Capitão da Armênia se afasta do futebol para lutar em conflito armado

Capitão da seleção da Armênia, o zagueiro Varazdat Haroyan afastou-se do futebol, pelo menos temporariamente, para juntar-se ao Exército de seu país.

A Armênia está há dez dias em conflito com o vizinho Azerbaijão, no Cáucaso, devido à região de Nagorno-Karabakh. As duas nações são ex-repúblicas soviéticas.

Nagorno-Karabakh fica no Azerbaijão, porém forças separatistas tentam incorporá-la ao país vizinho, que apoia os rebeldes. Os confrontos armados já duram dez dias.

Haroyan, de 28 anos, defendia desde 2017 o Ural, da Rússia, e estava para se transferir para o AEL Larissa, da Grécia.

O plano acabou abortado devido à convocação do atleta pelas Forças Armadas armênias.

“Haroyan foi mobilizado e já está na zona de guerra” foi a mensagem enviada pelo representante do jogador ao clube grego.

Haroyan chuta a bola em Ural 0 x 2 Dinamo de Moscou, em Ekaterimburgo, pelo Campeonato Russo (Reprodução – 10.ago.2020/Site do FC Ural)

Sangrento, o conflito entre Armênia e Azerbaijão já deixou, segundo informações passadas pelas autoridades dos países, mais de 40 civis mortos, além de ao menos duas centenas de militares.

Sem seu capitão, que vestiu, desde 2011, a camisa da seleção em 52 ocasiões, a Armênia disputa três partidas nos próximos dias: diante da Albânia (amistoso) e contra Geórgia e Estônia, pela Liga das Nações.

Uma das mais fracas seleções europeias, a Armênia está em 101º lugar no ranking da Fifa, à frente de 13 nações do continente (incluindo o Azerbaijão, 112º) e atrás de 41 –a Bélgica é a líder da lista.

Seu jogador mais conhecido é Henrikh Mkhitaryan, que defendeu Borussia Dortmund, Manchester United e Arsenal e atualmente está na Roma.