Reforço do Colo-Colo declara ser como Messi (e é levado a sério)

Algumas vezes é necessário cuidado com as manchetes que pululam nos sites.

Eis duas delas, veiculadas nesta semana: “Em apresentação no Colo-Colo, Gabriel Costa afirma: ‘Sou como Messi’”; “‘Sou como Messi’; novo parceiro de Valdivia no Colo-Colo causa polêmica no Chile”.

São de veículos da mídia esportiva especializada nacional (Lance! e Fox Sports, respectivamente) e, sem dúvida, bastante chamativas.

O Valdivia em questão, sabemos de quem se trata: o habilidoso meia chileno, hoje com 35 anos, que fez sucesso no Palmeiras algum tempo atrás.

Mas esse Gabriel Costa, que diz ter um futebol tão bom como o de Messi, ídolo do Barcelona e cinco vezes eleito o melhor do mundo nos últimos dez anos, quem é?

Um dos relatos afirma que o jogador, na entrevista em que se apresentou ao time chileno, procedente do Sporting Cristal, do Peru, foi “taxativo” ao fazer a comparação; o outro, que ele “deixou a modéstia de lado”.

Fiquei impressionado e, logicamente, quis saber a respeito desse futebolista cuja autoestima seria imensa a ponto de se colocar no mesmo nível de Messi.

Só que, antes de buscar informações sobre ele, cliquei, meio que por acaso (ou por curiosidade), em reportagem do jornal peruano La República, que trazia um vídeo de Gabriel Costa dando a referida entrevista.

“Sou um jogador que atua pela ponta direita, ou por todos os setores do ataque. Sou como Messi”, declarou o jogador. Não havia invenção, ele falou mesmo isso, ipsis litteris.

Só que, e apenas assistindo ao vídeo percebe-se isso, falou em tom de brincadeira.

Gabriel Costa ri escancaradamente depois de declarar “sou como Messi”. Bem-humorado, fazia uma piada – que, sim, chamou a atenção, ganhou manchetes, mas era claramente uma ironia, uma gozação, uma pilhéria, um sarcasmo.

Conclusão: não, o atacante uruguaio com nacionalidade peruana, de 28 anos e 1,71 m, destro, não se apresentou como um novo Messi, como, em uma interpretação rasa, pode-se depreender.

Porém fez uma ótima temporada pelo Sporting Cristal em 2018, marcando 26 gols e dando 19 assistências (passes para gol) em 43 jogos no Campeonato Peruano, vencido pelo clube.

Contratado por US$ 1,2 milhão mais a cessão de Christofer González, avaliado em US$ 800 mil, o que perfaz um total de US$ 2 milhões (R$ 7,5 milhões), promete ser um ótimo reforço para o Colo-Colo, que terminou o último Campeonato Chileno somente na quinta colocação.

Caso jogue em 2019 como no ano passado, certamente Gabriel Costa fará bonito e ganhará manchetes, sem necessidade de mencionar o supercraque argentino.

Se seu futebol tiver algumas pitadas de Messi, claro, ninguém vai reclamar.

Leia também: Messi e companhia são acusados de serem maus perdedores

Em tempo: “Novos Messis” surgiram aos montes nos últimos anos: Defederico (de quem os corintianos devem se lembrar), Bojan, Deulofeu, Lamela e Dybala, entre outros. (Desses, Dybala, da italiana Juventus, é disparado o melhor.) Só que nenhum chegou nem perto do Messi original. Nem ninguém chegará. Pois, como Pelé, Garrincha, Maradona, Zidane, Cruyff e poucos outros, Messi teve a fórmula jogada fora após ser divinamente concebido.