2020, a ser encerrada neste 2021, está com toda a pinta de ser pintada de verde.

*

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar o acesso gratuito de qualquer link para até cinco pessoas por dia. Basta clicar no F azul no topo, abaixo do título.