Jogadores do Napoli se amotinam e recebem multa de 25% no salário

Vice-campeão em três dos últimos quatro Campeonatos Italianos, o Napoli despontava como uma das forças no início desta temporada para derrubar o reinado da Juventus, atual octocampeã.

Passadas 13 rodadas, entretanto, o que reina em Nápoles é tão somente a desilusão.

Com cinco vitórias, cinco empates e três derrotas (20 pontos), a equipe se situa em uma decepcionante sétima posição, muito longe da liderança, ocupada, sem surpresa, pela Juventus (35 pontos).

Faz mais de um mês que a equipe não sabe o que é uma vitória, e o desempenho pífio tem deixado muito aborrecido o presidente do Napoli, Aurelio De Laurentiis.

Tanto que no começo de novembro ele determinou uma concentração forçada aos jogadores, que teriam que se manter pelo período de uma semana – a que antecedia a pausa para a data Fifa – reclusos no centro de treinamento do clube. Entrevistas também foram proibidas.

Seria uma forma de intensificar o foco de todos em somente uma coisa: jogar futebol.

O presidente do Napoli, Aurelio De Laurentiis, que está insatisfeito com o desempenho da equipe no Campeonato Italiano (Gonzalo Fuentes – 23.out.2018/Reuters)

Questionado à época acerca dessa imposição, o treinador Carlo Ancelotti afirmou discordar, mas que cumpriria a ordem do presidente.

O problema é que o grupo de atletas se amotinou e recusou-se a ficar internado no CT, o que fez a direção do clube elevar o tom e anunciar que eles seriam devidamente disciplinados.

A disciplina veio em forma de punição financeira.

Cada jogador recebeu uma multa de 25% em seu salário do mês, a porcentagem máxima permitida.

No total, o valor das sanções, dividida por 26 jogadores – só escapou o lateral Malcuit, que está lesionado –, chega a  1,86 milhão (R$ 8,7 milhões).

O atacante Lorenzo Insigne, por exemplo, dono do maior salário do Napoli ( 660 mil, ou R$ 3,7 milhões, mensais), deixará de embolsar R$ 768 mil.

Esse valor é aproximadamente a metade do que o jogador mais bem pago do futebol brasileiro, o lateral Daniel Alves (São Paulo), recebe mensalmente.

O Napoli tem um brasileiro no elenco, o volante Alan, que esteve com a seleção brasileira que conquistou a Copa América, em julho. Ele ficará R$ 325 mil menos rico.

O volante Allan, brasileiro que defende o Napoli, deixa o campo após se contundir no jogo com o Atalanta (Ciro De Luca – 30.out.2019/Reuters)

Além da aplicação das multas, De Laurentiis ainda não derrubou a lei do silêncio, mas pode ter de fazer isso nesta terça (26), véspera da partida do time, como visitante, contra o Liverpool pela Liga dos Campeões da Europa.

A Uefa, organizadora da Champions League, estabelece que o treinador deve falar com a imprensa em entrevista coletiva – geralmente acompanhado por um jogador do time.

Apesar da ampla insatisfação da direção, no principal interclubes europeu o Napoli ainda não perdeu.

Com duas vitórias e dois empates, está em segundo lugar no Grupo E (8 pontos), atrás apenas do Liverpool (9), e depende só de suas forças para avançar para as oitavas de final, já que o Salzburg, da Áustria, tem 4 pontos e o Genk, da Bélgica, 3, faltando duas rodadas para o encerramento da fase de grupos.

Em tempo: A última vez que o Napoli conquistou o scudetto, como é chamado o título do Italiano, foi em 1990. Aquele time tinha como astro Diego Maradona e contava também com os brasileiros Careca (atacante, ex-São Paulo) e Alemão (volante, ex-Botafogo).