Fifa desafia fãs do futebol a acertar a seleção de 2017

Por Luís Curro

Anualmente, desde 2009, a FIFPro (Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol) promove uma eleição que define os melhores jogadores do período.

Esses 11 jogadores (um goleiro, quatro defensores, três meio-campistas e três atacantes) são escolhidos pelos companheiros de profissão: são os próprios futebolistas que votam.

A seleção de 2016 foi a seguinte: Neuer (Alemanha, Bayern de Munique); Daniel Alves (Brasil, Barcelona/Juventus), Piqué (Espanha, Barcelona), Sergio Ramos (Espanha,  Real Madrid) e Marcelo (Brasil, Real Madrid); Kroos (Alemanha, Real Madrid), Modric (Croácia, Real Madrid) e Iniesta (Espanha, Barcelona); Messi (Argentina, Barcelona), Suárez (Uruguai, Barcelona) e Cristiano Ronaldo (Portugal, Real Madrid).

Da dir. para a esq., jogadores escolhidos para a seleção de 2016 da FIFPro: Cristiano Ronaldo, Kroos, Modric, Marcelo, Sergio Ramos, Daniel Alves e Neuer; com eles, os apresentadores do evento da Fifa, o alemão Marco Schreyl e a americana Eva Longoria (Reprodução – 9.jan.2017/Site da Fifa)

A seleção de 2017 será anunciada no dia 23 deste mês, em evento de gala da Fifa em Londres no qual a entidade anunciará, entre outros prêmios, o de melhor jogador do mundo (“The Best”).

Os 11 desse time já estão definidos pelo voto de 24 mil jogadores espalhados pelo mundo. Ou seja, resta apenas esperar pelo anúncio, certo?

Sim, mas há o que fazer até lá, em um passatempo chamado “Predictor” (vidente).

A Fifa convida os fãs de futebol cadastrados em seu site a prever a seleção ideal, no esquema 4-3-3, fazendo a escolha entre 55 atletas listados.

Diz a entidade que aqueles cuja equipe for a mesma a ser anunciada concorrerão a sete prêmios, entre os quais bolas de futebol, camisas e fotos autografadas por Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Neuer e Kroos.

A lista de 55 jogadores inclui os seguintes (entre eles, seis brasileiros):

Goleiros: Buffon (Itália, Juventus), De Gea (Espanha, Manchester United), Oblak (Eslovênia, Atlético de Madri), Navas (Costa Rica, Real Madrid) e Neuer (Alemanha, Bayern de Munique).

Defensores: Daniel Alves (Brasil, Juventus), Carvajal (Espanha, Real Madrid), Valencia (Equador, Manchester United), Lahm (Alemanha, Bayern de Munique), Piqué (Espanha, Barcelona), Thiago Silva (Brasil, PSG), Bonucci (Itália, Juventus), Mascherano (Argentina, Barcelona), Umtiti (França, Barcelona), Sergio Ramos (Espanha, Real Madrid), Pepe (Portugal, Real Madrid), Varane (França, Real Madrid), Boateng (Alemanha, Bayern de Munique), Godín (Uruguai, Atlético de Madri), David Luiz (Brasil, Chelsea), Chiellini (Itália, Juventus), Hummels (Alemanha, Bayern de Munique), Marcelo (Brasil, Real Madrid), Alaba (Áustria, Bayern de Munique) e Jordi Alba (Espanha, Barcelona).

Meio-campistas: Casemiro (Brasil, Real Madrid), Busquets (Espanha, Barcelona), Kanté (França, Chelsea), Matic (Sérvia, Chelsea), Verratti (Itália, PSG), Thiago Alcántara (Espanha, Bayern de Munique), Vidal (Chile, Bayern de Munique), Pogba (França, Manchester United), Kroos (Alemanha, Real Madrid), Modric (Croácia, Real Madrid), Iniesta (Espanha, Barcelona), Özil (Alemanha, Arsenal), Isco (Espanha, Real Madrid), Philippe Coutinho (Brasil, Liverpool) e Hazard (Bélgica, Chelsea).

Atacantes: Messi (Argentina, Barcelona), Cristiano Ronaldo (Portugal, Real Madrid), Neymar (Brasil, Barcelona), Griezmann (França, Atlético de Madrid), Lewandowski (Polônia, Bayern de Munique), Cavani (Uruguai, PSG), Bale (País de Gales, Real Madrid), Suárez (Uruguai, Barcelona), Benzema (França, Real Madrid), Dybala (Argentina, Juventus), Mbappé (França, Monaco), Ibrahimovic (Suécia, Manchester United), Kane (Inglaterra, Tottenham), Lukaku (Bélgica, Everton) e Alexis Sánchez (Chile, Arsenal).

Os times mencionados são os defendidos por cada atleta até o começo da temporada 2017/2018 (Neymar, Lukaku, Mbappé, Matic, Bonucci e Pepe mudaram de equipe, e Lahm se aposentou), e as nacionalidades, a atual de cada um (Thiago Alcántara e Pepe são brasileiros com dupla cidadania).

Eu, não pelos prêmios (que até são bacanas, mas não me interessam), decidi escolher os meus 11 favoritos (é um exercício divertido), os quais compartilho a seguir com o leitor.

Minha seleção de 2017: Buffon; Daniel Alves, Bonucci, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro, Pogba e Hazard; Messi, Cristiano Ronaldo e Mbappé (Reprodução/Site da Fifa)

Eis as justificativas para cada voto que dei.

