Um resumo da temporada 2016-2017 na Europa; veja seleção de brasucas campeões

Por Luís Curro

Com o triunfo do Real Madrid na Liga dos Campeões, chegou ao fim a temporada 2016/2017 na Europa.

O atacante Cristiano Ronaldo, astro do Real, encerra o período como o grande nome individual, tendo sido o artilheiro do principal interclubes do velho continente (12 gols). No entanto, Messi, do Barcelona, ficou com a Chuteira de Ouro, amealhada pelo jogador que faz mais gols em campeonatos nacionais. Foram 37.

Entre os treinadores, é impossível não dizer que Zinédine Zidane, que comanda o plantel do Real, é o cara do momento. Além da Champions League, guiou o time ao título do Campeonato Espanhol.

X

Em sua primeira temporada com o Manchester United, José Mourinho, mesmo não indo bem na Premier League, faturou três taças: Supercopa da Inglaterra, Copa da Liga Inglesa e Liga Europa – esta última conquista classificou os Diabos Vermelhos para a próxima Champions.

Na Itália, a Juventus manteve sua supremacia, assim como o Bayern de Munique na Alemanha. Supremacia que, na França, o PSG teve interrompida pelo Monaco, campeão pela primeira vez desde 2000.

E os brasileiros?

Neymar continua como o principal expoente. Pelo Barcelona, conquistou a Copa do Rei.

Outros brasucas (24 ao todo, incluindo Diego Costa, que tem dupla cidadania) se sagraram campeões com seus respectivos times nos mais importantes campeonatos nacionais do continente.

Dá até para escalar uma seleção só com esses que triunfaram: Ederson; Daniel Alves, Eric Botteghin, David Luiz e Marcelo; Casemiro, Fabinho e Boschilia; Willian, Jonas e Douglas Costa.

A seguir, como feito na temporada anterior, um resumão dos acontecimentos, país por país.

INGLATERRA

Campeão do Campeonato Inglês: Chelsea (93 pontos, 30 vitórias, 3 empates, 5 derrotas, 85 gols pró, 33 gols contra)

O italiano Antonio Conte, treinador do Chelsea, ergue o troféu da Premier League no estádio do clube, o Stamford Bridge, em Londres (Ian Kington – 21.mai.2007/AFP)

O treinador Antonio Conte, ex-seleção italiana, merece aplausos por reerguer um Chelsea que encerrou desacreditado a temporada 2015/2016. Ele implantou com sucesso o esquema 3-5-2, com Azpilicueta, David Luiz e Cahill formando o trio de beques. O espanhol Marcos Alonso destacou-se na ala esquerda, e o meia-atacante belga Hazard reencontrou seu melhor futebol. O volante francês Kanté se sagrou bicampeão, já que havia triunfado com o Leicester em 2016. Diego Costa, com 20 gols, foi o artilheiro do time.

Brasileiros campeões: David Luiz, Willian, Kenedy e Diego Costa (que tem cidadania espanhola)

Artilheiros: Harry Kane (Tottenham), 29 gols; Lukaku (Everton), 25 gols; Alexis Sánchez (Arsenal), 24 gols

Campeão da Copa da Inglaterra: Arsenal (2 a 1 no Chelsea; Ramsey fez o gol do título)

Campeão da Copa da Liga Inglesa: Manchester United (3 a 2 no Southampton; Ibrahimovic marcou o gol do título)

Campeão da Supercopa da Inglaterra: Manchester United (2 a 1 no Leicester; Ibrahimovic anotou o gol do título)

Classificados para a Liga dos Campeões: Chelsea, Tottenham, Manchester City, Liverpool e Manchester United (campeão da Liga Europa)

Classificados para a Liga Europa: Arsenal e Everton

ESPANHA

Campeão do Campeonato Espanhol: Real Madrid (93 pontos, 29 vitórias, 6 empates, 3 derrotas, 106 gols pró, 41 gols contra)

Na praça de Cibeles, na capital da Espanha, jogadores do Real Madrid festejam em carro aberto o 33º título do time no Espanhol (Paul Hanna – 22.mai.2017/Reuters)

Em disputa acirrada com o Barcelona até a rodada final, o Real Madrid voltou a ser campeão depois de cinco anos de jejum, intervalo em que o arquirrival comemorou três vezes. Mesmo desfalcado do galês Bale, que esteve lesionado em parte do campeonato, o técnico Zidane deu equilíbrio ao Real, que se viu menos dependente do português Cristiano Ronaldo. Isco, que ocupou o espaço deixado por Bale, Benzema e o reserva Álvaro Morata destacaram-se na frente, e o meio-campo formado por Casemiro, Modric e Kroos mostrou rara excelência. Foi o 33º título do Real – o Barça tem 24.

