Tributo a torcedor ligado ao neonazismo provoca baixas em clube alemão

Uma homenagem a um torcedor com vínculos com o neonazismo na partida de sábado (9) contra o Altglienicke, pelo grupo leste da quarta divisão da Alemanha, causou uma crise institucional no Chemnitzer FC que resultou na saída do presidente-executivo e de funcionários do clube.

Figura conhecida da extrema direita alemã, tendo estado presente em atos de cunho racista e xenofóbico no ano passado na cidade de Chemnitzer, Thomas Haller morreu de câncer na semana passada.

Antes do início do jogo, torcedores fizeram um minuto de silêncio em referência a Haller, que teve seu nome mencionado pelos alto-falantes, em discurso elogioso a ele, e sua imagem exibida no telão do estádio.

Também havia na torcida, em meio aos pouco mais de 4.000 presentes, uma bandeira preta com uma grande cruz branca centralizada e faixas com os dizeres: “Descanse em paz, Tommy”.

O episódio gerou imensa repercussão negativa, externamente, e considerável mal-estar, internamente.

O incômodo foi tamanho que o presidente-executivo do Chemnitzer FC, Thomas Uhlig, renunciou e pelo menos dois funcionários (um membro do departamento de comunicação e o locutor do estádio) foram demitidos.

Houve ainda multa a um jogador do time, o artilheiro Daniel Frahn, que depois de marcar um gol exibiu uma camiseta com um logo popular entre neozazistas.

O clube, com a ajuda de autoridades locais e da federação regional de futebol, instaurou uma investigação sobre o caso depois de receber informações de que o tributo a Haller ocorreu depois de coerção, segundo o administrador do Chemnitzer FC, Klaus Siemon.

Integrantes do estafe da equipe teriam sido ameaçados por hooligans (torcedores desregrados e agressivos): ou levariam adiante a homenagem ou seriam violentados.

Os fãs extremistas ainda teriam prometido grande arruaça e depredação na arena do Chemnitzer FC se não fossem atendidos.

Siemon comanda um processo de liquidação do clube, que acumula dívidas de € 2,5 milhões (R$ 10,8 milhões).

Em tempo: Manchada pelo noticiário sociopolítico, a partida entre o Chemnitzer FC, que apesar da penúria financeira é o líder de sua chave, e o Altglienicke terminou em um empolgante 4 a 4, com duas viradas e os visitantes arrancando o empate aos 45 minutos do segundo tempo.