Jogadores ameaçam rompimento coletivo com clube centenário

“Temos a opção de pedir a rescisão de nossos contratos e decidimos recorrer a esse direito pois entendemos que a situação é insustentável. Acreditamos não haver outra saída para garantirmos nossos direitos.”

Desse modo o zagueiro Jesús Olmo capitão do Reus Deportiu, da Espanha, anunciou nesta semana que ele e seus companheiros romperão coletivamente com o clube na segunda-feira (17).

O motivo: pendências financeiras da direção da agremiação com os jogadores.

Caso o discurso seja de fato levado adiante, a partida deste sábado (15), em casa, diante do Córdoba, será a última de Olmo e companhia com a camisa rubro-negra do time da Catalunha, que disputa a segunda divisão (Liga Adelante) do Campeonato Espanhol.

O Reus, que subiu da Terceirona para a Segundona em 2016, faz campanha ruim (4 vitórias, 4 empates e 9 derrotas) e começou a 18ª rodada, de um total de 42, na zona de rebaixamento, à frente apenas do Córdoba e do Gimnastic – 22 equipes disputam a Liga Adelante.

A situação insustentável a que se refere o capitão do Reus são os três meses de não pagamento de salários.

“Chegamos a uma situação-limite depois de tantas promessas não cumpridas e ao ver como alguns companheiros estão vivendo em uma condição inadmissível”, afirmou Olmo, que leu um comunicado preparado pelos atletas.

O treinador do Reus, Xavi Bartolo, durante treino da equipe, que iniciou a 18ª rodada na zona de rebaixamento (Reprodução/Site do CF Reus Deportiu)

Se os atletas debandarem – pretendem fazê-lo para negociar transferência para outros clubes na janela de negociações de janeiro –, o Reus será eliminado da competição pela Liga Espanhola, já que precisa ter ao menos 12 jogadores profissionais no elenco.

Na tentativa de evitar que o Reus desapareça dos campos, torcedores iniciaram nas redes sociais as campanhas #soscfreus  e #salvemelreus.

Uma hora e meia antes do jogo contra o Córdoba (às 15 horas no horário de Brasília), haverá uma marcha de protesto contra o dono do clube, Joan Oliver, nas cercanias do estádio.

O treinador Xavi Bartolo é uma rara voz de esperança. “Na segunda-feira, o clube deve apresentar uma solução.”

As dívidas do centenário clube (fundado em 1909), publicou o jornal AS, chegam a € 5 milhões (R$ 22,15 milhões).

Só a aparição relâmpago de um mecenas salvará o Reus. Para isso acontecer, será preciso acreditar, a dez dias do Natal, em Papai Noel.