Barcelona paga, em média, os maiores salários do esporte

Anualmente, desde 2010, o grupo britânico Sporting Intelligence publica uma lista que compara os salários médios pagos por equipes de alguns esportes: futebol, basquete, futebol americano, beisebol, hóquei no gelo e críquete.

Neste ano, o Barcelona, de Messi, atual campeão espanhol, repetiu 2018 e ocupa o topo do ranking da Global Sports Salaries (GSS).

O clube catalão paga, por ano, £ 9,8 milhões (R$ 51,8 milhões) em média a cada jogador do seu elenco – ou R$ 4,3 milhões por mês.

O valor só inclui o salário, ficando fora ganhos como luvas, bônus por desempenho, bichos e outras gratificações.

Na comparação com nove anos atrás, o valor despendido mais que duplicou. Em 2010, o salário médio pago pelo Barça aos futebolistas do time principal era de £ 4,1 milhões.

O Real Madrid, arquirrival do Barcelona, é o segundo na relação da GSS: £ 8,9 milhões (R$ 47 milhões). Em terceiro lugar aparece a Juventus, de Cristiano Ronaldo: £ 8,1 milhões (R$ 42,9 milhões).

A Juventus, de Dybala (esq.) e Cristiano Ronaldo, ocupa a terceira posição no ranking de 2019 da pesquisa Global Sports Salaries (Reprodução/Site da Juventus)

O Portland Trail Blazers e o Golden State Warriors, ambos da NBA (National Basketball League), ocupam respectivamente a quarta e a quinta colocações (£ 8 milhões e £ 7,9 milhões).

No top 20, há mais dois clubes de futebol: o Paris Saint-Germain, de Neymar (£ 7,1 milhões), e o Manchester City (£ 7 milhões). Os demais são todos da NBA.

Aliás, os 30 times na liga norte-americana de basquete estão entre os 38 que mais bem pagam, em média, seus jogadores.

Bayern de Munique (22º), New York Yankees, da Major League Baseball (32º), e Manchester United (33º) são os demais intrusos, além dos já citados Barcelona, Real Madrid, Juventus, PSG e Man City.

O estudo não engloba clubes de futebol do Brasil. As ligas analisadas pelo Sporting Intelligence são a alemã, a italiana, a inglesa, a francesa, a espanhola, a escocesa, a chinesa, a japonesa, a australiana e a norte-americana.

A WNBA, versão feminina da NBA, é o único campeonato em que competem mulheres a integrar a GSS.

Seus 12 times estão entre os 18 que menores salários pagam, em média, aos atletas que vestem suas respectivas camisas.

No pé da lista, que traz 350 equipes, figura o Hamilton, penúltimo colocado no Campeonato Escocês: são £ 41,2 mil (R$ 218 mil), em média por ano, para cada futebolista.

Ou 0,4% do que gasta o Barcelona.