Reforço do Chelsea diz que clube é o maior e o melhor da Inglaterra; não é

Por Luís Curro

Recém-contratado pelo Chelsea, o volante francês Tiemoué Bakayoko declarou ao ser apresentado, no sábado (15): “Para mim este é o maior clube da Inglaterra, estou muito orgulhoso. Meu desejo era estar no melhor time inglês”.

Não é a primeira vez, nem será a última, que algum jogador, ao chegar a uma nova equipe, tece desmedidos elogios a ela.

Natural. A empolgação do momento leva a esse comportamento, assim como a vontade (autêntica ou não) de agradar aos torcedores e aos dirigentes, demonstrando comprometimento.

Mas o Chelsea é o maior e o melhor clube da Inglaterra, conforme afirma Bakayoko?

A discussão sobre o advérbio “melhor” é até cabível. Pois se pode usar o momento atual para classificar cada time, desconsiderando, ao olhar para trás, o médio e o longo prazo.

O Chelsea é o campeão inglês e ganhou também o campeonato de 2014/2015 – ou seja, venceu duas das três últimas Premier Leagues.

Nesta década, é o único time da Inglaterra a conquistar a Champions League (em 2012, derrotando o Bayern de Munique), o mais badalado interclubes do mundo.

Sob essa ótica, a da atualidade (ou a do passado recente), dá para considerar os Blues a melhor equipe inglesa.

Reforço do Chelsea, o volante Bakayoko, de 22 anos, mostra camisa do time (Reprodução/Site do Chelsea FC)

Porém está errado, e muito, dizer que o Chelsea é o maior clube da Inglaterra. Não é.

O adjetivo “maior”, nesse caso, deve acompanhar o clube que tem mais títulos, mais torcida e mais dinheiro.

Em relação ao número de títulos, não há como fazer frente ao Manchester United.

São 20 no Campeonato Inglês, 3 na Champions League, 1 na Liga Europa (ex-Copa da Uefa), 12 na Copa da Inglaterra, 21 na Supercopa da Inglaterra, 5 na Copa da Liga Inglesa, 1 no Mundial de Clubes, 1 na Copa Intercontinental (Mundial interclubes). Total: 64.

Eis o currículo de outros poderosos ingleses:

– Liverpool: 18 Campeonatos Ingleses, 7 Copas da Inglaterra, 5 Champions Leagues, 3 Ligas Europa, 15 Supercopas da Inglaterra, 8 Copas da Liga Inglesa. Total: 56.

– Arsenal: 13 Campeonatos Ingleses, 13 Copas da Inglaterra, 14 Supercopas da Inglaterra, 2 Copas da Liga Inglesa. Total: 42.

– Chelsea: 6 Campeonatos Ingleses, 7 Copas da Inglaterra, 1 Champions League, 1 Liga Europa, 4 Supercopas da Inglaterra, 5 Copas da Liga Inglesa. Total: 24.

– Manchester City: 4 Campeonatos Ingleses, 5 Copas da Inglaterra, 4 Supercopas da Inglaterra, 4 Copas da Liga Inglesa. Total: 17.

Pogba com o troféu da Liga Europa, um dos três que o clube ganhou na temporada 2016/2017; os outros foram a Supercopa da Inglaterra e a Copa da Liga Inglesa (Michael Dalder – 24.mai.2017/Reuters)

Sobre a quantidade de torcedores, não encontrei nenhuma pesquisa que mostre a popularidade de cada clube na Inglaterra.

Um modo de medir esse item são os números disponíveis nas principais redes sociais.

E o Man United está (bem) à frente da concorrência, no Facebook (73,8 milhões de curtidas), no Instagram (18,3 milhões de seguidores) e no Twitter (12 milhões de seguidores).

Eis os dados de rivais locais:

– Chelsea: Facebook (48 milhões), Instagram (9,7 milhões), Twitter (9 milhões).

– Arsenal: Facebook (38 milhões), Instagram (9,8 milhões), Twitter (10,4 milhões).

– Liverpool: Facebook (30 milhões), Instagram (4,3 milhões), Twitter (7,75 milhões).

– Manchester City: Facebook (25,5 milhões), Instagram (5 milhões), Twitter (4,49 milhões).

Por fim, o poderio financeiro também pode dimensionar a grandeza de uma agremiação.

A receita do Manchester United na temporada 2015/2016 (a mais recente com a publicação dos balanços) foi de 515 milhões de libras (R$ 2,14 bilhões).

No mesmo período, o Manchester City arrecadou £ 392,6 milhões; o Arsenal, £ 350,4 milhões; o Chelsea, £ 334,6 milhões; e o Liverpool, £ 302 milhões.

Esses dados mostram, para quem quiser enxergar sem se deixar influenciar pela paixão clubística ou pelo fator “recência”, que o maior e melhor time da Inglaterra é o Manchester United.

Para chegar aos pés dos Diabos Vermelhos, o Chelsea, e qualquer outro adversário, precisa ganhar mais títulos, angariar mais simpatizantes e captar mais dinheiro.

Leia também: Manchester United fecha a potencial contratação mais cara do futebol

Leia também: Manchester United é o primeiro clube a valer mais de 3 bilhões de libras 

Em tempo: Quem é Bakayoko, que deve formar a dupla de volantes no Chelsea com o ótimo compatriota Kanté? Ele defendia o Monaco, uma das gratas surpresas da temporada 2016/2017: sagrou-se campeão francês, interrompendo uma sequência de quatro conquistas do Paris Sain-Germain, e chegou às semifinais da Liga dos Campeões da Europa, sendo eliminado pela Juventus. O Chelsea o contratou por ‎€ 45 milhões (aproximadamente R$ 164 milhões).