Brasileiros da Libertadores que estão prontos para brilhar na Europa

Por Luís Curro

O título deste texto é uma adaptação de um outro, publicado há alguns dias no site americano Bleacher Report, “As estrelas da Copa Libertadores que estão prontas para brilhar na Europa em 2018”, de autoria de Sam Tighe.

O autor elencou 20 jogadores que disputaram a Libertadores da América deste ano que teriam potencial imediato para jogar, com destaque, no futebol europeu.

Entre eles, menção a oito brasileiros: dois do campeão Grêmio (Arthur e Luan), três do Santos (Lucas Veríssimo, Bruno Henrique e Zeca), um do Botafogo (Matheus Fernandes) e dois do Palmeiras (Lucas Lima e Dudu). Desses, Matheus Fernandes é o mais jovem (19 anos) e Lucas Lima, o mais velho (27 anos).

Sabe-se que Lucas Lima não vai para a Europa agora, já que chegou a acordo com o Palmeiras e deve permanecer no time alviverde por algum tempo, no mínimo pelos próximos meses.

E os demais?

É muito difícil qualquer jogador, incluindo os mais jovens, não ter o sonho, o desejo ou o interesse de se transferir para um clube do velho continente, especialmente se o time estiver em uma das principais ligas (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália).

Lá as condições de moradia e de treinamento, além das salariais, quase sempre são superiores às oferecidas no Brasil. Sem contar o nível técnico dos campeonatos, geralmente superior, e a qualidade indiscutível de perto de 100% dos gramados.

Com esse pacote, de fato não parece difícil brilhar por lá, caso haja uma boa adaptação (em aspectos como comida, idioma, cultura etc.) e oportunidades para jogar (Gabigol, de 21 anos, ex-Santos, em mais de um ano de Europa só esquentou o banco, e aí não há como obter nem um ínfimo brilhozinho).

Mas há interesse dos europeus nessa lista de brasileiros?

Matheus Fernandes, que se destacou pela eficiência nos desarmes, está na mira do Barcelona. O jornal “Lance!” publicou que o volante vem sendo monitorado por um olheiro da equipe da Catalunha.

O atacante Luan, do Grêmio, comemora gol contra o Barcelona do Equador em partida da semifinal da Libertadores, em Guayaquil (Rodrigo Buendia – 25.out.2017/AFP)

Luan, de 24 anos, escolhido o melhor jogador da Libertadores-2017, afirmou ter tido a chance de deixar o Grêmio no meio do ano. O destino seria o Spartak Moscou, da Rússia, onde, de acordo com o jogador, ganharia cinco vezes mais que o pago a ele pelo time porto-alegrense.

Com o desempenho na competição sul-americana, não tenho dúvida de que Luan, campeão olímpico nos Jogos do Rio-2016, está na mira de centros na Europa muito mais relevantes do que a Rússia.

O atacante, aliás, terá a oportunidade de desfilar seu futebol para dezenas de olheiros no Mundial de Clubes da Fifa, que começa na quarta (6). Quem também teria essa oportunidade, Arthur, não terá. Contundido, está fora da competição nos Emirados Árabes Unidos.

Como Matheus Fernandes, o volante gremista de 21 anos está sendo observado pelo Barcelona, segundo o jornal espanhol “Sport”, o que o deixou animado: “Fiquei sabendo que tem pessoas do time deles me observando. Fico feliz pelo trabalho reconhecido. É um grande time de olho em mim”.

Bruno Henrique, do Santos, festeja ao marcar contra o Atlético-PR em Curitiba, pela Libertadores (Heuler Andrey – 5.jul.2017/AFP)

Bruno Henrique, hoje com 26 anos e notadamente o principal destaque do Santos neste ano (8 gols no Brasileiro, 4 na Copa do Brasil, 3 na Libertadores e 3 no Paulista), já teve uma experiência na Europa, discreta. Atuou pelo alemão Wolfsburg em 2016. Há rumores acerca de uma possível transferência para o Monaco, da França.

Não há informações de propostas pelo lateral Zeca, de 23 anos, que está em litígio com o Santos (alega atrasos no pagamento do FGTS) e há indicações de que não jogará mais pelo clube da Baixada Santista. Campeão olímpico na Rio-2016, ele joga tanto na esquerda como na direita. Uma lesão prejudicou seu desempenho em 2017.

O Santos vetou no meio do ano a saída de Lucas Veríssimo para o Nantes (França).  Agora, de acordo com o site Futebol Interior, quem vem à carga para contar com o zagueiro de 22 anos é a Udinese. Caso a negociação vingue, o time italiano pode formar uma dupla de zaga brasuca, já que um de seus titulares hoje é Danilo, que jogou pelo Palmeiras de 2009 a 2011.

Os clubes turcos Fenerbahçe e Besiktas já miraram Dudu, de 25 anos, porém neste momento a possibilidade maior de o Palmeiras perder seu capitão está no futebol chinês. O atacante declarou à ESPN Brasil que surgiram “oportunidades” para se transferir para o país mais populoso do mundo, mas que pretende continuar no time paulistano.

Dudu, capitão do Palmeiras, vibra ao fazer um gol contra o Botafogo no Campeonato Brasileiro, no Allianz Parque (Paulo Whitaker – 20.nov.2016/Reuters)

Resumidamente, essa é a situação de brasileiros que disputaram a Libertadores e estão “prontos para brilhar na Europa”.

Resta esperar a janela de transferências no inverno europeu, em janeiro, para saber se alguns deles (ou todos) vão ou ficam.

Em tempo 1: Quem almeja contratar esses talentos brasileiros precisa bancar a multa rescisória. Eis algumas. Arthur: € 50 milhões. Lucas Veríssimo: € 50 milhões. Zeca: € 50 milhões. Matheus Fernandes: € 35 milhões. Luan: € 18 milhões. No caso do atacante do Grêmio, o valor parece uma pechincha.

Em tempo 2: Os jogadores não brasileiros na lista de Sam Tighe são o zagueiro equatoriano Aimar (22 anos, Barcelona-EQU), o zagueiro chileno Díaz (23 anos, San Lorenzo-ARG), o ala-esquerdo uruguaio Saracchi (19 anos, River Plate-ARG), o meia argentino Fernández (27 anos, River Plate-ARG), o atacante paraguaio Medina (20 anos, Libertad-PAR), o atacante argentino Martínez (24 anos, River Plate-ARG), o atacante equatoriano Preciado (Emelec-EQU), o meia boliviano Chumacero (24 anos, The Strongest-BOL), o volante argentino Marcone (27 anos, Lanús-ARG), o lateral-direito argentino Gómez (24 anos, Lanús-ARG), o meia-atacante equatoriano Cazares (25 anos, Atlético-MG) e o zagueiro colombiano Mina (23 anos, Palmeiras).