Até este mês, Maradona tinha 5 filhos; agora podem ser 10

O número de filhos de Diego Maradona, um dos três mitos do futebol argentino – os outros são Di Stéfano e Messi –, pode dobrar.

Sabia-se até este mês que Maradona, campeão mundial com a Argentina em 1986, no México, e vice em 1990, na Itália, teve cinco filhos: o italiano Diego Armando, de 32 anos (com Cristina Sinagra), e os argentinos Dalma, 31, Giannina, 29 (ambas com Claudia Villafañe), Jana, 23, (com Valeria Sabalaín) e Diego Fernando, 6 (com Verónica Ojeda).

Como cinco filhos podem se tornar, repentinamente, dez?

Não se trata de uma produção em série, com o nascimento de vários rebentos de relações com diferentes mulheres em curto espaço de tempo. Tampouco nascerão quíntuplos.

Veio à tona, por intermédio de Matías Morla, advogado do ex-jogador, que El Pibe de Oro é pai de três adolescentes cubanos: Javielito, Lu e Joana. “São três filhos de duas mulheres”, afirmou Morla ao Canal 13, de Buenos Aires. Os nomes das mães não foram revelados.

Maradona em caricatura com Verónica, mãe de seu fllho caçula, Diego Fernando, de 6 anos (Reprodução/Instagram de Diego Maradona)

Maradona, hoje com 58 anos, esteve em Cuba várias vezes de 2000 a 2005, tendo recebido ajuda do governo do ditador Fidel Castro (1926-2016) em tratamento de desintoxicação de drogas – era viciado em cocaína.

Segundo Morla, seu cliente, hoje técnico do Dorados, da segunda divisão mexicana, poderá ter de admitir a paternidade de um quarto filho cubano.

“Atualmente há pedidos de filiação referente a três [jovens]. Em referência ao quarto, Harold, não há demanda, mas existe o comentário em Cuba de que é filho [de Maradona]”, afirmou.

Onde já há demanda é na Argentina. Um representante de Santiago Lara retomou os procedimentos legais, que exigirão exame de DNA, para que Maradona o reconheça como filho.

“Para mim, meu pai sempre será Marcelo Lara, mas, pelo que me explicaram, supostamente o meu pai é Diego Maradona. A verdade é que estou muito emocionado”, disse à TV argentina o rapaz de 17 anos, filho de Natalia Garat, que morreu de câncer há 14 anos.

Seria o décimo filho de Maradona, o que o deixaria a apenas um do número necessário para montar um time de futebol.

Isso pode não demorar a acontecer. A lista, é provável, aumentará, declarou o advogado do ex-jogador, em alusão à estadia de Maradona na ilha caribenha.

“Ele estava solteiro. Serão muitos os Maradonas.”