Um resumo da temporada 2015-2016 na Europa

Por Luís Curro

Estive ausente deste espaço por três semanas, e nesse período a maioria dos países europeus encerrou seus campeonatos.

Nas principais ligas, houve conquistas antecipadas, como na França, na Alemanha, na Inglaterra e na Itália, e disputas até o final, como na Espanha, na Holanda e em Portugal.

As Copas nacionais, sempre um atrativo por decidirem, na maioria dos países, o campeão em jogo único, também tiveram seus campeões definidos.

Juventus, na Itália, e PSG, na França, venceram tudo o que puderam em seus territórios. Chelsea, na Inglaterra, e Milan, na Itália, dois gigantes, foram as maiores decepções, não ganhando nada e nem mesmo se classificando para competições continentais em 2016-2017.

A seguir, um resumo da temporada, país por país. (Lembro que a Eurocopa, a partir do próximo dia 10, fecha a temporada no velho continente.)

INGLATERRA

Campeão do Campeonato Inglês: Leicester (81 pontos, 23 vitórias, 12 empates, 3 derrotas, 68 gols pró, 36 gols contra)

Jogadores do Leicester e o técnioc Ranieri (centro) desfilam e carro aberto pela cidade com a taça da Premier League (Glyn Kirk - 16.mai.2016/AFP)
Jogadores do Leicester City e o técnico Claudio Ranieri (centro) desfilam em carro aberto pela cidade com a taça da Premier League (Glyn Kirk – 16.mai.2016/AFP)

O Leicester é a história da temporada. De quase rebaixado no ano anterior, conquistou o título do Inglês pela primeira vez. Com um orçamento dezenas de vezes inferior a gigantes como Manchester United, Manchester City, Arsenal e Chelsea, mostrou um futebol pragmático e veloz, com uma equipe recheada de jogadores desconhecidos porém batalhadores, com destaque para o artilheiro Vardy e para o meia argelino Mahrez. O time-base do treinador italiano Claudio Ranieri merece ser lembrado e relembrado: Schmeichel; Simpson, Morgan, Huth e Fuchs; Mahrez, Drinkwater, Kanté Albrighton (Schlupp); Vardy e Okazaki (Ulloa). Um conto de fadas que se tornou real.

Artilheiros: Harry Kane (Tottenham), 25 gols; Agüero (Manchester City) e Vardy (Leicester), 24 gols

Campeão da Copa da Inglaterra: Manchester United (2 a 1 no Crystal Palace, de virada; Lingard fez o gol do título)

Campeão da Copa da Liga Inglesa: Manchester City (3 a 1 nos pênaltis contra o Liverpool, após 1 a 1 na partida; Yayá Touré marcou o pênalti derradeiro)

Campeão da Supercopa da Inglaterra: Arsenal (1 a 0 no Chelsea, gol de Oxlade-Chamberlain)

Classificados para a Liga dos Campeões: Leicester, Arsenal, Tottenham e Manchester City

Classificados para a Liga Europa: Manchester United, Southampton e West Ham

ESPANHA

Campeão do Campeonato Espanhol: Barcelona (91 pontos, 29 vitórias, 4 empates, 5 derrotas, 112 gols pró, 29 gols contra)

Neymar faz careta na celebração do título do Barcelona (Lino De Vallier - 15.mai.2016/Xinhua)
Neymar faz careta na celebração do título do Barcelona (Lino De Vallier – 15.mai.2016/Xinhua)

Poderia ter sido mais fácil, mas o Barcelona viveu um momento de pane entre março e abril, com uma sequência de um empate e três derrotas na Liga (além da queda na Champions League ante o Atlético de Madri), e permitiu que Real Madrid e Atlético de Madri colassem. Só que, depois disso, cinco vitórias consecutivas impediram que os rivais ultrapassassem a equipe do técnico Luis Enrique. O trio MSN (Messi-Suárez-Neymar) somou 90 gols, ou 4 em cada 5 tentos da equipe catalã no campeonato. Foram 40 gols de Suárez, o Chuteira de Ouro da temporada, 26 de Messi e 24 de Neymar. Foi o 24º título do Barça – o Real Madrid tem 32.

Artilheiros: Suárez (Barcelona), 40 gols; Cristiano Ronaldo (Real Madrid), 35 gols; Messi (Barcelona), 26 gols

Campeão da Copa do Rei: Barcelona (2 a 0 no Sevilla, na prorrogação, gols de Jordi Alba e Neymar)

Campeão da Supercopa da Espanha: Athletic Bilbao (contra o Barcelona, goleou por 4 a 1 e empatou por 1 a 1)

Classificados para a Liga dos Campeões: Barcelona, Real Madrid, Atlético de Madri, Villarreal e Sevilla (campeão da Liga Europa)

Classificados para a Liga Europa: Athletic Bilbao e Celta

ALEMANHA

Campeão do Campeonato Alemão: Bayern de Munique (88 pontos, 28 vitórias, 4 empates, 2 derrotas, 80 gols a favor, 17 contra)

