Árbitro torcedor do Leicester é impedido de apitar jogo do Tottenham

Por Luís Curro

Se fosse um jogador, Kevin Friend entraria na seção “Nomes para Sempre”, publicada periodicamente neste blog.

Mas ele é árbitro. Aquele que deve, ao entrar em campo, zelar para que as regras do futebol sejam cumpridas e ser, acima de tudo, imparcial.

Não há razões até agora para duvidar da neutralidade de Friend (amigo, em português), porém o órgão que controla a arbitragem na Inglaterra (PGMOB) decidiu mudar a escala da próxima rodada da Premier League, que começa neste sábado (16), devido à preferência clubística do juiz.

“Eu tenho dois times. O Bristol, porque nasci na cidade, e também o Leicester, porque eu moro aqui”, declarou ele em 2013 ao jornal “The Leicester Mercury”. E ele se disse torcedor de ir ao estádio para acompanhar de perto as partidas dos Foxes (raposas, apelido do Leicester).

Maior sensação da Europa na temporada 2015-2016, o modesto Leicester, do treinador Claudio Ranieri e do artilheiro Jamie Vardy, faz campanha espetacular (21 vitórias, 9 empates e 3 derrotas) e caminha para, contra todos os prognósticos, conquistar pela primeira vez o Campeonato Inglês. Tem sete pontos de vantagem sobre o Tottenham, de Londres, com cinco jogos para os times disputarem e sem confronto direto pela frente.

Escalado para a partida do Tottenham contra o Stoke City, que ocorre na segunda-feira (18), Friend acabou trocado.

De acordo com um comunicado do PGMOB, “dado o contexto desse jogo, é desnecessário acrescentar uma análise mais detalhada para a definição do árbitro”.

Em bom português: não é adequado Friend, fã do Leicester, apitar uma partida do clube que tem mais chance de impedir o feito histórico da equipe que veste azul.

Decisão corretíssima. Até mesmo para preservar o próprio Friend. Seria uma arbitragem no mínimo intranquila – nas redes sociais, já havia barulho devido a essa escalação.

Com o conhecimento de seu clube de preferência, sendo Friend escalado para a partida da equipe londrina, se cometesse um erro teoricamente não proposital contra o Tottenham (afinal, erros de arbitragem fazem parte do futebol, e há proposta para minimizar isso), diriam o óbvio: errou porque torce para o Leicester. Se errasse a favor do Tottenham, diriam que foi porque estava visado, então decidiu mostrar que não é pró-Leicester.

Não teria como Friend ganhar amigos, apenas inimigos.

O árbitro Kevin Friend no jogo Watford x Everton, pela Premier League (Peter Cziborra - 9.abr.2016/Reuters)
O árbitro Kevin Friend no jogo Watford x Everton, pela Premier League (Peter Cziborra – 9.abr.2016/Reuters)

Em tempo 1: As partidas do Leicester, obviamente, Friend não apita.

Em tempo 2: No Brasil, nesta semana também ocorreu um caso de afastamento de árbitro de uma partida. Lenilton Rodrigues Gomes Júnior estava escalado para apitar Flamengo e Bangu, amanhã, pela Taça Guanabara, mas a federação do Rio de Janeiro decidiu trocá-lo. Motivo: ele apareceu ao lado de um sorridente Guerrero, do Fla, em uma foto tirada após sessão do Tribunal de Justiça Desportiva que absolveu o peruano em primeira instância. O atacante era julgado por ter se envolvido em confusão no jogo contra o Vasco.