Cinco brasileiros para ficar de olho nas oitavas da Champions League

Por Luís Curro

Depois de um hiato de dois meses e uma semana, a Liga dos Campeões, o mais importante interclubes da Europa, recomeça nesta terça (14) com os dois primeiros confrontos das oitavas de final: Paris Saint-Germain x Barcelona e Benfica x Borussia Dortmund.

Tudo de agora em diante são mata-matas (ida e volta) até a finalíssima, que será em jogo único no dia 3 de junho, no Millennium Stadium, em Cardiff (País de Gales).

O atual campeão é o Real Madrid, também o maior vencedor da competição disputada desde 1955/1956, com 11 títulos. O Milan tem sete, e Bayern de Munique, Barcelona e Liverpool, cinco cada um.

Os demais duelos das oitavas são Real Madrid x Napoli, Bayern de Munique x Arsenal, Bayer Leverkusen x Atlético de Madri, Manchester City x Monaco, Porto x Juventus e Sevilla x Leicester.

Nos elencos desses 16 clubes há um total de 44 brasileiros, e “O Mundo é uma Bola” apresenta alguns que merecem atenção especial.

Neymar (25 anos, Barcelona-ESP)

Sempre é preciso, e geralmente é agradável devido ao seu futebol alegre e inventivo, estar de olho em Neymar, o único craque do Brasil na atualidade.

O mata-mata da Champions League é mais uma oportunidade para o ex-santista tentar obter um pouco mais de protagonismo no trio MSN – claramente ele hoje ocupa o lugar mais baixo do pódio, bem atrás do argentino Messi e um tanto atrás do uruguaio Suárez.

Os números da temporada 2015/2016 até aqui, somando Campeonato Espanhol e Liga dos Campeões, mostram o seguinte:

  • Messi com 27 gols (10 deles na Champions), 6 assistências e três cartões amarelos;
  • Suárez com 20 gols (2 deles na Champions), 9 assistências e seis cartões amarelos;
  • Neymar com 8 gols (2 deles na Champions), 14 assistências e oito cartões amarelos.

Neymar não está mal (pelo contrário, está bem, especialmente nos passes para gols), porém poderia estar melhor. Para buscar ser o melhor do mundo terá de, além de perpetuar seu lado garçom, ser mais goleador.

O atacante Neymar, do Barcelona, tem dois gols e sete assistências nesta Liga dos Campeões (Miguel Morenatti -  29.jan.2017/Associated Press)
Neymar tem dois gols e sete assistências nesta Liga dos Campeões (Miguel Morenatti – 29.jan.2017/Associated Press)

Gabriel Jesus (19 anos, Manchester City-ING)

Seria a primeira oportunidade de o ex-palmeirense exibir seu talento em uma competição europeia.

Seria? Sim, uso o condicional porque nesta segunda (13) Gabriel Jesus machucou o pé e teve de ser substituído no começo do jogo contra o Bournemouth no Campeonato Inglês.

Exames nesta terça (14) determinariam a gravidade da lesão e se ele terá ou não chance de atuar contra o Monaco – o duelo de ida é na semana que vem.

Tomara que não seja grave e Gabriel Jesus esteja em campo. Assim também pensa o treinador do Manchester City, Pep Guardiola, que depois da vitória por 2 a 0 declarou: “Ele teve muito azar. Rezarei para que não seja grave”.

Apesar de ter um atacante de primeiríssimo nível à disposição (o argentino Agüero), Guardiola deposita grande esperança no “menino Jesus”, que no penúltimo jogo City marcou um gol nos acréscimos do 2º tempo que significou a vitória por 2 a 1 sobre o Swansea.

Gabriel Jesus machucou o tornozelo na partida diante do Bournemouth (Peter Nicholls - 13.fev.2017/Reuters)
Gabriel Jesus machucou o tornozelo na partida diante do Bournemouth (Peter Nicholls – 13.fev.2017/Reuters)

Marquinhos (22 anos, PSG-FRA)

Eis um teste de fogo para o ex-corintiano.

O beque, que como Neymar e Gabriel Jesus faturou o ouro olímpico nos Jogos do Rio de Janeiro no ano passado, terá que jogar seu melhor futebol para parar um dos melhores trios de ataque da história do futebol, o MSN: Messi-Suárez-Neymar.

E isso sem a ajuda do experiente Thiago Silva, capitão do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira na Copa de 2014, que está com dores musculares e não foi relacionado para a primeira partida do mata-mata.