Philippe Lahm, capitão do Bayern, bebe cerveja na festa do título (Alexander Hassenstein - 15.mai.2016/Associated Press)
Lahm, capitão do Bayern, bebe cerveja na festa pelo título da Bundesliga (Alexander Hassenstein – 15.mai.2016/Associated Press)

O supertime do Bayern não tomou conhecimento de nunca um clube ter conquistado quatro vezes seguida a Bundesliga e quebrou essa escrita. Com atletas do quilate de Neuer, Lahm, Alaba, Vidal, Müller, Robben, Lewandowski, Douglas Costa, entre outros, e comandado pelo supertécnico Pep Guardiola, a equipe de Munique sobrou. Perdeu apenas duas vezes e teve a sombra, porém nunca ameaçadora de verdade, do Borussia Dortmund. Guardiola vai para a Inglaterra, dirigir o Manchester City, mas a base do time será mantida e o novo treinador, Carlo Ancelotti, tem tudo para faturar o penta. O Bayern chegou a seu 26º título – o Nurenberg tem 9.

Artilheiros: Lewandowski (Bayern), 30 gols; Aubameyang (Borussia Dortmund), 25 gols; Müller (Bayern), 20 gols

Campeão da Copa da Alemanha: Bayern (4 a 3 nos pênaltis contra o Borussia Dortmund, após 0 a 0 na partida; Douglas Costa marcou o pênalti derradeiro)

Campeão da Supercopa da Alemanha: Wolfsburg (5 a 4 nos pênaltis contra o Bayern, após 1 a 1 na partida; Bendtner marcou o pênalti derradeiro)

Classificados para a Liga dos Campeões: Bayern, Borussia Dortmund e Bayer Leverkusen

Classificados para a Liga Europa: Schalke, Mainz e Hertha Berlin

ITÁLIA

Campeão do Campeonato Italiano: Juventus (91 pontos, 29 vitórias, 4 empates, 5 derrotas, 75 gols pró, 20 gols contra)

Ladeado por companheiros da Juventus, o goleiro Buffon ergue a taça da Série A (Alberto Lingria - 14.mai.2016/Xinhua)
Ladeado por companheiros da Juventus, o goleiro Buffon ergue o troféu da Série A (Alberto Lingria – 14.mai.2016/Xinhua)

Parecia que a Juventus, sem Tevez (transferiu-se para o Boca Juniors), Vidal (para o Bayern de Munique) e Pirlo (para o New York City), não teria força para alcançar o quinto título seguido. O início de campeonato foi muito ruim, com quatro derrotas e três empates nos primeiros dez jogos. Só que a Velha Senhora engatou uma série de 15 vitórias e se recolocou na disputa em um campeonato que o Napoli parecia ter nas mãos. A invencibilidade chegou a 26 partidas, e o título veio naturalmente. A defesa, liderada pelo goleiro e capitão Buffon, de 38 anos, novamente portou-se muito bem, e do meio para a frente brilharam especialmente o argentino Dybala (19 gols e 9 assistências) e o francês Pogba (8 gols e 12 assistências). Ambos com apenas 22 e 23 anos, respectivamente. A Juventus tem agora 32 títulos – Milan e Inter de Milão, 18 cada um.

Artilheiros: Higuaín (Napoli), 36 gols; Dybala (Juventus), 19 gols; Bacca (Milan), 18 gols

Campeão da Copa da Itália: Juventus (1 a 0 no Milan, na prorrogação, gol de Álvaro Morata)

Campeão da Supercopa da Itália: Juventus (2 a 0 na Lazio, gols de Mandzukic e Dybala)

Classificados para a Liga dos Campeões: Juventus, Napoli e Roma

Classificados para a Liga Europa: Inter de Milão, Fiorentina e Sassuolo

FRANÇA

Campeão do Campeonato Francês: PSG (96 pontos, 30 vitórias, 6 empates, 2 derrotas, 102 gols pró, 19 gols contra)

Ibrahimovic cmemora gol em seu último jogo pelo PSG, a decisão da Copa da França (Franck Fife - 21.mai.2016/AFP)
Ibrahimovic comemora gol em seu último jogo pelo PSG, a decisão da Copa da França (Franck Fife – 21.mai.2016/AFP)

Dominante, PSG almeja o tetra” foi o título de um post deste blog no início de agosto de 2015. Pois o Paris Saint-Germain dominou e conquistou o tetra. Dominar talvez seja um verbo fraco, pois pareceu mais que isso. Em nenhum momento o time parisiense se viu ameaçado por algum oponente e em março, dois meses antes do encerramento da competição, o zagueiro e capitão Thiago Silva já erguia a taça. Novamente o sueco Ibrahimovic, que não renovará seu contrato, não se cansou de fazer gols (foram 38), O único contratempo que o clube teve foi fora das quatro linhas, quando o lateral Aurier disparou impropérios contra o técnico Blanc e alguns colegas de equipe – o episódio acabou superado e o marfinense foi reintegrado ao elenco. O estrelado PSG é campeão pela sexta vez – o Saint-Étienne tem dez títulos.

