Bayern multará estrangeiro que não falar alemão

Por Luís Curro

Equipe recheada de estrangeiros (são 13, de oito países, no elenco de 24 futebolistas), o Bayern de Munique, da Alemanha, decidiu que todos devem falar a língua local.

Caso os jogadores de outros países não se dediquem a aprender alemão e ter fluência no idioma, estarão sujeitos a pagar multas.

O aviso partiu do presidente do time, Ulrich “Uli” Hoeness, de 64 anos, ex-atacante do Bayern e da seleção germânica.

O presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, discursa para acionistas do clube (Christof Stache - 25.nov.2016/AFP)
O presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, discursa para acionistas do clube (Christof Stache – 25.nov.2016/AFP)

De acordo com ele, falar alemão é crucial para a integração dos atletas.

“O idioma principal no vestiário dever ser o alemão, ou haverá panelinhas”, afirmou Hoeness à revista “Sport Bild”, de Hamburgo. “Deve ser uma regra os jogadores falarem alemão. Se não, pagarão (multa). É o jeito mais fácil de funcionar.”

O dirigente considera que aqueles que não se preocupam em dominar o alemão usam o Bayern tão somente como um meio para alavancar suas carreiras. E citou o caso do atacante francês Ribéry, que desembarcou em Munique em 2007.

“Ao chegar, Franck Ribéry nos viu primeiramente como um trampolim. Depois ele se deu conta da importância do Bayern e aprendeu alemão. Esse é o caminho.”

O técnico Ancelotti (italiano) e o atacante Ribéry (francês) são exemplos de estrangeiros do Bayern que falam alemão (Christof Stache - 6.nov.2016/AFP)
O técnico Ancelotti (italiano) e o atacante Ribéry (francês) são exemplos de estrangeiros do Bayern que falam alemão (Christof Stache – 6.nov.2016/AFP)

Alguns jogadores, entre eles o brasileiro Douglas Costa, o francês Coman e o português Renato Sanches estariam tendo dificuldades para se expressar em alemão e teriam, conforme o desejo de Hoeness, se esforçar mais para escapar de punições financeiras.

Os atacantes Douglas Costa (26 anos) e Coman (20 anos) estão no Bayern desde a metade de 2015. O meia Renato Sanches (19 anos), campeão da Eurocopa da França e eleito o melhor jogador jovem de 2016 pelo jornal “Tuttosport”, desde a metade do ano passado.

Hoeness quer que eles tomem como exemplo, o treinador do time, o italiano Carlo Ancelotti, que assumiu o comando do time há cerca de sete meses, em substituição ao espanhol Pep Guardiola, e já domina o idioma. “Estou impressionado com ele. Comunicação é importante para o técnico, mas também mostra o que você pode fazer se realmente deseja algo.”

O que se entende, pelo discurso do presidente, é que ele considera relaxados ou desinteressados (eufemismos para preguiçosos) os atletas que não dão a devida atenção a aprender alemão.

E que os tempos de tolerância a esse descaso ficaram para trás.

Em tempo: Dizem que a linguagem do futebol é universal, e é possível que um jogador que não fale fluentemente o idioma do país em que atua possa obter destaque. Porém, na maioria dos casos, ele precisa jogar bem acima da média. Caso, no Bayern, do próprio Douglas Costa, jogador de qualidades muito específicas (canhoto, veloz e driblador, além de cruzar muito bem e ter bom chute). A boa comunicação, contudo, é essencial para que o rendimento do jogador seja melhor, especialmente na questão tática (orientações do treinador) e no entendimento com os colegas em campo (combinações de jogadas).