Lista da Copa América dirá se para o ataque a última impressão é a que fica

Diz um velho ditado que a primeira impressão é a que fica.

Com a seleção brasileira que disputará a Copa América, que começará em junho e se estenderá até julho em cinco cidades do Brasil (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador), ele pode ter uma variação.

A exatamente um mês da provável data (17 de maio) da convocação da equipe para a competição, o técnico Tite deve estar ruminando acerca da escolha dos jogadores ofensivos, do meio para a frente, que serão sete ou oito de um total de 23.

Levará o treinador em consideração ou não a última impressão que teve de certos atletas, nos amistosos do mês passado?

Em março, o Brasil decepcionou ao empatar com o frágil Panamá (1 a 1) e, depois de um primeiro tempo horrendo – foi para o vestiário perdendo –, virou diante da República Tcheca e venceu por 3 a 1.

Quem ganhou e quem perdeu pontos nesses dois amistosos, os últimos antes da divulgação da lista para a Copa América?

Diante dos panamenhos, no Porto, Tite pôde observar sete atletas com características ofensivas: Philippe Coutinho, Lucas Paquetá, Roberto Firmino, Richarlison (que começaram jogando), Gabriel Jesus, Everton e Felipe Anderson.

Paquetá fez o gol da seleção, e Richarlison foi, dos demais, o único a se propor continuamente a tentar fazer algo objetivo, com dribles em direção ao gol e tentativas de finalização. Os outros não estiveram bem.

Contra os tchecos, o quarteto de ataque utilizado no início repetiu-se: Coutinho, Paquetá, Firmino e Richarlison. E eles renderam absolutamente nada na primeira etapa do jogo em Praga.

No segundo tempo, Jesus, Everton (apelidado Cebolinha) e David Neres entraram. E com eles o Brasil melhorou muito.

Se a atuação nesse jogo contar, Everton e Neres têm de estar na lista de Tite, certamente satisfeito com a rapidez e ousadia dos dois, que gostam de atuar pelas pontas, especialmente pela esquerda.

Neres, ex-São Paulo, foi quem mais impressionou, ao dar a assistência para o gol de Jesus e ter participação importante na criação do segundo gol do ex-palmeirense.

Firmino redimiu-se da má atuação no amistoso em Portugal com o gol que iniciou a reação do Brasil na capital tcheca. E Jesus sobrou ao marcar dois.

Assim, levando-se em conta a última impressão, Neres – que, é bom lembrar, está em grande fase no Ajax, semifinalista da Champions League – e o gremista Everton acompanhariam Jesus (Mancheter City) e Firmino (Liverpool) na convocação.

Philippe Coutinho em ação contra o Panamá; ele não foi bem nos dois últimos amistosos da seleção, mas é nome certo para a Copa América (Miguel Riopa – 23.mar.2019/AFP)

Coutinho, apesar de ter decepcionado nos amistosos, é um dos xodós de Tite. Mesmo oscilante, não ficará fora.

Considerando-se que Neymar, o único astro que o Brasil tem, é nome certo se estiver recuperado da lesão no pé (deve estar), faltaria um nome, no máximo dois.

Dos mencionados neste texto, sobraram Richarlison (Everton), Paquetá (Milan) e Felipe Anderson (West Ham).

O último eu descarto. Jogou pouco (cerca de 20 minutos), o que mostra que não está entre os preferidos de Tite, e pouco fez.

Em relação a Richarlison e ao ex-flamenguista Paquetá, o treinador tem apreço por ambos. Eles não foram maravilhosos em suas mais recentes apresentações (nem pela seleção nem por seus clubes), mas parecem estar um passo à frente da concorrência.

E quem são esses concorrentes?

Dois deles estiveram na Copa do Mundo da Rússia: Willian (Chelsea), que faz boa temporada, e Douglas Costa (Juventus), que andou contundido e não conseguiu neste ano engrenar uma sequência de jogos.

Um terceiro seria Lucas Moura (Tottenham). Por que “seria”, no condicional? Porque não acho que Tite morra de amores pelo futebol dele. Só que, se o ex-são-paulino brilhar na reta final da temporada, na qual seu time tem chance de avançar nesta quarta (17) às semifinais da Liga dos Campeões, será difícil descartá-lo.

E um quarto, que inclusive serviu de modelo na apresentação do uniforme (branco) que a seleção vestirá na primeira partida na Copa América, é Vinicius Júnior (Real Madrid), que ainda se recupera de uma lesão no tornozelo.

Opções que atuam no território nacional? Não considero que Tite dará chance a ninguém daqui, por mais que um Gustavo (Gustagol) e/ou um Gabriel (Gabigol) brilhem na partida decisiva do Paulista ou do Estadual do Rio.

Lucas Paquetá marca contra o Panamá; esse gol deve ser suficiente para garantir seu nome na próxima lista de Tite (Miguel Riopa – 23.mar.2019/AFP)

Meu palpite, hoje, para os nomes da Copa América para as posições de meia-atacante e atacante, considerando que sejam oito os selecionados para esses setores: Neymar, Coutinho, Paquetá, Richarlison, Firmino, Jesus, David Neres e Willian (por ser alternativa natural para a direita do ataque, área em que há carência).

Everton ficaria fora, pois seria ele ou Neres, um dos dois eu prevejo que não vá, e o segundo está jogando mais. Se Lucas Moura “arrebentar” nas próximas semanas, quem “dança” é Willian. Vinicius Júnior? Não deve ter tempo suficiente para se mostrar em forma até a convocação.

À exceção de Neymar, nenhum dos citados é um supercraque, alguém em que se tenha crença de que decidirá uma partida em um lance genial. Mas são reconhecidamente muito bons (Coutinho, Firmino, Jesus, Willian) ou se mostram atualmente muito bons (Neres, Paquetá, Richarlison).

Enfim, contanto que o famigerado e até aqui esquecido Taison (Shakhtar Donetsk), que esquentou o banco em todos os jogos do Mundial de 2018, não reapareça, a seleção estará bem servida ofensivamente, e estarei esperançoso de que o Brasil faça um papel na Copa América condizente com sua tradição.

Em tempo 1: Do meio para trás, não parece haver grandes dúvidas, a não ser o terceiro goleiro (Weverton, possivelmente) e um meio-campista (Renato Augusto ou Allan). Considero certos Alisson, Ederson (goleiros), Daniel Alves, Danilo, Alex Sandro, Filipe Luís (laterais), Thiago Silva, Marquinhos, Miranda, Militão (zagueiros), Fabinho (volante-lateral), Casemiro e Arthur (volantes).

Em tempo 2: Para quem não sabe ou não se lembra, o Brasil está no Grupo A da Copa América e enfrentará Bolívia (Morumbi), Venezuela (Fonte Nova) e Peru (Itaquerão). O Grupo B tem Argentina, Colômbia, Paraguai e Qatar, e o Grupo C, Uruguai, Chile, Equador e Japão. O torneio vai de 14 de junho a 7 de julho.