Ex-zagueiro, Firmino quer ser “o Neymar de Liverpool”

Por Luís Curro

A maioria dos jogadores, quando é comparada a um craque, prefere se desvencilhar dessa situação com uma reposta padrão.

“Ser o novo Pelé? Não, quero ser conhecido no futebol como o Zezinho”, diria o aspirante a craque Zezinho – ou Joãozinho, ou Pedrinho, ou Marquinho, ou Robertinho… e por aí vai.

Roberto Firmino, porém, não se sente incomodado – e vislumbra ser como Neymar.

Pelo menos é o que o atacante do Liverpool declarou ao jornal britânico “Daily Mail”.

Em meio a rasgados elogios ao treinador da equipe, o alemão Jürgen Klopp, Firmino questionou: “Ele pode fazer de mim o Neymar de Liverpool?”. E respondeu: “Depende só de mim”.

X

Firmino, conhecido pelas qualidades ofensivas, revelou ter jogado a maior parte da adolescência na defesa. “Joguei de lateral e depois de zagueiro central. Isso quase até os 18 anos.”

Descrente, o “Daily Mail” comentou na reportagem, em trecho pomposo para lá de elogioso: “Parece inconcebível que alguém com seu talento, desde o toque na bola maravilhoso até a precisão absoluta na finalização, tenha sido treinado para a arte da destruição”.

Uma rasgação de seda muito além da conta. Firmino e Neymar têm apenas uma coisa em comum: a idade (24 anos).

Firmino é bom jogador, teve grandes momentos no Hoffenheim (marcou 16 gols na temporada 2013/2014 da Bundesliga, sendo o quarto principal artilheiro) antes de se ir para o Liverpool na segunda mais cara transferência da história do clube – 29 milhões de libras, ou R$ 125 milhões pelo câmbio atual, atrás apenas do pago por Andy Carroll, 35 milhões de libras em 2011.

Só que seu futebol está longe, a um oceano de distância, do de Neymar. Tanto que Firmino nem esteve na seleção brasileira de Tite que enfrentou Equador e Colômbia pelas eliminatórias da Copa de 2018, no início deste mês. Quem figurou na equipe canarinho foi um outro brasileiro do Liverpool, Philippe Coutinho.

Firmino tem boa visão de jogo, boa finalização e posiciona-se bem em campo. Porém sua técnica é mediana, é mais lento que Neymar e não tem o instinto driblador do craque do Barcelona, que também é mais goleador que ele.

Na primeira temporada pelo Liverpool, já sob o comando de Klopp, Firmino marcou 14 gols em 49 partidas, incluindo Inglês, Copa da Liga Inglesa e Liga Europa (média de 0,29 gol por jogo).

Também em 2015/2016, Neymar, incluindo Espanhol, Copa do Rei e Liga dos Campeões, fez 31 gols em 48 jogos (média de 0,65).

Firmino começou 2016/2017 em ritmo acelerado: cinco jogos, três gols. Mas, mesmo que faça uma temporada memorável, “Neymar de Liverpool” é um sonoro exagero.

Que Firmino possa ficar acima da média dos demais atacantes, que possa por merecimento voltar à seleção (teve uma passagem com Dunga), que possa ser um ótimo coadjuvante para Neymar.

Mas Firmino é Firmino e deve permanecer Firmino. Melhor assim.

Em tempo: Cerca de três horas depois da publicação deste post, Tite fez nova convocação para a seleção e incluiu Firmino na lista. A conferir se o jogador não será cortado, pois, com uma lesão na virilha, não pôde participar de Chelsea x Liverpool, nesta sexta (16), pelo Campeonato Inglês.