Na Copa Ouro, atacante dos EUA é mordido e beliscado, se irrita e depois faz piada

Por Luís Curro

Morder no futebol, no sentido literal, não pode. Você sabe, eu sei e Luis Suárez também sabe.

A mais famosa mordida na história do futebol (mas não na história do esporte) pertence ao atacante uruguaio, que na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, avançou feito um vampiro no ombro esquerdo do beque italiano Giorgio Chiellini.

Mordeu firme, com gosto, em um ato selvagem.

O uruguaio Suárez morde o ombro do italiano Chiellini na Arena das Dunas, em Natal, na Copa do Mundo de 2014 (Reprodução de TV)

Ao ver o lance depois do jogo, a Fifa puniu Luisito, hoje parceiro no Barcelona de Messi e Neymar (do brasileiro, talvez por não muito mais tempo), com nove partidas de suspensão.

Depois desse episódio, não me lembro de ter visto outro similar… até esta semana.

Aconteceu na Copa Ouro, principal torneio entre seleções da Concacaf (entidade que reúne as confederações das Américas do Norte e Central e o Caribe), organizada pelos Estados Unidos.

Na noite de quarta (19), o estádio Lincoln Financial Field, na Filadélfia, abrigava a partida de quartas de final entre EUA e El Salvador.

Decorria o segundo tempo, e os anfitriões venciam com certa tranquilidade, por 2 a 0 (gols no fim do primeiro tempo).

Eis um escanteio para os EUA, e o robusto centroavante Jozy Altidore, de 1,83 m, buscava se posicionar na área salvadorenha, sendo marcado de perto por Henry Romero, de 1,71 m, esquálido e nanico na comparação com o rival.

Perto até demais. Uma das câmeras mostra Romero quase abraçado a Altidore e, súbito, o ataque nas costas. Altidore grita e cai. Mordida, não há dúvida.

Mas a marcação homem a homem de Romero não se limitava ao uso dos dentes caninos e incisivos. Havia outra “técnica”, e essa eu desconhecia.

Nova jogada de bola parada, novamente o salvadorenho grudado no americano e, súbito, a mão esquerda de Romero aperta firme o peito de Altidore, na altura do mamilo. Um beliscão! Dessa vez, o atacante reagiu, dando um tranco que derrubou o carrapato.

Os ânimos ficaram exaltados, porém o árbitro canadense Drew Fischer fez vistas grossas, não expulsou ninguém, e o jogo seguiu.

Altidore, dos EUA, é contido pelo goleiro Carrillo, de El Salvador, depois de dar um safanão em Romero, que momentos antes havia apertado mamilo do atacante, em jogo da Copa Ouro (Matt Rourke – 19.jul.2017/Associated Press)

Depois da partida, Altidore, em vez de se mostrar contrariado, encarou o confronto com Romero com bom humor ao conceder entrevista.

“Minha namorada está louca da vida comigo. E também com Romero. Pois ela é assim: ‘Só eu posso morder você, só eu posso pegar nos seus mamilos’.”, disse o camisa 27, fazendo piada da situação.

Leia também – Altidore é o jogador mais valioso da Copa América, mesmo sem jogar

Companheiro de Altidore na seleção americana, o goleiro Tim Howard aderiu à brincadeira: “Você não pode sair por aí mordendo as pessoas, isso é loucura… Deveriam permitir [torcer os mamilos], mas morder não é legal”.

Se a dupla aparentemente deixou as agressões no passado (sim, foram agressões, e dois pênaltis deixaram de ser marcados), houve quem pediu punição severa a Romero.

O meia-atacante Landon Donovan, considerado o melhor jogador da história dos EUA, espera que a Concacaf seja rígida e aplique uma “longa suspensão” ao salvadorenho.

“É o único jeito de parar com isso”, afirmou o ex-jogador da seleção à agência de notícias Associated Press, referindo-se às atitudes antiesportivas.

“Eu entendo que a Concacaf será dura, já que antes de cada jogo fala aos capitães dos times sobre a importância de agir de modo apropriado, afinal ‘as crianças estão olhando’.”

A Concacaf informou que seu comitê disciplinar analisaria o caso para decidir pela abertura ou não de processo disciplinar.

Espera-se que abra, pois Donovan está certo.

Romero é um mau exemplo. E, se não for punido, os jovens espectadores candidatos a futebolistas podem achar que “o crime compensa” e sair por aí distribuindo dentadas nada agradáveis nos colegas de peleja.

Em tempo 1: A Copa Ouro é realizada desde 1991 e está em sua 14ª edição. O México é o maior vencedor, com 7 conquistas, seguido pelos EUA (5) e pelo Canadá (1). Neste ano, as semifinais serão EUA x Costa Rica, neste sábado (22), e México x Jamaica, no domingo (23). A decisão é daqui a quatro dias.

Em tempo 2: Escrevi no início deste texto que a mordida de Suárez em Chiellini foi a mais famosa no futebol, mas não no esporte, porque há pouco mais de duas décadas, no dia 28 de junho de 1997, ela aconteceu em uma luta de boxe. O americano Mike “Iron” Tyson, em uma noite de fúria em Las Vegas, arrancou com seus dentes pedaço da orelha do compatriota Evander “The Real Deal” Holyfield, em um combate que valia o título mundial da Associação Mundial. Iron Mike foi desclassificado pelo juiz Mills Lane e perdeu o combate.