Messi tem retrospecto negativo contra o Brasil

Por Luís Curro

Haverá nesta sexta (9) cedo, às 7h05 no horário de Brasília, mais um Brasil x Argentina, um dos maiores clássicos do futebol mundial.

Será um amistoso em Melbourne, na Austrália. Se bem que, em se tratando de Brasil e Argentina, nenhum jogo pode ser considerado “amistoso”. A rivalidade é imensa e a vitória sempre vale muito, elevando o ego dos jogadores, comissão técnica e torcedores.

Quando se pensa em Brasil x Argentina, hoje se pensa também em Neymar x Messi. Os colegas de Barcelona são os principais jogadores de seus países.

Neymar, entretanto, não joga. Ele ganhou descanso do técnico Tite, e o ataque do Brasil deve ter Willian, Gabriel Jesus e Philippe Coutinho.

O mesmo não aconteceu com Messi, que estará em campo no jogo que marca a estreia de Jorge Sampaoli à frente da seleção alviceleste.

Messi, à frente de Di María, em treinamento em Melbourne, local de amistoso entre Brasil e Argentina (Saeed Khan – 8.jun.2017/AFP)

Eleito cinco vezes o melhor do mundo (2009 a 2012 e 2015), Messi já está no rol dos melhores futebolistas da história, apesar de não haver consenso se ele é superior ao lendário compatriota Diego Maradona.

Temido por todos os seus adversários, Messi, diante do o Brasil, tem histórico de desvantagem. E uma desvantagem ampla.

Desde 2006, ele esteve em campo contra a seleção canarinho oito vezes. Vamos a elas:

  • Setembro de 2006: Brasil 3 x 0 Argentina (Elano, duas vezes, e Kaká) – Amistoso, em Londres
  • Julho de 2007: Brasil 3 x 0 Argentina (Júlio Baptista, Ayala, contra, e Daniel Alves) – Final da Copa América da Venezuela, em Maracaibo
  • Junho de 2008: Brasil 0 x 0 Argentina – Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, em Belo Horizonte
  • Setembro de 2009: Argentina 1 x 3 Brasil (Luís Fabiano, duas vezes, Luisão e Dátolo) – Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, em Rosario
  • Novembro de 2010: Argentina 1 x 0 Brasil (Messi) – Amistoso, em Doha (Qatar)
  • Junho de 2012: Argentina 4 x 3 Brasil (Messi, três vezes, Fernández, Rômulo, Oscar e Hulk) – Amistoso, em East Rutherford (EUA)
  • X
  • Outubro de 2014 – Brasil 2 x 0 Argentina (Diego Tardelli, duas vezes) – Amistoso, em Pequim
  • Novembro de 2016 – Brasil 3 x 0 Argentina (Philippe Coutinho, Neymar e Paulinho) – Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, em Belo Horizonte

Assim, com Messi em campo, a seleção brasileira geralmente se dá bem: cinco vitórias, um empate e duas derrotas.

Só que, nas duas vezes que Messi balançou a rede, os argentinos ganharam – pode ser apenas coincidência, porém até agora tem sido assim.

Nesse intervalo, Brasil e Argentina ainda duelaram outras cinco vezes sem Messi presente, com duas vitórias do Brasil, uma vitória da Argentina e dois empates.

X

Na partida na Austrália, Messi, que costuma recuar para receber a bola e avançar na direção do gol, deve receber o primeiro combate dos meio-campistas Fernandinho, Renato Augusto e Paulinho – os mesmos que atuaram meses atrás, no Mineirão.

Se conseguir passar por eles, terá pela frente, muito possivelmente, o lateral-esquerdo Filipe Luís e os zagueiros Thiago Silva e Gil.

Desses, apenas Thiago Silva, titular no amistoso de 2010 no Qatar, sabe o que é perder com a seleção para Messi.

Leia também – Convocação mostra que Tite se permite estar em dúvida a um ano da Copa