Para mídia europeia, Pepe e mais 17 foram melhores que Neymar em 2015-2016

Por Luís Curro

A Olimpíada do Rio de Janeiro de aproxima, e nela Neymar terá a chance de começar a recuperar o prestígio que, aos olhos da mídia da Europa, perdeu na temporada 2015-2016, na comparação com a de 2014-2015.

A Uefa, entidade que rege o futebol no velho continente, divulgou nesta segunda (18) a lista dos melhores futebolistas a jogarem na Europa nos últimos 12 meses, escolhidos por jornalistas esportivos de 55 países europeus.

No top 10, o argentino Messi e o uruguaio Suárez (colegas de Neymar no Barcelona), o português Cristiano Ronaldo, o alemão Kroos, o galês Bale e o brasileiro naturalizado português Pepe (Real Madrid), os alemães Neuer e Müller (Bayern de Munique), o francês Griezmann (Atlético de Madri) e o italiano Buffon (Juventus).

Pepe? Sim. Entre tantos jogadores talentosíssimos (seis atacantes, dois goleiros e um meia) figura Pepe, o beque de muita força e pouca técnica que fez uma excelente partida na decisão da Eurocopa da França e apenas por isso, tenho certeza, ganhou votos suficientes para figurar na lista – ter sido campeão da Champions League pelo Real Madrid não era suficiente.

X

Ou seja, Neymar ficou atrás não só de Pepe, mas de gente menos badalada que ele, como o volante francês Kanté (negociado pelo Leicester com o Chelsea), o meia argelino Mahrez (Leicester), o meia francês Payet (West Ham), o volante chileno Vidal (Bayern) e o atacante inglês Vardy (Leicester).

A conclusão é que, aos olhos dos jornalistas que participaram da votação, Neymar regrediu em relação à temporada anterior, na qual foi top 10 nessa mesma eleição – acabou em quinto lugar, atrás apenas de Messi, Suárez, Cristiano Ronaldo e Buffon.

Desta vez, o desempenho de Neymar lhe valeu a 19ª posição, uma abaixo do sueco Ibrahimovic. É pouco para o brasileiro, em teoria, já que na eleição de melhor do mundo da Fifa de 2015 (Bola de Ouro) ele ficou entre os três melhores, atrás apenas do vencedor, Messi, e de Cristiano Ronaldo.

Na prática, determinou essa queda um primeiro semestre de 2016 pouco marcante.

No Barcelona, Neymar não esteve mal, mas jogou menos bola que Messi e Suárez, os outros membros do trio MSN – o uruguaio foi, inclusive, o artilheiro do Campeonato Espanhol (40 gols).

Pela seleção brasileira, atuou em só uma partida, o 2 a 2 com o Uruguai em março (não fez gol, não deu assistência e levou cartão amarelo que o suspendeu do jogo seguinte), já que não participou da Copa América Centenário, nos EUA em junho, porque o Barcelona não o liberou. Para ser top 10, Neymar teria de ter jogado, e muito bem, essa Copa América.

X

Assim, o jeito é mirar a próxima temporada, que para Neymar começará daqui a pouco mais de duas semanas, na estreia do Brasil nos Jogos do Rio, contra a África do Sul, em Brasília.

Se Neymar comandar a seleção ao inédito ouro olímpico, terá dado o primeiro (e largo) passo para, daqui a 12 meses, voltar a ocupar um lugar de destaque na elite europeia.

Certamente à frente de Pepe.

Em tempo: Com Portugal campeão da Eurocopa, o ganhador da Bola de Ouro de 2016 será Cristiano Ronaldo, é possível cravar isso com vários meses de antecedência da votação  e da entrega do prêmio pela Fifa. Em segundo e terceiro lugares, não necessariamente nessa ordem, devem ficar Messi e Suárez. Talvez um deles seja desbancado por Griezmann, e não é impossível que seja Messi, que finalizou a temporada anunciando o seu afastamento da seleção argentina após o vice-campeonato na Copa América.