Time de Beckham distancia garças em escudo na crise do coronavírus

Nem todos sabem, mas o metrossexual David Beckham, uma das estrelas do futebol mundial nos anos 1990 e 2000, hoje com 44 anos, tem um time de futebol nos Estados Unidos.

O ex-meia inglês, que era excelente nas bolas paradas e disputou as Copas do Mundo de 1998, 2002 e 2006, é sócio-proprietário do Inter Miami, fundado em 2018 e que faz sua estreia na MLS (Major League Soccer), a principal liga norte-americana de futebol, neste ano.

O caçula da liga ainda não sabe o que é vencer, já que perdeu suas duas primeiras partidas, 1 a 0 para o Los Angeles FC e 2 a 1 para o DC United, de Washington, ambas como visitante.

E, devido à pandemia de coronavírus, a primeira vitória ainda deve demorar um bocado para acontecer.

A MLS interrompeu suas atividades após a segunda rodada, e o aguardado primeiro jogo do Inter Miami diante de sua torcida, que seria no dia 14 deste mês, não ocorreu.

O campeonato está suspenso pelo menos até o dia 10 de maio.

Frustração à parte, a equipe decidiu tomar uma medida criativa para conscientizar seus torcedores, e o público em geral, da importância do isolamento social neste momento, medida vital para evitar o contágio.

Escudo original do Inter Miami, com as garças juntas, e o atual, com elas separadas na pandemia de coronavírus (Reprodução/Instagram do Inter Miami FC)

Nesta terça (24), divulgou uma versão modificada do seu escudo. O original traz duas garças, unidas, uma de costas para a outra. O novo mostra as garças separadas.

De acordo com Chris Allan, vice-presidente de Engajamento Comunitário do Inter Miami, “a Covid-19 parou o mundo” e a agremiação quer “dividir esta mensagem com todos que nos acompanham no sul da Flórida e ao redor do mundo”.

O distanciamento, para evitar a propagação do coronavírus, é importante porque o contato físico é um fator de transmissão.

Daí a constante recomendação para que as pessoas mantenham a constante higiene das mãos e evitem se tocar.

A garça branca foi escolhida como símbolo e mascote do time por, segundo o Inter Miami, “representar a liberdade e a força: migra longas distâncias e é uma caçadora poderosa”.

Leia também: Filho de best-seller da autoajuda é o calouro do ano na liga dos EUA

Nos EUA, há mais de 50 mil pessoas infectadas pelo coronavírus. O número de mortes ultrapassa 700.

No Brasil, até esta terça, de acordo com o Ministério da Saúde, eram 2.201 casos confirmados da doença e 46 mortos.