Morto aos 66 anos, Waldir Peres teve uma única, porém dolorosa, derrota com a seleção

Por Luís Curro

O ídolo são-paulino Waldir Peres, morto de infarto neste domingo (23) aos 66 anos, atuou 30 vezes pela seleção brasileira, entre jogos oficiais (27) e não oficiais (3).

Amealhou 25 vitórias e 4 empates. A única derrota foi justamente uma das mais doídas da história do time canarinho, na Copa do Mundo de 1982, na Espanha.

Na partida que ficou conhecida como “A Tragédia do Sarriá”, a memorável seleção de Telê Santana perdeu por 3 a 2 para a Itália, três gols de Paolo Rossi, resultado que resultou na eliminação dos brasileiros do Mundial.

Waldir Peres não fez uma grande Copa. Estreou mal, contra a URSS; apenas assistiu à seleção, dominante, golear Escócia e Nova Zelândia; e levou três gols da Squadra Azzurra. Sua única boa atuação aconteceu diante da Argentina, na partida que antecedeu a da eliminação.

No jogo contra a União Soviética, Waldir Peres protagonizou o lance que o marcou para sempre, negativamente.

No primeiro tempo, Bal chutou de longe, despretensiosamente, e o camisa 1 engoliu um dos maiores frangos já vistos em uma Copa – ele tentou segurar a bola e praticamente a jogou para dentro do gol.

Na Copa de 1982, Waldir Peres ficou marcado pelo frangaço contra a URSS (Reprodução/YouTube)

O Brasil sentiu o baque e sofreu, mas virou com gols de Sócrates e e Éder no segundo tempo.

Waldir Peres se lembrava com mágoa da jogada, pois considerava uma injustiça a constante lembrança dela pela mídia – preferia, logicamente, que seus bons momentos na seleção fossem os mencionados.

O frango de Waldir Peres teve um efeito pouco percebido.

Ele usou uniforme todo azul naquele jogo. Depois da falha clamorosa, o aposentou (se por decisão dele ou de um terceiro, não sei). Vestiu camisa cinza e calção preto nos quatro confrontos seguintes.

A superstição (suponho que tenha sido isso, já que o tom daquele azul não causaria confusão com os uniformes de escoceses, neozelandeses e argentinos) funcionou por pouco tempo, até Paolo Rossi, vestindo um azul similar ao do uniforme que Waldir Peres usou contra os soviéticos), mandar a seleção brasileira para casa.

Nos 30 jogos pela seleção, Waldir Peres sofreu 20 gols – média de 0,67. Em 14 desses jogos, não tomou gol.

Na Copa de 1982, contudo, foram 6 gols em 5 partidas – média de 1,2. Só a Nova Zelândia não o vazou.

A derrota para a Itália, no dia 5 de julho de 1982, foi o 30º e último jogo de Waldir Peres pelo Brasil. O primeiro tinha sido a vitória por 2 a 0 sobre o Peru, em 4 de outubro de 1975, pela Copa América, em Lima.

X

Em tempo 1: “Eu joguei 39 partidas como titular da seleção. Perdi a da Itália, só”, disse Waldir Peres em uma entrevista. Aparentemente, ele se enganou na contagem. Para escrever que ele atuou em 30 partidas, usei como fonte a RSSSF, organização que registra estatísticas esportivas. Pois a CBF, a entidade máxima do futebol nacional, não incluiu essa informação (básica, aliás), na nota de pesar que publicou em seu site depois da morte do ex-goleiro.

Em tempo 2: Waldir Peres enfrentou uma vez a seleção brasileira, e não perdeu. Em 1977, no Morumbi, Brasil e Seleção Paulista ficaram no 1 a 1. Leão defendeu o gol da equipe nacional.