Revista elege a melhor escalação desde 1950; 20 brasileiros concorrem

A renomada revista France Football decidiu, na falta da entrega da Bola de Ouro de 2020, consequência da pandemia de coronavírus, fazer uma outra eleição, chamada de Ballon d’Or Dream Team (Bola de Ouro Time dos Sonhos).

Nesse pleito, concorrem jogadores selecionados pela publicação francesa –são 20 os brasileiros– que estiveram em ação dos anos 1950 para a frente, o que exclui Leônidas da Silva e Arthur Friendenreich, expoentes no Brasil antes disso.

Os eleitos serão definidos por 170 jornalistas escolhidos pela France Football, que votarão em seus preferidos em nove disputas separadas: goleiro, lateral direito, zagueiro, lateral esquerdo, meia defensivo (dois), meia ofensivo (dois), ponta-direita, centroavante e ponta-esquerda.

A observação dos candidatos mostra que o Brasil não mereceu ter goleiro na disputa, apesar de ter tido os espetaculares Gylmar e Taffarel (ambos poderiam facilmente desbancar o holandês Van der Sar e o dinamarquês Peter Schmeichel), nem zagueiro –nada de Bellini ou Mauro Ramos.

Se faltam atletas no gol e na zaga, o Brasil pode ser rotulado nessa eleição como “o país dos laterais”. Há fartura de brasucas, a saber: Carlos Alberto Torres, Cafu e Djalma Santos, na direita; Roberto Carlos, Marcelo, Júnior e Nilton Santos, na esquerda.

Cafu, que pode ocupar a lateral direita na seleção da revista France Football, beija a Taça Fifa na Copa do Mundo de 2002 (Gabriel Bouys – 30.jun.2002/AFP)

Entre os meias defensivos, concorrem Didi, Gerson e Falcão; entre os ofensivos, Pelé, Zico e Sócrates –Kaká, o melhor do mundo em 2007, não entrou no rol dos candidatos (nem o croata Modric, o melhor em 2018).

Nas pontas, os brasileiros são Garrincha e Jairzinho (direita) e, grotescamente, Ronaldinho Gaúcho, Rivellino e Rivaldo (esquerda) –os três atuaram majoritariamente durante suas carreiras na meia esquerda.

No miolo do ataque, podem receber votos Ronaldo Fenômeno e Romário.

E quais brasileiros devem aparecer no Dream Team?

Pelé é certo. Se ele não entrar, a eleição perde toda sua credibilidade e virará piada.

Carlos Alberto Torres a meu ver vai faturar a lateral direita, superando Cafu, Djalma Santos e o alemão Lahn. Roberto Carlos, a lateral esquerda, à frente de Nilton Santos, Brehme (Alemanha) e Cabrini (Itália).

E só.

A ausência mais sentida será a de Garrincha, pois concorre com Messi, que, apesar de não ter ganhado Copa do Mundo –o craque brasileiro das pernas tortas, que morreu em 1983 aos 49 anos, tem duas–, não ficará fora.

Caso eu votasse, Didi e Gerson teriam meu voto, pois são na minha opinião superiores aos demais. Palpito que perderão para um espanhol (Luis Suárez, astro nos anos 1950 e 1960, ou mais provavelmente Xavi) e um italiano (Pirlo) ou um alemão (Matthäus).

Nessa posição, meia defensivo, aliás, é esdrúxulo figurarem os espanhóis Guardiola e Busquets e o argentino Redondo. Impensável um deles no Dream Team, já que bons (Busquets, ainda na ativa, é um jogador burocrático, há dezenas iguais a ele) porém muito longe de geniais.

O holandês Johan Cruyff, em ação contra a Argentina na Copa de 1974, disputa com Ronaldo e Romário, entre outros, o posto de centroavante na eleição (26.jun.1974/AFP)

Cristiano Ronaldo é o favorito para ficar com a vaga na ponta-esquerda, e de centroavante penso que Cruyff, por toda a mística em torno dele, será o eleito. Para mim, Ronaldo ou Romário merecem (um ou outro, tanto faz, é muito difícil decidir quem foi mais fantástico), até porque o holandês não era bem um centroavante.

