Mensagem em caminhão de nabos pede a Robben que ‘siga seu coração’

“O bom filho a casa torna” é um antigo e popular provérbio.

É usado como referência a alguém que, depois de muito tempo afastado, volta às suas origens – o país, o estado ou a cidade de nascimento, por exemplo.

Groningen, na Holanda, anseia há alguns dias pelo retorno de um “filho” futebolista que a enche de orgulho – e teve quem começou uma campanha para que isso se concretize.

“Arjen, Volg Je Hart!” (Arjen, siga seu coração!) é a frase com que a companhia do ramo agrícola HS Agri BV decorou um caminhão que faz transporte de nabos na cidade do norte holandês.

A ideia, de acordo com a ESPN, foi levada ao dono da empresa por Jacco Fluk, um torcedor do FC Groningen, clube que ocupa a 16ª (antepenúltima) colocação na Eridivisie, a primeira divisão do futebol holandês.

Arjen, o atleta a quem é endereçada a sentimental sentença, é o habilidoso e veloz Arjen Robben, de 34 anos, vice-campeão na Copa de 2010 (na África do Sul) e terceiro colocado na de 2014 (no Brasil).

Há dez dias, o atacante canhoto confirmou que deixará o Bayern de Munique em junho, quando seu contrato termina, sem determinar qual seu próximo destino.

Dono da camisa 10, ele está na equipe alemã desde 2009 e ganhou, entre outros títulos, sete Bundesligas, uma Liga dos Campeões da Europa e um Mundial de Clubes da Fifa.

Quem acompanha futebol internacional há de se lembrar de que o carequinha Robben, antes de ir para o Bayern, defendeu Chelsea e Real Madrid.

Porém são poucos os que sabem que ele, antes de migrar para um centro mais afamado, atuou como profissional em seu país no laureado PSV Eindhoven (vencedor uma vez da Champions League e 24 vezes campeão do Campeonato Holandês) e no modesto Groningen, dono de uma única conquista relevante, a Copa da Holanda de 2015 – com a ajuda de um brasileiro, o beque Eric Botteghin.

Um Robben ainda adolescente, porém já insinuante, desfilou suas habilidades pelo Groningen, de 2000 a 2002. Saiu e progrediu na carreira, deixando saudade na cidade de 200 mil habitantes.

Iniciada, a campanha idealizada por Jacco Fluk chamou a atenção de um certo Hans, que fez questão de conhecer Bas Schrage, o proprietário da HS Agri BV.

Esse Hans tem sua importância. É alguém que supostamente pode influenciar na decisão de Robben.

Por quê? Porque tem o mesmo sobrenome. Hans Robben é o pai de Arjen.

Além disso, Hans tem ligação estreita com o Groningen, clube pelo qual jogou na década de 1970.

É desde outubro seu assessor de talentos. Traduzindo: atua como conselheiro dos jovens das categorias de base, orientando-os em assuntos como educação, finanças e estilo de vida.

Sem saber se contará com o apoio de Hans, a torcida do Groningen pode certamente contar com os esforços literários de Jacco Fluk.

Que tem uma inclinação para a emotividade, como percebe-se, para além da mensagem criada para o caminhão, em carta aberta creditada aos idealizadores (ou seja, o próprio Fluk) do movimento “Arjen, siga seu coração!”.

“Não esperamos que você nos traga um título e não esperamos milagres. Só o que esperamos é pelo momento em que você receba um passe diante da arquibancada Piet Fransen, parta em velocidade, corte para dentro e vença o goleiro com um chute de curva. Nós o abraçaremos como ninguém jamais neste planeta já o abraçou.”

A arquibancada Piet Fransen é uma seção no lado leste do estádio do Groningen, o Euroborg, batizada em homenagem a um dos grandes ídolos do time, morto aos 79 anos em 2015.

O lance mencionado é referência à jogada característica de Robben: desde a ponta direita, o arranque lateral para o centro e o chute potente para o gol. Superou vários e vários goleiros assim.

Leia também: Robben, dar show não é falta de respeito

Em tempo: Passaram pelas categorias de base do Groningen outros dois holandeses bem conhecidos: o ex-zagueiro Ronald Koeman, expoente da defesa do Barcelona nos anos 1990 e atual treinador da Holanda, e Virgil van Dijk, zagueiraço, titular do Liverpool, vice-campeão europeu neste ano.