Neymar deixará o Barça como o 3º maior artilheiro entre os brasileiros

Por Luís Curro

Já que Neymar se recusou, e ainda se recusa, a quebrar em público o silêncio sobre seu futuro, o Barcelona o fez por ele.

O clube da Catalunha emitiu um comunicado nesta quarta (2) no qual informa que “o jogador permanece sob contrato no FC Barcelona, mas com permissão temporária para não participar de sessões de treinamento”.

Na prática, significa que o camisa 11 está de saída do time, é só uma questão de (pouco) tempo. Messi, o melhor jogador do Barça, até já postou vídeo em rede social no qual se despede do companheiro.

O destino de Neymar, conforme se noticiava havia duas semanas (sem haver uma confirmação), será o Paris Saint-Germain, que precisa providenciar o dinheiro da multa rescisória: € 222 milhões (quase R$ 824 milhões).

Feito esse depósito na conta do Barcelona, será o mais alto valor já desembolsado por um futebolista. No meio do ano passado, o Manchester United pagou 53% menos (€ 105 milhões) para tirar da Juventus o meio-campista francês Paul Pogba.

X

Aos 25 anos, Neymar permaneceu quatro temporadas completas no Barcelona. Nesta, que seria sua quinta, atuou em três jogos do torneio amistoso International Champions Cup, nos EUA (e muito bem em todos, com três gols e duas assistências ao todo).

Contando todos os jogos que esteve em campo, incluindo amistosos, ele vestiu a camisa da equipe azul e grená 192 vezes.

Ganhou dois Campeonatos Espanhóis, três Copas do Rei, duas Supercopas da Espanha, uma Liga dos Campeões da Europa, uma Supercopa da Europa e um Mundial de Clubes da Fifa.

Fez no total 112 gols, média de 0,58 por partida.

Essa marca, entre os brasileiros que defenderam o Barcelona, faz de Neymar o terceiro principal artilheiro. Fica atrás de Evaristo de Macedo (178 gols) e de Rivaldo (136 gols).

Veja os números de Neymar na comparação com outros destacados brasucas que atuaram no Barça (os dados são do site do clube):

  • Evaristo de Macedo (1957-1962): 178 gols em 226 jogos (média de 0,79)
  • Rivaldo (1997-2002): 136 gols em 253 jogos (média de 0,54)
  • Neymar (2013-2017): 112 gols em 192 jogos (média de 0,58)
  • Ronaldinho Gaúcho (2003-2008): 110 gols em 250 jogos (média de 0,44)
  • Romário (1993-1994): 53 gols em 82 jogos (média de 0,65)
  • Ronaldo Fenômeno (1996-1997): 47 gols em 51 jogos (média de 0,92)

Evaristo, hoje com 84 anos, já contava com a perda do status. Estava convicto de que Neymar o ultrapassaria, e não via problema nisso.

“Eu acho (que serei ultrapassado), até pela qualidade dele, por ser muito jovem ainda, e porque hoje os times europeus jogam muito mais vezes do que nós jogávamos, então a possibilidade dele me passar é muito grande. Estou olhando isso com muito carinho”, disse em dezembro, em entrevista ao SporTV.

Não vai mais acontecer. A saída de Neymar o impedirá de chegar ao topo, onde o atual ocupante deve continuar por tempo indeterminado.

X

Em tempo 1: Neymar passa a ser persona non grata entre grande parte da torcida do Barcelona, que o considera um “traidor” e um “mercenário”, conforme cartaz exposto em poste perto do Camp Nou, o estádio do clube. Traidor por ter todo o tempo exposto sua satisfação em atuar pelo Barça, renovado contrato até 2021 e, súbito, decidir trocar de camisa. Mercenário por se transferir para um clube que lhe pagará em salário (€ 30 milhões por ano, livres de impostos) mais que o dobro do que recebe atualmente. O brasileiro será o futebolista mais bem pago do planeta.

X

Em tempo 2: Neymar jogará pelo time que “destruiu” há quase cinco meses. Na partida mais memorável que fez pelo Barcelona, o brasileiro, no intervalo de oito minutos (dos 43 aos 50 do 2º tempo), marcou dois gols (um de falta e um de pênalti) e deu passe decisivo para Sergi Roberto marcar o sexto e decisivo gol do time. Com a goleada por 6 a 1, o Barça eliminou o PSG da Liga dos Campeões da Europa, nas oitavas de final, no Camp Nou. Era 8 de março, uma quarta-feira.