Se sair mesmo do Barcelona, para onde vai Messi?

Pode até acontecer uma reviravolta e Messi ficar no Barcelona, clube ao qual chegou no ano 2000, com 13 anos de idade, transformando-se no melhor futebolista a ter vestido o uniforme azul e grená.

Mas a esta altura, depois de ele ter comunicado por escrito ao clube seu desejo de sair, uma temporada antes do encerramento do contrato, e de o novo treinador, Ronald Koeman, não lhe ter dado apoio incondicional para que ele permaneça, um “fico” é considerado improvável.

Considerando que o Barça não consiga reverter o quadro, e que Messi de fato leve adiante sua vontade de atuar em outra equipe, independentemente de ter de travar uma já antevista batalha jurídica com o clube que sempre amou (devido à discordância sobre ter ou não de pagar multa para sair), quais as opções para o craque argentino?

São neste momento três os clubes listados pela mídia esportiva como destinos prováveis do camisa 10: na Inglaterra, o Manchester City, que é tido como favorito na corrida; na França, o Paris Saint-Germain (PSG); na Itália, a Internazionale de Milão.

Com ajuda do jornal britânico Daily Mail, listo os pontos favoráveis e os desfavoráveis de cada clube, que devem certamente influenciar A Pulga (apelido de Messi) em sua decisão.

Com Messi em campo, Guardiola orienta o Manchester City em partida contra o Barcelona pela Liga dos Campeões da Europa, quase quatro anos atrás (Jason Cairnduff – 1º.nov.2016/Reuters)

Manchester City

Prós: o reencontro com Pep Guardiola, treinador com o qual ele ganhou duas Champions League (2009 e 2011); se encaixar em um estilo de jogo que já conhece; atuar na liga mais rica e competitiva do planeta, e com chances reais de vencer a Liga dos Campeões.

Contras: o idioma inglês, que ele desconhece (se conhece, não demonstra), e o clima frio e chuvoso; a falta de tradição, e de conquistas, do Man City em torneios europeus; a altíssima intensidade em que o Inglês é disputado (Messi está com 33 anos e a cada dia deverá render menos fisicamente).

Quem teria de abdicar da camisa 10: Sergio Agüero, compatriota de Messi e o maior artilheiro da história do Man City, além de ídolo máximo da torcida.

Inter de Milão

Prós: o clima na Itália é similar ao da Espanha, assim como a cultura; incentivos fiscais mais vantajosos em relação aos de outros países; reeditar o duelo com Cristiano Ronaldo (que está na Juventus).

Contras: o time tem um estilo de jogo muito diferente do Barcelona; há instabilidade no comando técnico (Antonio Conte tem divergências com a diretoria); a equipe não tem sido páreo nos últimos anos para a Juventus.

Quem teria de abdicar da camisa 10: Lautaro Martínez, um dos atacantes argentinos em ascensão, que inclusive interessa ao Barcelona.

PSG

Prós: reencontrar o amigo Neymar, com quem atuou de 2013 a 2017 no Barcelona; formar um ataque arrasador, com Neymar, Mbappé e Di María; ter a “certeza” de êxito no campeonato nacional (o time é muito superior à concorrência).

Contras: o idioma francês, que ele desconhece (se conhece, nunca demonstrou); possível disputa com Neymar (e com o ascendente Mbappé) pelo papel de estrela da companhia; disputar uma liga menos competitiva e badalada que as de Espanha, Alemanha, Inglaterra e Itália.

Quem teria de abdicar da camisa 10: Neymar (que simplesmente ama a camisa 10).

Neymar (na foto com Mbappé) é o camisa 10 do PSG; ele abriria mão do número se Messi fosse contratado pela equipe de Paris? (Benoit Tessier – 12.jul.2020/Reuters)

Fala-se também do interesse em Messi do Manchester United, um dos gigantes da Inglaterra, porém neste momento os Diabos Vermelhos são azarões no páreo.

Certamente o empresário de Messi, que é o pai dele (Jorge), deve estar avaliando cuidadosamente as alternativas, e conversando com o filho famoso a respeito delas.

Até aqui não se falou em Messi permanecer na Espanha, onde sua família (esposa e três filhos) estão bem adaptados. Até porque seria surreal uma transferência para um rival local do Barça.

E quando deve haver uma definição?

Apesar de não haver tanta pressa no prazo legal, pois a janela de transferências das principais ligas vai até 5 de outubro, é de se supor que não leve tanto tempo.

Como Messi está sob contrato com o Barcelona, para não descumpri-lo e ficar sujeito a punições, ele teria de voltar a treinar com a equipe a partir de segunda (31).

O que idealmente ele evitará –já que o clima não seria dos melhores com direção e comissão técnica–, tendo interesse em definir seu futuro antes disso.

Leia também: Messi tem cláusula que permite saída de graça do Barcelona