Buffon (39 anos) – Referência na posição há mais de 15 anos, o italiano teve mais uma excelente temporada, conquistando o título do Italiano e sendo vice-campeão europeu com a Juventus, que perdeu a decisão para o Real Madrid. É titular da seleção italiana.

Daniel Alves (34 anos) – O brasileiro trocou o Barcelona pela Juventus e teve uma rápida adaptação. O esquema com três zagueiros permitiu-lhe mais liberdade ofensiva, e seus três gols e quatro assistências foram importantíssimos na campanha do time vice-campeão na Liga dos Campeões da Europa. É titular da seleção brasileira e hoje está no Paris Saint-Germain.

Bonucci (30 anos) – Muito difícil escolher entre ele e Chiellini, seu colega de Juventus até o término da temporada 2016/2017. Os dois estiveram praticamente no mesmo (muito bom) nível na ótima campanha da Juventus no Italiano e na Champions League. Questão de gosto mesmo, opto por Bonucci – considero-o mais técnico que Chiellini. É titular da seleção italiana e hoje está no Milan.

Sergio Ramos (31 anos) – Continua a ser o zagueiro mais perigoso e decisivo que existe nas bolas aéreas – fez sete gols no Espanhol e um na Liga dos Campeões. É um baita diferencial a seu favor, além da tremenda liderança que possui. Atrás, é seguro, apesar de muitas vezes abusar do jogo violento. Conquistou Espanhol, Champions e Mundial de Clubes. É titular da seleção espanhola.

Marcelo (29 anos) – É praticamente uma unanimidade que o brasileiro é o melhor lateral-esquerdo do mundo. Marca com a eficiência necessária e ataca incessantemente, com vontade, técnica e precisão. Cruza muito bem e é também finalizador. Como Sergio Ramos, conquistou Espanhol, Champions e Mundial de Clubes. É titular da seleção brasileira.

Casemiro (25 anos) – Me surpreende até hoje como Casemiro tornou-se um dos melhores volantes do planeta. Quando atuava no Brasil, pelo São Paulo, tinha dificuldade até para ser titular, pois mostrava-se lento e disperso em muitas partidas. Na Europa, transformou-se em um xerife no meio-campo, pois é um marcador implacável. Também é bom passador e, às vezes, elemento-surpresa no ataque – fez gol na decisão da Liga dos Campeões. Como Sergio Ramos e Marcelo, conquistou Espanhol, Champions e Mundial de Clubes. É titular da seleção brasileira.

X

Pogba (24 anos) – Até outro dia o mais caro jogador de futebol do mundo (foi ultrapassado por Neymar), o francês teve, sem grande divulgação, uma bela temporada pelo Manchester United. Marcou 5 gols e deu 4 assistências no Campeonato Inglês e somou mais 3 gols e 1 assistência na Liga Europa, campeonato vencido pelos Diabos Vermelhos (contra o Ajax) e que lhes renderam vaga na atual Champions League. Na Copa da Liga Inglesa, seu gol contra o Hull City foi determinante para a classificação à final, ganha pelo Man United (contra o Southampton). É titular da seleção francesa.

Hazard (26 anos) – O belga, que parecia ter desaprendido a jogar bola em 2015/2016, quando teve um desempenho pífio, ressurgiu como um dínamo na temporada seguinte e, ao lado de Diego Costa, foi o principal jogador do Chelsea na conquista, com autoridade, do Campeonato Inglês pelos Blues. Marcou 16 gols e somou 5 assistências. É titular da seleção belga.

Messi (30 anos) – O Barcelona não teve uma de suas melhores temporadas, porém o supercraque argentino continua a jogar o fino. Com 37 gols no Campeonato Espanhol, faturou a Chuteira de Ouro pela quarta vez, igualando-se a Cristiano Ronaldo como o maior ganhador do prêmio dado para o principal artilheiro dos campeonatos europeus. Marcou outros 11 na Liga dos Campeões. Ganhou a Copa do Rei. É titular da seleção argentina.

Cristiano Ronaldo (32 anos) – Além de Messi, o CR7 é o outro supercraque desta lista. Por suas atuações nos últimos meses, Cristiano Ronaldo será premiado nos próximos meses com o prêmio “The Best”, da Fifa, e com a Bola de Ouro, da revista “France Football”, dados ao melhor jogador do ano.  Como Sergio Ramos, Marcelo e Casemiro, conquistou Espanhol, Champions (na qual foi o artilheiro, com 12 gols, e contribuiu com 5 assistências) e Mundial de Clubes (no qual foi o artilheiro, com 4 gols em 2 jogos). É titular da seleção portuguesa.

X

Mbappé (18 anos) – A grande revelação de 2017 foi fundamental para o surpreendente Monaco ganhar o Campeonato Francês (marcou 15 gols e somou 8 assistências), quebrando a hegemonia do PSG, e alcançar as semifinais da Champions League, na qual fez seis gols. Tem sido convocado pela seleção francesa.

Esses 11 são os meus preferidos, mas estou certo de que não estarão todos entre os 11 anunciados no dia 23. No meio-campo, dificilmente aparecerão Pogba e Hazard (e sim Modric e Kroos, ou Isco, titulares do Real Madrid campeão europeu), e no ataque deverá figurar Neymar (não Mbappé), mais pela fama do que pelo rendimento e conquistas em campo.

Em tempo: Quer escolher seu time? Se já é cadastrado, basta acessar o site da Fifa e montar seu time (www.fifa.com/the-best-fifa-football-awards/fifa-fifpro-world11/predictor.html). Não tem cadastro? Faça em www.fifa.com/the-best-fifa-football-awards/fifa-fifpro-world11/intro.html, clicando em “Register now”). A participação está aberta até o dia 22.