Os caras de Tite – Turma final de 2016: não há reprovados

Por Luís Curro

Substituto de Dunga na seleção brasileira desde o meio do ano, Tite reergueu o escrete.

A equipe, de sexta colocada nas eliminatórias sul-americanas para a Copa da Rússia-2018, assumiu a liderança depois de seis partidas e seis vitórias sob o comando do ex-treinador do Corinthians.

Dos nomes na última lista de Tite (para as jogos de novembro contra a Argentina, 3 a 0, e o Peru, 2 a 0), 11 estiveram na derradeira convocação de Dunga, para a Copa América dos EUA, em junho.

X
X
X

Perderam a vaga: Marcelo Grohe e Diego Alves (goleiros), Fabinho (lateral direito), Douglas Santos (lateral esquerdo), Elias e Walace (volantes), Ganso (meia) e Lucas Moura, Jonas, Hulk e Gabriel “Gabigol” (atacantes).

Foram mantidos: Alisson (goleiro), Daniel Alves (lateral direito), Miranda, Gil, Rodrigo Caio e Marquinhos (zagueiros), Filipe Luís (lateral esquerdo), Renato Augusto e Lucas Lima (meias) e Philippe Coutinho e Willian (meias-atacantes).

Ganharam a vaga: Alex Muralha e Weverton (goleiros), Fagner (lateral direito), Thiago Silva (zagueiro), Marcelo (lateral esquerdo), Fernandinho e Paulinho (volantes), Giuliano (meia), Gabriel Jesus e Roberto Firmino (atacantes).

Ou seja, a renovação na atual seleção é de 45% (quase a metade) na comparação com a equipe anterior, com duas observações a serem feitas.

1) Douglas Costa e Neymar, que estiveram na mais recente convocação de Tite, eram atletas nos quais Dunga confiava, mas não participaram da Copa América por diferentes razões: o primeiro estava machucado, e o segundo, devido a acordo da CBF com o Barcelona, ficou fora para poder atuar na Olimpíada do Rio.

2) No jogo diante do Peru, o último da seleção em 2016, Tite incluiu Fábio Santos no lugar de Marcelo, que estava suspenso.

X

Entre os que se mantiveram e os que chegaram, todos encerram o ano em situação de aprovação, diferentemente do constatado no final de 2015, quando, de 23 nomes, seis foram “reprovados”.

Desta vez, não há seta para baixo (“em baixa”), somente seta para cima (“em alta”) e nenhuma seta (“nem em alta nem em baixa”).

Entre os que estão sem seta, avalio que apenas um tem de se preocupar seriamente em perder um lugar no elenco de Tite: o santista Lucas Lima.

Os próximos jogos pelo qualificatório da América do Sul serão no fim de março, contra Uruguai (vice-líder, com 23 pontos, quatro a menos que o Brasil), fora, e Paraguai (sétimo colocado, com 15 pontos), em casa.

Goleiros

Alisson (24 anos) – Transferiu-se para a Roma no meio do ano e viu da Europa seu antigo clube, o Internacional, ser rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Mesmo sendo reserva do polonês Szczesny na equipe italiana, manteve o status de titular na seleção de Tite. Instável em alguns jogos com Dunga, passou a mostrar segurança com Tite e atualmente não corre risco de perder a vaga.

Alisson festeja o segundo gol do Brasil contra o Peru na vitória por 2 a 0 em Lima (Mariana Bazo - 15.nov.2016/Reuters)
Alisson festeja o segundo gol do Brasil contra o Peru na vitória por 2 a 0 em Lima (Mariana Bazo – 15.nov.2016/Reuters)

↑ Weverton (29 anos) – Termina o ano em alta, o que lhe proporciona ótima chance de continuar a ser chamado por Tite em 2017. Com a contusão de Fernando Prass (Palmeiras), herdou o posto de titular da seleção olímpica que faturou em agosto a inédita medalha de ouro. Além disso, seu time, o Atlético-PR, fez um Brasileiro muito bom e se classificou para a Libertadores.

↑ Alex Muralha (27 anos) – O Flamengo andou tendo problemas nos últimos anos no gol, e a chegada de Alex Muralha parece ter sido a solução. Suas defesas ajudaram o Flamengo a levar só 35 gols em 38 jogos no Brasileiro-2016 (tinham sido 53 em 38 partidas na edição anterior) e acabar o campeonato em terceiro lugar. Assim como Weverton, disputará a Libertadores; assim como Weverton, é boa opção para substituir Alisson, caso necessário.