Com o compatriota de 32 anos afastado, Marquinhos terá a seu lado outro atleta jovem como ele: o francês Kimpembe, de 21 anos.

Até hoje, não teve sucesso nos confrontos com o time da Catalunha. Enfrentou-o três vezes na edição 2014/2015, uma na primeira fase e duas nas quartas de final – quando o PSG foi eliminado. Nessas partidas, a equipe de Paris levou ao todo sete gols (um de Messi, dois de Suárez e quatro de Neymar).

Marquinhos não terá a companhia de Thiago Silva diante do trio MSN (Nicolas Tucat - 10.fev.2017/AFP)
Marquinhos não terá a companhia de Thiago Silva diante do trio MSN (Nicolas Tucat – 10.fev.2017/AFP)

Ederson (23 anos, Benfica-POR)

Ederson deveria ter estado na equipe olímpica do Brasil na Rio-2016, porém o Benfica não o liberou.

Cria do São Paulo, no Benfica desde os 15 anos e com passagem pelo Rio Ave, também de Portugal, ganhou a posição de Júlio César, de 37 anos (titular do Brasil nas Copas do Mundo de 2010 e de 2014), na temporada passada.

Nesta Liga dos Campeões, defendeu um pênalti contra o Dínamo de Kiev (Ucrânia) que assegurou, em novembro, a vitória do Benfica por 1 a 0.

No confronto com o Borussia Dortmund ele deve ser muito exigido, já que o ataque do time alemão, com o superartilheiro Aubameyang, é perigoso e eficiente. Desde novembro a equipe jogou 18 vezes e sempre balançou as redes ao menos uma vez.

Caso o Benfica avance, tem boa chance de figurar em futuras convocações da seleção brasileira – até porque o atual titular, Alisson, tem momentos de instabilidade.

Ederson deixou o veterano Júlio César na reserva do Benfica  (Tobias Schwarz - 5.abr.2016/AFP)
Ederson deixou o veterano Júlio César na reserva do Benfica (Tobias Schwarz – 5.abr.2016/AFP)

Mariano (30 anos, Sevilla-ESP)

O ex-lateral-direito do Fluminense jamais teve uma chance na seleção brasileira, mas seu futebol é digno de reconhecimento na Europa.

Depois de atuar pelo francês Bordeaux por quatro temporadas (de 2011 a 2015), tendo ganhado a Copa da França em 2013, transferiu-se para o Sevilla, onde conquistou a Liga Europa do ano passado.

Nesta Liga dos Campeões, atuou nas seis partidas da equipe comandada pelo argentino Jorge Sampaoli (foi titular em cinco) e soma duas assistências.

É firme da marcação e sabe apoiar o ataque. Como neste momento a seleção brasileira carece de ótimos jogadores na posição, vale Tite dar uma observada nele.

Mariano festeja gol pelo Sevilla em jogo da Liga Europa do ano passado (Cristina Quicler - 5.mai.2016/AFP)
Mariano festeja gol pelo Sevilla em jogo da Liga Europa do ano passado (Cristina Quicler – 5.mai.2016/AFP)

Outros que merecem ser observados, pois já defenderam ou defendem a seleção brasileira:

  • o zagueiro Thiago Silva, o atacante Lucas Moura e o lateral-esquerdo Maxwell, todos do PSG (o primeiro, lesionado, está fora da partida desta terça; o segundo tem sido titular da equipe; o terceiro disputa posição com Kurzawa);
  • o lateral-esquerdo Marcelo, o volante Casemiro e o lateral-direito Danilo, todos do Real Madrid (os dois primeiros são titulares, e o último disputa posição com Carvajal);
  • o atacante Jonas (titular do Benfica);
  • o meia-atacante Rafinha (vinha sendo titular do Barcelona até uma contusão muscular e, na sequência, uma fratura no nariz);
  • o volante Fernandinho (titular do Manchester City);
  • o lateral-direito/volante Fabinho (titular do Monaco);
  • o lateral-direito Daniel Alves e o lateral-esquerdo Alex Sandro, ambos da Juventus (o primeiro, recuperado de fratura na fíbula, disputa posição com Lichtsteiner; o segundo é titular)
  • o lateral-esquerdo Filipe Luís (titular do Atlético de Madri).

Em tempo: O time nas oitavas de final da Champions League que tem mais brasileiros é o português Benfica (8), com oito, sendo três deles (Ederson, o zagueiro Luisão e o atacante Jonas) titulares. O alemão Borussia Dortmund e o inglês Leicester não contam com nenhum jogador brasuca em suas fileiras.