Atacante Mbappé, 19, é eternizado em museu de cera de Paris

O que o atacante Kylian Mbappé tem em comum com o ator Charlie Chaplin, o cantor Mick Jagger, o físico Albert Einstein, a atriz Marilyn Monroe e o papa João Paulo 2º?

Até esta semana, nada. A partir dela, o fato de ter sido eternizado como celebridade no histórico Museu Grévin, em Paris.

Aos 19 anos, o colega de Neymar no Paris Saint-Germain é o personagem que mais jovem teve sua imagem incluída no museu de cera fundado em 1882.

O próprio esteve lá, e divertiu-se ao lado da estátua.

Mas por que o Mbappé de cera está com os braços cruzados? Porque o jogador costuma comemorar seus gols fazendo essa pose.

Em sua primeira temporada no PSG, ele anotou 21 gols em 44 jogos (por Campeonato Francês, Copa da França, Copa da Liga Francesa e Liga dos Campeões da Europa). O time ainda faria  uma partida antes de encerrar a temporada, neste sábado (19), contra o Caen.

Mbappé é o segundo jogador mais caro da história do futebol.

O PSG o comprou do também francês Monaco por € 180 milhões (R$ 792 milhões pelo câmbio atual), incluindo nesse valor os bônus por desempenho. Fica atrás só de Neymar, por quem o PSG pagou € 222 milhões (R$ 977 milhões) ao Barcelona.

Veloz, ágil, criativo e habilidoso, Mbappé é bom finalizador e tem, para sua idade, uma excelente visão de jogo. Apenas no Francês, foram oito assistências (passes para gol), média de uma a cada três jogos.

É também muito inteligente. Basta assistir a uma partida dele para perceber como se movimenta em campo de modo a ocupar quase sempre o lugar certo, seja pelas pontas ou pelo meio do ataque.

Essas qualidades lhe valeram não apenas a inclusão no Museu Grévin mas também a convocação para a Copa do Mundo da Rússia.

Não se sabe se o treinador Didier Deschamps o escalará como titular, mas eu espero que sim, ou será um desperdício de talento.

Indo a campo em junho – na primeira fase a França enfrenta Austrália, Peru e Dinamarca –, Mbappé se tornará o mais jovem francês a atuar em um jogo de Mundial. Terá 19 anos e meio.

O atual detentor do recorde é o ponta-esquerda Bruno Bellone, que tinha 20 anos, 3 meses e 26 dias quando jogou contra a Polônia  na derrota por 3 a 2 na disputa do terceiro lugar na Copa da Espanha-1982.

Leia também: Jovens, talentosos e aquém do estrelato

Em tempo 1: O jogador mais jovem a atuar em uma Copa do Mundo é da Irlanda do Norte. O meia-atacante Norman Whiteside estava com 17 anos, 1 mês e dez dias no dia 17 de junho de 1982, data do 0 a 0 com a Iugoslávia na cidade espanhola de Zaragoza.

Em tempo 2: Segundo futebolista mais novo a disputar uma partida de Copa do Mundo (17 anos, 3 meses e 7 dias na Copa da França-1998), o camaronês Samuel Eto’o – ainda em atividade aos 37 anos, pelo turco Konyaspor –, ao falar sobre Mbappé para o jornal francês L’Équipe, decretou: “Se ele se cuidar, será o novo Messi”. Aliás, Messi também tem uma estátua no museu de cera parisiense, assim como Cristiano Ronaldo.

Messi de cera no Museu Grévin, com a camisa do Barcelona (Reprodução/Site do Museu Grévin)
Cristiano Ronaldo de cera no Museu Grévin, com a camisa da seleção de Portugal (Reprodução/Site do Museu Grévin)