Na 3ª rodada da Copa, qual gol mais marcou pela beleza?

Três rodadas se foram, as três que formavam a primeira fase, e a etapa de mata-matas da Copa do Mundo da Rússia se aproxima. Começa neste sábado (30), com França x Argentina e Uruguai x Portugal.

Nessa fase, a de oitavas de final, craques como Cristiano Ronaldo, Messi e Neymar estarão presentes, então espera-se que gols saiam de seus pés (ou cabeças), ou dos pés (ou cabeças) de qualquer outro jogador, desde que não mexicano.

Porém, mais que gols, que sejam preferencialmente lindos, já que eles não têm aparecido em quantidade farta neste Mundial.

Em posts anteriores, expus os mais belos gols que vi na primeira e segunda rodadas. Teve gol brasileiro, espanhol, russo, croata e nigeriano.

Trago neste os mais bonitos da terceira, em ordem cronológica, convidando o leitor, mais uma vez, a emitir opinião.

Qual deles merece seu voto, e por quê?

1 – Iago Aspas, o segundo da Espanha no empate por 2 a 2 com Marrocos, no dia 25, em Kaliningrado.  (A 1 minuto e 33 segundos do vídeo a seguir.)

Gol de Iago Aspas (Reprodução/FifaTV)

Por que foi escolhido?

Por ter sido de letra, o primeiro assim nesta Copa. O bandeirinha marcou impedimento na jogada, mas o árbitro recorreu à videoarbitragem (VAR) e validou o gol. Importantíssimo para a Espanha, pois lhe deu a igualdade necessária para terminar o grupo em primeiro e a colocou diante da Rússia, um rival menos difícil que o Uruguai.

2 – Lionel Messi, o primeiro da Argentina na vitória por 2 a 1 sobre a Nigéria, no dia 26, em São Pertersburgo. (Aos 10 segundos do vídeo a seguir.)

Gol de Messi (Reprodução/Fifa TV)

Por que foi escolhido?

Pelo magistral domínio da bola do cinco vezes melhor do mundo. Messi apara a bola na coxa esquerda, depois no peito do pé esquerdo e chuta colocado com o pé direito, que não é o bom. Tudo em dois segundos. “Maradona ficaria orgulhoso”, comentou o narrador da Fifa. Vale citar Banega, autor do primoroso lançamento.

3 – Paulinho, o primeiro do Brasil na vitória por 2 a 0 sobre a Sérvia, no dia 27, em Moscou. (Aos 29 segundos do vídeo a seguir.)

Gol de Paulinho (Reprodução/FifaTV)

Por que foi escolhido?

Pela plasticidade. Coube a um brasileiro mostrar que gol de bico pode ter charme. Num passe espetacular de Philippe Coutinho, “parece que ele surgiu do nada”, conforme narrou o locutor da Fifa. Elemento-surpresa, Paulinho percebeu a saída do goleiro Stojkovic e, logo que a bola quicou, deu passo de balé para tocá-la por cobertura.

Os mais bonitos gols das três primeiras rodadas foram prazerosos de ver, porém nenhum é comparável aos dois mais belos da Copa de 2014, no Brasil.

Lembra? O de Van Persie, em Holanda 5 x 1 Espanha, na fase de grupos, na Fonte Nova (um peixinho que encobriu Casillas), e o de James Rodríguez, em Colômbia 2 x 0 Uruguai, nas oitavas de final, no Maracanã (um chutaço após matar no peito próximo à meia-lua).

O já veterano Van Persie não teve chance de ir à Copa-2018 – a Holanda não se classificou.

O colombiano James, entretanto, está na Rússia.

Até aqui, o artilheiro do último Mundial (seis bolas na rede) não fez nenhum gol. Terá oportunidade para desencantar contra a Inglaterra, na terça (3) – quem sabe com um golaço.