Minha opinião: Não consigo confiar em Alisson (que acha que sabe jogar com os pés, mas está longe de saber); espero estar errado, mas o vejo falhando em algum momento crucial. É mais seguro jogar um dos outros dois.

Laterais direitos

↑ Daniel Alves (33 anos) – Teve um 2016 surpreendentemente bom. Depois de se sagrar campeão espanhol, encerrou um longo ciclo de oito temporadas no Barcelona e transferiu-se para a Juventus, da Itália, onde teve adaptação rápida. Na falta de um talento mais jovem para a posição, Tite vai mantendo ali Daniel Alves e sua experiência – e tem dado certo.

Fagner (27 anos) – Depois de o Corinthians perder Tite para a seleção, perdeu também o alto padrão de jogo que costumava ter, tanto que os treinadores não duraram (Cristóvão Borges e Oswaldo de Oliveira foram demitidos), e Fagner também viu seu rendimento cair. Continua, porém, com crédito com Tite e, caso Daniel Alves não se recupere a tempo de lesão (fratura na fíbula) até março, deve ser o titular nas eliminatórias.

Minha opinião: Há carência de laterais direitos de qualidade. Na ausência de Daniel Alves, ainda o melhor apesar da idade, eu convocaria e escalaria Zeca (Santos), que jogas nas duas laterais.

Zagueiros

↑ Miranda (32 anos) – Repito o que escrevi antes: já fui mais fã de Miranda, que era um dos principais homens de confiança de Dunga (foi o capitão na ausência de Neymar). Em jogos da Inter de Milão, não é incomum levar desvantagem no mano a mano na disputa com os atacantes. Na seleção, contudo, não tem falhado – com Tite, incrível, as falhas de quase todos desapareceram. Miranda continua titular e prestigiado.

↑ Marquinhos (22 anos) – Desbancou Gil e forma com Miranda a dupla titular da seleção. Jovem e sóbrio, posiciona-se bem e mostra um futebol de muito futuro. Nada indica que perderá a vaga, apesar de ter falhado recentemente em alguns gols de adversários do Paris Saint-Germain no Campeonato Francês.

Gil (29 anos) – Mesmo tendo perdido o lugar entre os titulares para Marquinhos, não dá para considerar Gil “em baixa”. Tite o conhece bem, dos tempos de Corinthians, e deposita grande confiança no beque. É verdade que a equipe chinesa que Gil defende teve um péssimo ano (o Shandong Luneng foi o 14º e antepenúltimo colocado no campeonato local), porém o atleta deve permanecer no grupo das eliminatórias, ao menos por ora.

Thiago Silva (32 anos) – Um dos zagueiros mais respeitados na Europa, o capitão da seleção na Copa de 2014, marginalizado por Dunga, voltou a ter chance. Tem sido reserva e terá de mostrar paciência e eventualmente resignação com essa condição. Para mim, é mais jogador que Miranda, Marquinhos e Gil. Entretanto, assim como seu colega de PSG, não teve um fim de ano tão bom na equipe francesa – antes uma fortaleza, a defesa do time parisiense vem falhando nos últimos jogos.

Rodrigo Caio (23 anos) – Formou com Marquinhos a dupla de zaga titular na conquista do ouro nos Jogos Olímpicos. Uma de suas vantagens é a versatilidade. Além de zagueiro, pode atuar como primeiro volante.

Minha opinião: Nem Miranda, nem Gil, nem Marquinhos, nem Rodrigo Caio me enchem os olhos. Gostaria de ver novamente juntos Thiago Silva e David Luiz (que desde que voltou ao Chelsea passou a ser menos estabanado), a dupla titular da Copa de 2014 – no 7 a 1, é essencial lembrar, Thiago Silva não jogou por estar suspenso.

Laterais esquerdos

Marcelo (28 anos) – Uma das aberrações de Dunga foi ter desprezado o jogador – não há melhor que ele na posição no Brasil nem no mundo. Felizmente, Tite é admirador do futebol de Marcelo, que em 2016 ganhou Liga dos Campeões da Europa, Supercopa da Europa e Mundial de Clubes da Fifa. Joga em um supertime, é verdade – que é um supertime também por causa dele.