Brasileiros campeões: Marcelo, Casemiro e Danilo

Artilheiros: Messi (Barcelona), 37 gols; Suárez (Barcelona), 29 gols; Cristiano Ronaldo (Real Madrid), 25 gols

Campeão da Copa do Rei: Barcelona (3 a 1 no Alavés, gols de Messi, Neymar e Paco Alcácer; Theo fez para o Alavés)

Campeão da Supercopa da Espanha: Barcelona (derrotou o Sevilla nas duas partidas: 2 a 0 fora e 3 a 0 em casa; Neymar, servindo a seleção olímpica, não atuou)

Classificados para a Liga dos Campeões: Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madri e Sevilla

Classificados para a Liga Europa: Villarreal, Real Sociedad e Athletic Bilbao

ALEMANHA

Campeão do Campeonato Alemão: Bayern de Munique (82 pontos, 25 vitórias, 7 empates, 2 derrotas, 89 gols pró, 22 gols contra)

O capitão do Bayern, Phillip Lahm, que se aposentou ao término da temporada, posa com o troféu da Bundesliga na Marienplatz, em Munique (Tobias Hase – 20.mai.2017/Associated Press)

O Bayern ampliou sua hegemonia na Bundesliga. São agora cinco conquistas consecutivas, e a diferença de qualidade para as demais equipes continua gritante. Sob o comando de Carlo Ancelotti, o time de Munique somou 82 pontos (foram somente duas derrotas), 15 a mais que o vice-campeão, o surpreendente Leipzig, que chegou a liderar a competição por algumas rodadas. O elenco do Bayern se mantém em um nível muito superior à concorrência, e a equipe iniciará a próxima temporada novamente com amplo favoritismo. O Bayern chegou a seu 27º título – o Nurenberg tem 9.

Brasileiros campeões: Douglas Costa e Rafinha

Artilheiros: Aubameyang (Borussia Dortmund), 31 gols; Lewandowski (Bayern), 30 gols; Modeste (Colonia), 25 gols

Campeão da Copa da Alemanha: Borussia Dortmund (2 a 1 no Eintracht Frankfurt; Aubameyang fez, de pênalti, o gol da vitória)

Campeão da Supercopa da Alemanha: Bayern de Munique (2 a 0 no Borussia Dortmund, gols de Vidal e Thomas Müller)

Classificados para a Liga dos Campeões: Bayern, Leipzig, Borussia Dortmund e Hoffenheim

Classificados para a Liga Europa: Colonia, Hertha Berlin e Freiburg

ITÁLIA

Campeão do Campeonato Italiano: Juventus (91 pontos, 29 vitórias, 4 empates, 5 derrotas, 77 gols pró, 27 gols contra)

O lateral brasileiro Daniel Alves admira a taça da Série A, conquistada pela Juventus (Filippo Monteforte – 21.mai.2017/AFP)

Pela primeira vez um clube italiano é seis vezes campeão nacional consecutivamente. O hexa da Juventus veio com a mesma base que faturou o penta, com a liderança do capitão Buffon e tendo como principais novidades Daniel Alves na ala direita e o argentino Higuaín de centroavante. Como um “relógio”, a equipe dirigida por Massimiliano Allegri teve exatamente o mesmo número de pontos, vitórias, empates e derrotas da temporada 2015/2016. A Juventus tem agora 33 títulos – Milan e Inter de Milão, 18 cada um. Para que o sucesso na temporada tivesse sido maior, faltou ganhar a Champions League – a Juve não foi páreo para o Real Madrid.

Brasileiros campeões: Daniel Alves, Alex Sandro e Neto

Artilheiros: Dzeko (Roma), 29 gols; Mertens (Napoli), 28 gols; Belotti (Torino), 26 gols

Campeão da Copa da Itália: Juventus (2 a 0 na Lazio, gols de Daniel Alves e Bonucci)

Campeão da Supercopa da Itália: Milan (4 a 3 na Juventus, nos pênaltis, após 1 a 1 no tempo normal; o croata Pasalic anotou o pênalti decisivo)

Classificados para a Liga dos Campeões: Juventus, Roma e Napoli

Classificados para a Liga Europa: Atalanta, Lazio e Milan

FRANÇA

Campeão do Campeonato Francês: Monaco (95 pontos, 30 vitórias, 5 empates, 3 derrotas, 107 gols pró, 31 gols contra)

Jogadores do Monaco celebram no estádio Luís 2º, no principado, o título da Ligue 1 (Claude Paris – 17.mai.2017/Associated Press)

Com um ataque avassalador, de mais de 100 gols (superando o do Real Madrid e ficando atrás só do do Barcelona nas principais ligas da Europa), o time do treinador português Leonardo Jardim rompeu o reinado do Paris Saint-Germain, que tinha vencido o campeonato de 2013 a 2016. Mais que isso, revelou para o mundo um teenager que tem tudo para fazer sucesso estrondoso nos anos vindouros: o atacante francês Mbappé, de apenas 18 anos, que está na mira dos grandes clubes do futebol europeu e, não duvido, pode se tornar a transferência mais cara da história. O Monaco é campeão pela oitava vez – o Saint-Étienne tem dez títulos.

