Três teens titulares, de times azarões, para prestar atenção na Champions

Começa nesta terça (20), com oito partidas, a fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa, edição 2020/2021.

Dezenas de jogadores desfilarão pelos gramados do velho continente, e o interesse do fã de futebol estará especialmente nos grandes clubes (Liverpool, os dois Manchester, PSG, Bayern, Juventus, Real Madrid, Barcelona…) e nos atletas mais famosos (Cristiano Ronaldo, Messi, Neymar, Salah, Lewandowski…).

Recomendo, no entanto, a observação de três futebolistas muito jovens, todos sub-20, todos de times azarões, todos  já integrantes das seleções de seus respectivos países, todos titulares absolutos em seus clubes e todos, aposto, num futuro próximo atuando em grandes centros do futebol.

E nenhum deles é atacante. Um é zagueiro e dois atuam no meio de campo.

O primeiro defende o Dinamo de Kiev, que estará em campo na primeira rodada diante da poderosa Juventus de Turim.

Na zaga central, o time ucraniano terá um beque de 1,86 m, 81 kg e 18 anos recém-completados de nome Illia Zabarnyi, natural da cidade que abriga o clube cuja camisa 25 ele utiliza.

Presença constante nas seleções de base da Ucrânia, Zabarnyi estreou pela equipe adulta no dia 7 deste mês, amistoso contra a França, e teve seu dia de 7 a 1 –literalmente, pois esse foi o placar da derrota.

Mas ele não comprometeu, na visão do treinador Andriy Shevchenko (para mim o melhor jogador da história do futebol ucraniano), tanto que voltou a ser titular nas duas partidas seguintes, válidas por competição, a Liga das Nações, e diante de duas potências futebolísticas: derrota para a Alemanha, por 2 a 1, e vitória sobre a Espanha (1 a 0).

No jogo desta terça, Zabarnyi poderia ter um imenso teste pela frente, Cristiano Ronaldo, só que o português não jogará por ainda cumprir quarentena depois de ter tido diagnóstico de coronavírus.

Até aqui, o zagueiro tem sido um trunfo para o Dinamo. Desde que estreou no time de cima, não houve derrota: oito jogos, seis vitórias (duas pela fase de classificação da Champions), dois empates.

O zagueiro Zabarnyi, 18, toma à frente de Boadu, do AZ Alkmaar, na vitória por 2 a o do Dinamo de Kiev pela fase classificatória da Champions League (Gleb Garanich – 15.set.2020/Reuters)

No Rennes, da França, o canhoto Eduardo Camavinga, de 17 anos, cabelos com tranças (à la Gullit), já é o dono da camisa 10. Meio-campista moderno, marca e ataca.

Canhoto, 1,82 m, é esquálido (68 kg) e esguio. Pará-lo, quando parte em velocidade pelo meio ou pelas laterais do campo, é um desafio, tanto que sofre faltas com frequência. Lembra, na habilidade, respeitando-se as devidas proporções, Ronaldinho Gaúcho.

Nascido em Angola, tem dupla nacionalidade, e em seu primeiro jogo pela seleção da França precisou de somente nove minutos, no Stade de France, para balançar as redes.

E foi um golaço: de costas para o gol, na pequena área, deu uma puxeta que surpreendeu o goleiro Bushchan e que encobriu, antes de parar nas redes, um outro novato: ele mesmo, Zabarnyi. Camavinga foi quem abriu o caminho para o 7 a 1 na Ucrânia.

O arisco Camavinga, que estará em ação na Champions contra o russo Krasnodar, precisa, contudo, melhorar justamente nesse quesito. Está bem longe de fazer gols com assiduidade. Pelo Rennes, são dois tentos em 50 partidas. É muito pouco.

Gols não parecem ser um problema para Dominik Szoboszlai.

O húngaro de 19 anos (faz 20 daqui a cinco dias), camisa 14 do Salzburg, os faz com profusão para quem joga em sua posição (meia). Na temporada 2019/2020, foram nove em 27 partidas do Campeonato Austríaco.

Não quero ser precipitado, mas esse rapaz tem toda a pinta de que será um cracaço, encaixando-se como uma luva em qualquer grande clube do mundo.

Tem 1,86 m, 74 kg, é destro com ótimo chute mas também sabe finalizar com o pé esquerdo, é rápido, sabe driblar, bate faltas com precisão, é frio nos pênaltis.

Seu país reconhece seu talento não é de agora. Desde 2017 é convocado para a seleção principal húngara. Se Camavinga veste a 10 no clube, Szoboszlai veste a 10 no conjunto nacional.

Na Liga das Nações, no começo do mês passado, ele fez o único gol da partida contra a Turquia –aliás, um golaço, em cobrança de falta de longa distância.

Nesta quarta, o Lokomotiv Moscou tentará impedir que ele brilhe –na fase de classificação desta Liga dos Campeões, fez dois gols, um em cada partida, nas vitórias por 2 a 1 e 3 a 1 contra o Maccabi Tel Aviv, há menos de um mês.

Szoboszlai, 19, avança na partida em Tel Aviv que o Salzburg, com um gol dele de pênalti, derrotou o Maccabi por 2 a 1 (Jack Guez – 22.set.2020/AFP)

Leia também: Saiba onde ver os jogos da fase de grupos da Champions League

Em tempo: Tanto Szoboszlai como Camavinga concorrem neste ano ao prêmio Golden Boy, oferecido desde 2003 pelo jornal italiano Tuttosport ao melhor jogador jovem. Já ganharam, entre outros, Messi, Rooney, Agüero, Götze, Pogba e Mbappé. Estão na disputa em 2020 dois brasileiros do Real Madrid: Vinícius Jr., ex-Flamengo, e Rodrygo, ex-Santos. Mas quem deve ser eleito é um destes dois: o lateral-esquerdo canadense Alphonso Davies, do Bayern, ou o centroavante Erling Haaland, do Borussia Dortmund.