Maradona romeno se demite como técnico de seu próprio clube

Considerado o melhor jogador da história do futebol da Romênia, Gheorghe Hagi demitiu-se do cargo de treinador do clube do qual ele mesmo é o dono, o Viitorul FC.

“Em conjunto com o presidente do clube [Gheorghe Popescu], teremos que encontrar um novo técnico nos próximos dias”, afirmou Hagi, hoje com 55 anos, em um comunicado.

Na prática, o chefe Hagi despediu o funcionário Hagi, devido à campanha considerada insatisfatória no Campeonato Romeno.

O Viitorul, de Ovidiu, cidade que fica a cerca de 200 km de Bucareste, a capital do país do Leste Europeu, terminou a fase de classificação em sétimo lugar, com 11 vitórias, sete empates e oito derrotas –os seis primeiros se classificavam para etapa decisiva.

Hagi comanda o Viitorul na derrota por 3 a 0 para o Sepsi, no dia 1º de agosto, sua última partida das mais de 200 como técnico do clube (Reprodução/Site do Viitorul FC)

Hagi era desde 2014 o treinador da agremiação que fundou 11 anos atrás, em 2009.

Em 2017, a equipe ganhou seu primeiro, e até agora único, campeonato nacional. No ano passado, conquistou a Copa da Romênia, também um título inédito.

Como jogador, Hagi foi meio-campista ofensivo. Talentosíssimo.

Tinha uma habilidade ímpar com a perna esquerda, o que lhe rendia frequente comparação com o craque argentino Diego Maradona, não só pela habilidade mas pelo temperamento forte, muitas vezes explosivo, e pela silhueta meio atarracada.

O camisa 10 capitaneou a Romênia na sua melhor campanha em uma Copa do Mundo, a de 1994, quando eliminou a então vice-campeã, Argentina, nas oitavas de final e caiu nos pênaltis, na fase seguinte, diante da Suécia.

Nesse Mundial, nos EUA, no qual o Brasil de Romário e Dunga faturou o tetracampeonato, Hagi anotou três gols. Sua performance rendeu-lhe uma transferência para o Barcelona, então comandado por Johan Cruyff, onde foi colega de time do Baixinho.

Hagi se desentende com Valderrama em Romênia 1 x 0 Colômbia na Copa do Mundo de 1998, na França (Eric Feferberg – 15.jun.1998/AFP)

Por sua seleção, da qual é o principal artilheiro, com 35 gols, empatado com Adrian Mutu, atuou também nas Copas de 1990, na Itália, e de 1998, na França.

Em clubes, além do Barcelona, vestiu, entre outras, a camisa do Steaua de Bucareste, o mais vitorioso time da Romênia, do Real Madrid e do Galatasaray, pelo qual venceu no ano 2000, em um time cujo goleiro era Taffarel, a Copa da Uefa (atual Liga Europa).