Na Inter de Milão, 23 de 25 tiveram sintomas de coronavírus, diz artilheiro

Quase todo o time da Inter de Milão, um dos principais clubes da Itália, pode ter estado infectado com o coronavírus no começo do ano.

A suspeita nasceu de uma declaração do atacante Romelu Lukaku, de 25 anos, artilheiro da Inter no Campeonato Italiano, com 17 gols, e titular da Bélgica terceira colocada na Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

“Tivemos uma semana livre em dezembro [recesso para as festas de fim de ano], e ao voltarmos aos treinos eu juro que 23 dos 25 jogadores estavam doentes”, disse o camisa 9 em conversa em uma rede social com Kat Kerkhofs, apresentadora de TV e esposa do também atacante belga Dries Mertens, do Napoli.

Segundo Lukaku, o elenco da Inter de Milão esteve por um tempo (semanas) com sintomas do coronavírus.

O ápice do mal-estar de um jogador foi notado na partida no estádio Giuseppe Meazza, contra o Cagliari, no dia 26 de janeiro, quando, com 15 minutos de bola rolando, o zagueiro eslovaco Skriniar, de 25 anos, quase desmaiou em campo e teve de ser substituído.

“Todos estavam tossindo e febris. No aquecimento, eu senti a minha temperatura muito mais alta que o normal. E eu não sofria com febre fazia anos”, afirmou Lukaku.

Milão, cidade que abriga a Inter, fica no norte da Itália, região que é o epicentro dos casos de Covid-19 na Europa.

O país registra perto de 25 mil mortes resultantes da doença, e os casos se aproximam de 185 mil.

Nenhum jogador da Inter foi testado para o coronavírus, de acordo com Lukaku. Somente o teste pode concluir se os atletas estão, ou estiveram, infectados.

As autoridades italianas planejam fazer exames específicos em todos os jogadores, de todas as equipes da primeira divisão, que atualmente estão em regime de isolamento, antes de o campeonato ser reiniciado.

Há a intenção de que os jogos, com portões fechados, voltem a ocorrer no fim de maio ou início de junho, desde que todos os clubes estejam de acordo.

Não é o que ocorre hoje. Sete das 20 equipes da Série A (Torino, Brescia, SPAL, Sampdoria, Bologna, Parma e Udinese) são contrárias ao recomeço, segundo a agência de notícias Adnkronos, alegando que a Covid-19 traz “riscos incalculáveis”.

A Juventus, atual octocampeã nacional, lidera o Italiano com um ponto de vantagem sobre a Lazio (63 a 62). Dependendo do time, ainda faltam 12 ou 13 jogos a serem realizados.