Quadra retorna à seleção brasileira em fase de baixa

Novidades na convocação do técnico Tite para os amistosos de outubro contra Arábia Saudita e Argentina (tinham ficado fora da lista anterior, para partidas contra EUA e El Salvador), Danilo, Marcelo, Miranda e Gabriel Jesus voltam à seleção brasileira longe de seus melhores momentos.

O passado recente com o time canarinho não lhes traz boas recordações, e brilho em seus respectivos clubes atualmente não há.

Todos chegaram à Copa do Mundo da Rússia, em junho, na condição de titulares, porém nenhum teve grande destaque.

Os laterais Danilo (direito) e Marcelo (esquerdo) tiveram lesões que os limitaram.

O primeiro atuou somente na partida inicial, diante da Suíça. A partir daí, jogou Fagner. Danilo até se recuperou, mas uma nova contusão, em um treino, o afastou de vez do Mundial.

O segundo, considerado o melhor do mundo na sua posição, machucou-se no começo do jogo diante da Sérvia, o último da fase de grupos. Não atuou contra o México e voltou no confronto com a Bélgica, o da eliminação, nas quartas de final.

O zagueiro Miranda ficou e ficará lembrado pela estreia (1 a 1). No gol de Zuber, ele perdeu o duelo pelo alto, e o suíço cabeceou para o gol.  As câmeras mostraram que Zuber empurrou o brasileiro, mas o juiz não viu e o VAR (árbitro assistente de vídeo) considerou a jogada normal.

Titular em todas as cinco partidas, o centroavante Gabriel Jesus, artilheiro do Brasil nas eliminatórias para a Copa (sete gols em dez jogos), não marcou sequer um gol no Mundial. Frustrante – para ele e para nós.

O lateral direito Danilo em treino da seleção em Sochi, na Rússia (Hannah McKay – 29.jun.2018/Reuters)

Danilo só se recuperou neste mês da última lesão, no tornozelo, e pôde atuar pelo Manchester City uma única vez neste segundo semestre, contra o Oxford, na terça (25), pela Copa da Liga Inglesa.

De toda forma, Walker é o titular na lateral direita, e para jogar mais tempo Danilo terá de lutar com Delph e Zinchenko por uma vaga no lado esquerdo

Titular absoluto do Real Madrid, Marcelo começou a temporada em marcha lenta. Fortíssimo no apoio, não marcou nenhum gol em seis jogos.

Passe para um companheiro marcar? Só um, para Mariano Díaz, na estreia na Liga dos Campeões da Europa.

Miranda, titular inconteste na Inter de Milão nas últimas três temporadas (2015/2016, 2016/2017 e 2017/2018), perdeu essa condição com o novo treinador.

Luciano Spalletti o escalou em apenas duas das seis partidas no Campeonato Italiano.

Gabriel Jesus vive a mesma situação de sempre. Torce para que Pep Guardiola escale o Manchester City com dois centroavantes – o que não é comum.

Se não for assim, invariavelmente será reserva de Agüero, um dos maiores ídolos da história do clube e seu maior artilheiro.

E, com menos minutos em campo, Gabriel Jesus tem também menos chance de fazer gols.

Elencados os cenários, não se pode afirmar que os quatro estão em alta.

Retornam à seleção mais pelo que já fizeram do que pelo que têm feito recentemente.

Na prática, como vai ser?

Marcelo não corre risco, por ora, de não jogar. É superior ao outro convocado para a posição, Alex Sandro (Juventus), que será reserva.

Miranda permanece com crédito com Tite e deve ser titular ao lado de Marquinhos (PSG) – Thiago Silva ficou fora dessa lista.

Danilo e Gabriel Jesus não têm a certeza de que sairão jogando. O primeiro rivalizará com Fabinho (Liverpool) e Éder Militão (Porto). O segundo, com Roberto Firmino (Liverpool) e Richarlison (Everton).