Brasileiros campeões: Fabinho, Jemerson, Boschilia e Jorge

Artilheiros: Cavani (PSG), 35 gols; Lacazette (Lyon), 28 gols; Falcao (Monaco), 21 gols

Campeão da Copa da França: PSG (1 a 0 no Angers, com gol contra de Cissokho nos acréscimos do segundo tempo)

Campeão da Copa da Liga da França: PSG (4 a 1 no Monaco; Cavani, duas vezes, Draxler e Di María marcaram para os campeões, e Lemar fez o gol do vice-campeão)

Campeão da Supercopa da França: PSG (4 a 1 no Lyon; Pastore, Lucas Moura, Ben Arfa e Kurzawa fizeram os gols da equipe de Paris; Tolisso descontou)

Classificados para a Liga dos Campeões: Monaco, PSG e Nice

Classificados para a Liga Europa: Lyon, Olympique de Marselha e Bordeaux

PORTUGAL

Campeão do Campeonato Português: Benfica (82 pontos, 25 vitórias, 7 empates, 2 derrotas, 72 gols pró, 18 gols contra)

Ao lado do compatriota Júlio César (à dir.), o goleiro brasileiro Ederson, do Benfica, segura o troféu de campeão português (Pedro Rocha – 13.mai.2007/Associated Press)

Benfica e Porto travaram boa disputa por dois terços do campeonato; depois, o time da capital desgarrou, aproveitando-se de tropeços do rival, que acumulou uma derrota e cinco empates na reta final. O Benfica, campeão seguidamente desde 2014, tem agora 36 títulos, 0ito a mais que o Porto.

Brasileiros campeões: Ederson, Júlio César, Luisão, Jardel, Marcelo Hermes, Filipe Augusto e Jonas

Artilheiros: Bas Dost (Sporting), 34 gols; Tiquinho (Porto), 19 gols; Mitroglou (Benfica), 16 gols

Campeão da Taça de Portugal: Benfica (2 a 1 no Vitória de Guimarães; Jiménez e Salvio marcaram para os benfiquistas)

Campeão da Copa da Liga de Portugal: Moreirense (1 a 0 no Braga, gol do brasileiro Cauê, batendo pênalti)

Campeão da Supercopa de Portugal: Benfica (3 a 0 no Braga, gols de Cervi, Jonas e Pizzi)

Classificados para a Liga dos Campeões: Benfica, Porto e Sporting

Classificados para a Liga Europa: Vitória de Guimarães, Braga e Marítimo

HOLANDA

Campeão do Campeonato Holandês: Feyenoord (82 pontos, 26 vitórias, 4 empates, 4 derrotas, 86 gols pró, 25 gols contra)

Com o filho nos ombros, o atacante Dirk Kuyt, capitão do Feyenoord, comemora o título da Eridivisie (Gong Bing – 14.mai.2017/Xinhua)

Com um brasileiro no elenco (o zagueiro central Eric Botteghin), o Feyenoord, de Roterdã, encerrou um jejum que perdurava desde 1999 e conquistou a Eridivisie. A vantagem para o segundo colocado, o Ajax, foi de somente um ponto. Esse é 0 15º título do time – o Ajax tem 33.

Brasileiro campeão: Eric Botteghin

Artilheiros: Jorgensen (Feyenoord), 21 gols; Van Wolfswinkel (Vitesse), 21 gols; Armenteros (Heracles Alemlo) e Ghoochannejhad (Heerenveen), 19 gols

Campeão da Copa da Holanda: Vitesse (2 a 0 no AZ Alkmaar, com dois gols deVan Wolfswinkel

Campeão da Supercopa da Holanda: PSV (1 a 0 no Feyenoord, gol de Pröpper

Classificados para a Liga dos Campeões: Feyenoord e Ajax

Classificados para a Liga Europa: PSV, Utrecht e Vitesse

OUTROS CAMPEÕES

Áustria – Salzburg

Bélgica – Anderlecht

Bulgária – Ludogorets

Dinamarca – Copenhague

Escócia – Celtic

Grécia – Olympiacos

Hungria – Honvéd

Polônia – Légia Varsóvia

República Tcheca – Slavia Praga

Romênia – Vitorul Cosntanta (1º título)

Rússia – Spartak Moscou

Suíça – Basel

Turquia – Besiktas

Ucrânia – Shakhtar Donetsk