Caso Floyd faz sérvio perder emprego em time de Los Angeles

​O caso George Floyd respingou no futebol nos Estados Unidos.

Resultou em desligamento de um jogador no Los Angeles Galaxy, uma das equipes mais famosas da MLS (Major League Soccer) e a maior ganhadora, cinco vezes, do campeonato norte-americano.

O time rompeu o contrato com o meia sérvio Aleksandar Katai depois que a esposa dele, Tea, fez postagens de teor racista em rede social.

Em meio às manifestações nos EUA devido à morte, em Minneapolis, de Floyd por um policial branco, que ficou mais de oito minutos com o joelho sobre seu pescoço.

Na terça-feira (2), em seu Instagram, Tea zombou da situação.

Em uma postagem, que mostra um carro da polícia avançando em meio aos manifestantes, ela escreveu: “Matem esses merdas!”.

Em outra, na qual aparece uma pessoa carregando caixas com tênis, foi esta a mensagem: “Black Nikes Matter” (Nikes pretos importam). Um trocadilho repugnante a “Black Lives Matter” (Vidas de pretos importam), frase que tem sido difundida desde que Floyd, que tinha 46 anos, morreu.

Com a repercussão negativa, especialmente entre torcedores da equipe, as mensagens foram deletadas.

Aleksandar Katai com a esposa, Tea, cujos posts relacionados ao caso George Floyd resultaram na saída do atleta do LA Galaxy (Reprodução/Instagram de Aleksandar Katai)

O jogador tentou contornar o caso, classificando os textos de “um erro da minha família” e desculpando-se “pela dor que esses posts causaram na família do LA Galaxy e em todos os aliados no combate ao racismo”. Mas não adiantou.

O barbudo Katai, de 29 anos, era recém-contratado do LA Galaxy, que não conta com brasileiros. Seu principal nome é o atacante mexicano Chicharito Hernández, ex-Manchester United e Real Madrid.

O sérvio defendera em 2018 e em 2019 o Chicago Fire e, anteriormente, o espanhol Alavés e o Estrela Vermelha, de seu país natal.

Como o campeonato da MLS foi interrompido no começo de março, devido à pandemia de coronavírus, o meia participou de somente duas partidas pelo clube.

Não chegou a completar nenhuma, tendo sido substituído em ambas, com um cartão amarelo em cada uma e sem saber o que é vitória –houve um empate e uma derrota.

Pela seleção principal da Sérvia, Katai atuou nove vezes, três delas no ano passado.

Disputou as eliminatórias para a Copa da Rússia-2018, mas não integrou o elenco da seleção sérvia no Mundial.