Artilheiros: Ibrahimovic (PSG), 38 gols; Lacazette (Lyon), 21 gols; Cavani (PSG), 19 gols

Campeão da Copa da França: PSG (4 a 2 no Olympique de Marselha, em despedida de gala de Ibrahimovic, autor de dois gols)

Campeão da Copa da Liga da França: PSG (2 a 1 no Lille; Di María fez o gols da vitória)

Campeão da Supercopa da França: PSG (2 a 0 no Lyon, gols de Aurier e Cavani)

Classificados para a Liga dos Campeões: PSG, Lyon e Monaco

Classificados para a Liga Europa: Nice, Lille e Sain-Étienne

PORTUGAL

Campeão do Campeonato Português: Benfica (88 pontos, 29 vitórias, 1 empate, 4 derrotas, 88 gols pró, 22 gols contra)

Jonas e Mitroglou (dir.), artilheiros do Benfica na temporada 2015-2016 (Patricia de Melo Moreira - 20.mai.2016/AFP)
Os atacantes Jonas e Mitroglou (dir.), artilheiros do Benfica (Patricia de Melo Moreira – 20.mai.2016/AFP)

O Sporting deu pinta de que chagaria lá, depois de 14 anos. No dia 5 de março, entretanto, perdeu em seu estádio por 1 a 0 para o Benfica, que passou à frente e não mais perdeu. Aliás, nem sequer empatou. Ganhou todos os nove jogos restantes, terminou dois pontos à frente do rival de Lisboa e sagrou-se tricampeão. O brasileiro Jonas, de 32 anos, teve papel mais que fundamental na campanha: marcou 32 gols, sendo o artilheiro do campeonato – sua performance o levou de volta à seleção brasileira, pela qual disputará a Copa América dos EUA, em junho. O Benfica tem agora 35 títulos, sete a mais que o Porto.

Artilheiros: Jonas (Benfica), 32 gols; Slimani (Sporting), 27 gols; Mitroglou (Benfica), 19 gols

Campeão da Taça de Portugal: Braga (4 a 2 nos pênaltis contra o Porto, após 2 a 2 na partida; Marcelo Goiano marcou o pênalti derradeiro)

Campeão da Copa da Liga de Portugal: Benfica (6 a 2 no Marítimo, com um gol de Jonas e dois do grego Mitroglou)

Campeão da Supercopa de Portugal: Sporting (1 a 0 no Benfica, gol de Carrillo)

Classificados para a Liga dos Campeões: Benfica, Sporting e Porto

Classificados para a Liga Europa: Braga, Arouca e Rio Ave

HOLANDA

Campeão do Campeonato Holandês: PSV (84 pontos, 26 vitórias, 6 empates, 2 derrotas, 88 gols pró, 32 gols contra)

Frank de Boer, treinador do Ajax, desolado no ônibus do time depois do empate com o De Graafschap (Dibyangshu Sarkar - 8.mai.2016/AFP)
Frank de Boer, treinador do Ajax, desolado no ônibus do time depois do empate com o De Graafschap na rodada final do Holandês (Dibyangshu Sarkar – 8.mai.2016/AFP)

O Ajax pode ser considerado “o” perdedor da temporada nas principais ligas europeias. Chegou à 34ª e última rodada do campeonato precisando vencer por qualquer placar o frágil De Graafschap, 17º e penúltimo colocado na tabela. Atuaria fora de casa, mas a diferença técnica era enorme. A equipe de Amsterdã saiu na frente, só que permitiu o empate aos 10 minutos do segundo tempo. Atacou, então, insistentemente (foram dez tentativas a gol, entre as para fora do gol, as bloqueadas pela defesa e as defendidas pelo goleiro), sem sucesso. O PSV Eindhoven, que precisava ganhar e torcer por um tropeço do Ajax, fez sua parte: superou o Zwolle por 3 a 1, também fora de casa, e viu o bicampeonato cair em seu colo. Foi 0 23º título do time na Eridivisie – o Ajax tem 33.

Artilheiros: Janssen (AZ Alkmaar), 27 gols; De Jong (PSV), 26 gols; Milik (Ajax), 21 gols

Campeão da Copa da Holanda: Feyenoord (2 a 1 no Utrecht; o gol da vitória foi de Bednarek, contra: o atacante Elia chutou, a bola bateu na trave, nas costas do goleio e entrou)

Campeão da Supercopa da Holanda: PSV (3 a 0 no Groningen, gols de De Jong, duas vezes, e Maher)

Classificados para a Liga dos Campeões: PSV e Ajax

Classificados para a Liga Europa: Feyenoord, AZ Alkmaar e Heracles Almelo

OUTROS CAMPEÕES

Bélgica – Club Brugge

Grécia – Olympiacos

República Tcheca – Viktoria Plzen

Romênia – Astra Ploiesti (1º título na história)

Rússia – CSKA Moscou

Suíça – Basel

Turquia – Besiktas

Ucrânia – Dinamo de Kiev