Marcelo aponta para Casemiro no pódio em Yokohama, onde o Real Madrid ganhou o Mundial de Clubes da Fifa (Shizuo Kambayashi - 18.dez.2016/Associated Press)
Marcelo aponta para Casemiro no pódio em Yokohama (Japão), onde o Real Madrid ganhou o Mundial de Clubes da Fifa (Shizuo Kambayashi – 18.dez.2016/Associated Press)

Filipe Luís (31 anos) – Titular com Dunga, o lateral do Atlético de Madri voltou para a reserva com Tite, o que não significa desprestígio. Ele não tem todos os predicados de Marcelo, mas, como o jogador do Real tem propensão a lesões, há chance de reassumir a titularidade a qualquer momento. Filipe Luís, alíás, é o lesionado da vez (coxa).

Minha opinião: Marcelo é o melhor do planeta na posição – a combinação ofensiva com Neymar deixará qualquer rival em maus lençóis durante todo o jogo. Filipe Luís é um reserva adequado, muito bom marcador e apoiador de médio para bom. O Brasil está bem servido nessa lateral. Caso um deles se machuque, Jorge, do Flamengo, merece uma chance.

Volantes

↑ Fernandinho (30 anos) – Aproveitou-se de contusão de Casemiro, até então o primeiro volante preferido de Tite, para mostrar que tem condição de lutar por espaço entre os titulares. Porém ele rende mais, e as atuações no Manchester City são uma comprovação, como segundo volante, com mais liberdade para avançar.

↑ Paulinho (28 anos) – Desacreditado depois de uma Copa de 2014 ruim, na qual acabou relegado à reserva, foi jogar na China e acabou esquecido por Dunga, que preferia Elias (ou Fernandinho) para a função de segundo volante. Tite o resgatou, e o atleta tem correspondido à altura. Reencontrou o ótimo futebol da época de Corinthians.

Minha opinião: Casemiro voltou a atuar pelo Real Madrid, tendo sido campeão mundial de clubes três dias atrás, o que cria um “bom problema” para Tite. Fernandinho será mantido ou voltará para a reserva? Pois Paulinho não sai do time.

Meias

↑ Renato Augusto (28 anos) – Terminou 2015 em alta com Dunga e continua com enorme crédito neste final de 2016. Fez parte do time ouro olímpico no Rio e atualmente é difícil pensar em uma seleção sem as qualidades que Renato Augusto dá a ela, especialmente na distribuição precisa dos passes e na chegada à área para finalizar. Além disso, contribui de modo imperativo na marcação. Tornou-se peça essencial, o ponto de equilíbrio do time. E pode atuar de segundo volante quando preciso.

Lucas Lima (26 anos) – Seu 2016, na comparação com 2015, foi pior. Não teve no Santos o mesmo brilho da temporada anterior (fez menos gols e deu menos assistências), e isso contribuiu para que não conseguisse concorrer com Renato Augusto – assim, nos jogos, esquentou o banco. Por ser muito talentoso, ao menos no começo do ano deve permanecer na lista de convocados. Porém precisa voltar a brilhar, e logo, ou pode ser excluído no médio prazo.

↑ Giuliano (26 anos) – Xodó de Tite. Mesmo atuando em um país, a Rússia (defende o Zenit), que tem um campeonato de segunda linha na Europa, tem tido vaga cativa na seleção. Não será titular, a não ser em uma eventualidade, mas continuará a ser lembrado por ter boa técnica e disposição tanto para marcar como para atacar. É raçudo.

Minha opinião: Conta a favor de Lucas Lima a falta de opções para a posição. Oscar? Titular na Copa de 2014, virou reserva no Chelsea faz tempo e negocia transferência para o futebol chinês. Ganso? É outro que esquenta o banco, no Sevilla. Kaká? Lembrado por Dunga nas duas últimas temporadas, está com 34 anos e tem jogado mais com o nome – seu time, o Orlando, pelo segundo ano seguido não avançou aos playoffs no campeonato norte-americano. No Brasil, pelo desempenho no Brasileiro, se há alguém que merece ser lembrado é Diego Souza, também já trintão (31), que ajudou o Sport a se safar do rebaixamento.