Se fosse eu a votar, e os candidatos fossem os apresentados pela revista, nessa formação (esquisita) com somente um zagueiro minha escalação seria: Yashin (URSS); Carlos Alberto, Beckenbauer (Alemanha) e Nilton Santos; Didi, Gerson, Pelé e Maradona (Argentina); Garrincha, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho.

Isso mesmo. Com oito brasileiros, sendo Ronaldinho um falso ponteiro, e sem Messi ou Cristiano Ronaldo.

O resultado da Bola de Ouro Time dos Sonhos deve sair ainda neste ano, mas a France Football não divulgou em que dia.

Leia também: O melhor Brasil de todos os tempos

Em tempo: Quem concorre em cada posição? Goleiros: Yashin (URSS), Banks (Inglaterra), Zoff (Itália), Buffon (Itália), Sepp Maier (Alemanha), Neuer (Alemanha), N’Kono (Camarões), Schmeichel (Dinamarca), Van der Sar (Holanda) e Casillas (Espanha); Laterais direitos: Djalma Santos, Carlos Alberto, Cafu, Suurbier (Holanda), Vogts (Alemanha), Kaltz (Alemanha), Gentile (Itália), Bergomi (Itália), Thuram (França) e Lahm (Alemanha); Zagueiros: Bobby Moore (Inglaterra), Beckenbauer (Alemanha), Sammer (Alemanha), Scirea (Itália), Baresi (Itália), Cannavaro (Itália), Passarella (Argentina), Ronald Koeman (Holanda), Desailly (França) e Sergio Ramos (Espanha); Laterais-esquerdos: Nilton Santos, Júnior, Roberto Carlos, Marcelo, Facchetti (Itália), Cabrini (Itália), Maldini (Itália), Breitner (Alemanha), Brehme (Alemanha) e Krol (Holanda); Meias defensivos: Didi, Gerson, Falcão, Bozsik (Hungria), Matthäus (Alemanha), Schuster (Alemanha), Rijkaard (Holanda), Seedorf (Holanda), Neeskens (Holanda), Masopust (Tchecoslováquia), Redondo (Argentina), Luis Suárez (Espanha), Guardiola (Espanha), Xavi (Espanha), Xabi Alonso (Espanha), Busquets (Espanha), Pirlo (Itália), Tardelli (Itália), Gerrard (Inglaterra) e Tigana (França); Meias ofensivos: Pelé, Sócrates, Zico, Puskás (Hungria), Kubala (Hungria), Schiaffino (Uruguai), Francescoli (Uruguai), Maradona (Argentina), Di Stéfano (Argentina/Espanha), Iniesta (Espanha), Gullit (Holanda), Kopa (França), Platini (França), Zidane (França), Bobby Charlton (Inglaterra), Hagi (Romênia), Baggio (Itália), Rivera (Itália) e Mazzola (Itália); Pontas-direitas: Garrincha, Jairzinho, Beckham (Inglaterra), Keegan (Inglaterra), Stanley Matthews (Inglaterra), Best (Irlanda do Norte), Eto’o (Camarões), Figo (Portugal), Messi (Argentina) e Robben (Holanda); Centroavantes: Romário, Ronaldo, Bergkamp (Holanda), Cruyff (Holanda), Van Basten (Holanda), Gerd Müller (Alemanha), Dalglish (Escócia), Eusébio (Portugal), Kocsis (Hungria) e Weah (Libéria); Pontas-esquerdas: Rivellino, Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo, Blokhin (URSS), Cristiano Ronaldo (Portugal), Dzajic (Iugoslávia), Giggs (País de Gales), Rummenige (Alemanha), Henry (França) e Stoichkov (Bulgária).