Brasil emplaca 10 jogadores no FC 100; Vinicius Jr. é novidade

A cada fim de ano, desde 2016, o site em inglês da ESPN publica um ranking interessante, denominado FC 100, que traz os 90 melhores jogadores e os dez melhores treinadores do momento.

Os jogadores são divididos em nove categorias, figurando dez deles em cada uma: goleiro, lateral-direito, zagueiro, lateral-esquerdo, meia defensivo, meia ofensivo, ala ofensivo (ponta), atacante e centroavante.

Na escolha dos especialistas do site, o Brasil emplacou dez futebolistas, com uma cara nova (Vinicius Júnior), e está representado em todas as posições, exceto em duas: não há um lateral-direito nem um meia ofensivo.

Na seleção brasileira, os atuais titulares dessas posições são Danilo, da Juventus, e Philippe Coutinho, do Barcelona.

O Brasil está bem representado no gol, com Alisson, do Liverpool (eleito o segundo melhor), e Ederson, do Manchester City (o sexto), nos meias defensivos (volantes), com Casemiro, do Real Madrid (quarto) e Fabinho, do Liverpool (sétimo), e na lateral esquerda, com Alex Sandro, da Juventus (quarto), e Marcelo, do Real Madrid (nono).

Em relação a Marcelo, que foi titular da seleção brasileira nas duas mais recentes Copas do Mundo, julgo incorreto ele estar entre os dez melhores do ano na posição. Teve um 2020 muito ruim, tanto que mais tem ficado na reserva do que jogado no gigante madrilenho.

Fabinho, que considero um jogador mediano, deve ser elogiado pela regularidade (erra muito pouco, até porque quase não arrisca) e pela versatilidade (joga no meio e, se necessário, na lateral e na zaga).

O solitário zagueiro na lista é Marquinhos, do PSG, na décima colocação. Seu ano foi excelente (vice-campeão europeu com o time parisiense, fazendo gols importantes nos mata-matas), atuando no miolo de zaga ou de volante. O ex-corintiano rende mais em sua posição original.

Entre os ponteiros, Vinicius Jr., do Real Madrid, figura, como Marquinhos, em décimo lugar. Valorizado pela imprevisibilidade, o ex-flamenguista de 20 anos tem lampejos de craque, mas seus altos e baixos, e uma deficiência crônica nas finalizações, o impedem de se firmar no 11 inicial do técnico Zidane.

Neymar esteve muito perto de ganhar a Liga dos Campeões da Europa; o PSG perdeu por 1 a 0 a final, para o Bayern de Munique (Matthew Childs – 24.ago.2020/AFP)

Como atacante, Neymar, em seu melhor ano no PSG (por pouco não faturou a Champions League, o que provavelmente faria dele o vencedor do prêmio The Best, da Fifa), aparece na quarta posição, atrás de Messi, Mbappé (colega de equipe do brasileiro) e Cristiano Ronaldo.

O representante brasuca entre os centroavantes é Roberto Firmino, do Liverpool (em nono), e não há um treinador do Brasil listado no top 10.

Os primeiros colocados em 2020, do goleiro ao centroavante, são: Neuer (Alemanha/Bayern), Alexander-Arnold (Inglaterra/Liverpool), Van Dijk (Holanda/Liverpool), Robertson (Escócia/Liverpool), Kimmich (Alemanha/Bayern), De Bruyne (Bélgica/Manchester City), Mané (Senegal/Liverpool), Messi (Argentina/Barcelona), Lewandowski (Polônia/Bayern). Técnico: Jürgen Klopp (Alemanha/Liverpool).

Concordo com quase todas as escolhas. Só, pelo desempenho neste ano, trocaria Messi por Neymar, De Bruyne pelo português Bruno Fernandes (Manchester United) e Klopp pelo alemão Hans-Dieter Flick, campeão europeu com o Bayern.

A seguir, a relação completa dos brasileiros que figuraram no FC 100 desde que ele existe. O recorde de presença é de 2018, com 13 representantes.

  • 2016: Daniel Alves, Thiago Silva, Marcelo, Filipe Luís, Philippe Coutinho, Willian, Neymar, Douglas Costa, Firmino
  • 2017: Daniel Alves, Fabinho, Thiago Silva, Marcelo, Alex Sandro, Filipe Luís, Casemiro, Philippe Coutinho, Willian, Neymar, Gabriel Jesus
  • 2018: Alisson, Ederson, Daniel Alves, Marcelo, Alex Sandro, Filipe Luís, Casemiro, Philippe Coutinho, Willian, Douglas Costa, Neymar, Firmino, Tite
  • 2019: Alisson, Ederson, Daniel Alves, Marquinhos, Alex Sandro, Fernandinho, Casemiro, Fabinho, David Neres, Éverton Cebolinha, Firmino, Neymar
  • 2020: Alisson, Ederson, Marquinhos, Alex Sandro, Marcelo, Casemiro, Fabinho, Vinicius Jr., Neymar, Firmino

Neymar esteve sempre presente, e apareceram uma única vez Fernandinho, David Neres, Éverton Cebolinha, Gabriel Jesus, Vinicius Jr. e Tite.

Alisson em ação pelo Liverpool contra o Fulham, em Londres, na Premier League (Neil Hall – 13.dez.2020/AFP)

Em tempo 1: Só dois brasileiros ficaram em primeiro lugar no ranking da ESPN, em suas respectivas posições: Marcelo, em 2017 e em 2018, e Alisson, em 2019.

Em tempo 2: A França é o país com mais representantes do FC 100 de 2020: 14 (incluindo um treinador, Zidane). A Alemanha teve 12, e a Inglaterra, assim como o Brasil, dez.

*

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar o acesso gratuito de qualquer link para até cinco pessoas por dia. Basta clicar no F azul no topo, abaixo do título.