Meias-atacantes

Philippe Coutinho (11) celebra com Neylar seu gol, que deu início à vitória por 3 a 0 do Brasil sobre a Argentina (Eugenio Savio - 10.nov.2016/Associated Press)
Philippe Coutinho (11) celebra com Neymar seu gol, que deu início à vitória por 3 a 0 do Brasil sobre a Argentina (Eugenio Savio – 10.nov.2016/Associated Press)

Philippe Coutinho (24 anos) – Tite o adora. Tanto que arranjou um lugar para ele, em uma posição diferente da que joga no Liverpool. Na equipe inglesa, atua pela esquerda do ataque. Na seleção, para não concorrer com Neymar, é escalado na direita. É cedo para dizer se vai se adaptar bem ali, mas terá de Tite as oportunidades necessárias, assim como todas as orientações táticas, para fazê-lo.

Willian (28 anos) – Está mais acostumado do que Philippe Coutinho a atuar pela direita do ataque. Tite fala abertamente que aquele que estiver em melhor momento vai jogar. Neste segundo semestre, Coutinho de fato jogou mais bola que Willian, que chegou até a perder a vaga de titular no Chelsea para o espanhol Pedro.

Minha opinião: Tite idolatra Coutinho, mas também gosta de Willian. Ou seja, ambos devem permanecer com a seleção. Detalhe: Coutinho voltará neste fim de ano ou início do próximo a jogar depois de um período contundido (tornozelo). A conferir se engrenará rápido.

Atacantes

Neymar (24 anos) – Repito o que escrevi há um ano: jogam Neymar e mais dez. Ele continua entre os melhores do mundo (ficou em quarto lugar na eleição para a Bola de Ouro, atrás apenas de Cristiano Ronaldo e dos colegas de Barcelona Messi e Suárez), liderou a seleção na Olimpíada e tem se aprimorado a cada dia nas assistências. É verdade que os gols não têm saído com a frequência de antes, mas isso possivelmente é apenas uma fase. Neymar é artilheiro e não desaprendeu a balançar as redes.

Gabriel Jesus (19 anos) – Que 2016 para o ainda teenager! (Fará 20 anos em abril.) Campeão olímpico, campeão brasileiro (pelo Palmeiras, sendo o artilheiro do time), negociado com o badalado Manchester City, da Inglaterra, artilheiro do Brasil nas eliminatórias, com cinco gols em seis jogos. Não é o novo Romário, nem o novo Ronaldo Fenômeno, nem o novo Neymar… Mas que está pintando um craque, está.

Gabriel Jesus (à esq.) fez o 1º gol do Brasil contra o Peru e ainda deu o passe para Renato Augusto (8) marcar o 2º gol (Guadalupe Pardo - 15.nov.2016/Reuters)
Gabriel Jesus (à esq.) fez o 1º gol do Brasil contra o Peru e ainda deu o passe para Renato Augusto (8) marcar o 2º gol (Guadalupe Pardo – 15.nov.2016/Reuters)

Douglas Costa (26 anos) – Esteve afastado dos gramados por alguns meses devido a uma lesão na coxa. Perdeu Copa América, Olimpíada e alguns jogos das eliminatórias. Logo que se recuperou, Tite já o requisitou. Canhoto, tem condição de atuar tanto pela esquerda como pela direita do ataque, sendo ótima alternativa para, vindo do banco, impor mais velocidade às jogadas. É extremamente rápido e habilidoso, um dos grandes talentos do futebol brasileiro.

Roberto Firmino (25 anos) – Atacante de boa técnica, Firmino ainda oscila acima do desejado. No Liverpool, engrena dois ou três grandes jogos (marcando gols e dando assistências) e depois passa três ou quatro partidas em branco. Precisa de mais regularidade e se manter imune a lesões, que têm prejudicado sua carreira.

Minha opinião: Neymar, Gabriel Jesus e Douglas Costa (este começando na reserva) são as melhores opções para o ataque da seleção, não há superiores a eles no momento. A presença de Firmino pode ser questionada, porém não há alguém que esteja em nível melhor que ele no momento. Tite deve estar prestando atenção em Willian José (ex-São Paulo, Grêmio e Santos), de 25 anos, nove gols pela Real Sociedad no Campeonato Espanhol (só um a menos que Cristiano Ronaldo) e pode avaliar se há espaço para Ricardo Oliveira (Santos), que mesmo aos 36 anos mantém o faro artilheiro. Ambos são homens de área, finalizadores.