Caso de chantagem tem final infeliz para Benzema, excluído da Eurocopa em seu país

Por Luís Curro

Uma das estrelas do Real Madrid, integrante do badalado trio BBC (Bale-Benzema-Cristiano Ronaldo), o francês Karim Benzema, de 28 anos, está fora da Eurocopa deste ano, que será realizada em junho e julho em seu país natal.

Não por deficiência técnica. Ele é há algum tempo o principal nome da seleção francesa e tem jogado bem na temporada 2015/2016: marcou 25 gols em 29 partidas, somando as participações no Campeonato Espanhol (22 jogos, 21 gols) e na Liga dos Campeões da Europa (7 jogos, 4 gols), na qual o Real é semifinalista.

A razão é um problema extracampo, que veio à tona no início de novembro do ano passado. Benzema foi acusado de participar de um esquema de chantagem no qual a vítima era o meia Mathieu Valbuena, de 31 anos, do Lyon, seu colega na seleção.

O objetivo dos chantagistas era receber um valor em dinheiro para não vazar um vídeo com conteúdo sexual em que Valbuena aparecia.

Estava iniciada uma novela.

Benzema teve de prestar depoimento e chegou a passar uma noite na cadeia. Tremendo dano para a imagem. Tanto que, desde então, não foi mais chamado pelo treinador da França, Didier Deschamps. Seu último jogo pelos “Bleus” (Azuis) foi no dia 8 de outubro de 2015, um amistoso em Nice contra a Armênia no qual ele fez dois gols na goleada por 4 a 0.

Benzema é consolado pelo treinador Didier Deschamps no Maracanã após a França ser eliminada da Copa do Brasil, em 2014, pela Alemanha (Charles Platiau - 4.jul.2014/Reuters)
Benzema é consolado por Didier Deschamps no Maracanã após a França ser eliminada da Copa do Brasil, em 2014, pela Alemanha (Charles Platiau – 4.jul.2014/Reuters)

A Justiça francesa decidiu que Benzema estava impedido de entrar em contato com Valbuena, e em dezembro a Federação Francesa de Futebol (FFF) determinou a suspensão do atacante da seleção enquanto o processo corresse – ainda corre.

Em janeiro, Valbuena declarou não ver problema em atuar ao lado de Benzema na Eurocopa, e depois a Justiça relaxou a decisão que não permitia encontro entre os atletas.

Mas esses acontecimentos não surtiram efeito.

E a novela de poucos meses teve um final infeliz para o artilheiro nesta quarta (13).

Em tom de lamentação, Benzema anunciou via rede social que não será convocado para a Eurocopa, o campeonato europeu de seleções, que é realizado de quatro em quatro anos.

A França foi anfitriã pela última vez em 1984, quando Benzema nem tinha nascido, e ganhou aquela edição – Platini era o craque do time. Triunfou também em 2000, com Zidane, Deschamps e Henry, quando Benzema estava com 12 anos.

“Infelizmente para mim e para todos que me apoiam, não serei chamado para a Eurocopa”, escreveu ele, ciente da não realização de um sonho e acrescentando: “Não importa o que aconteça. Bleu um dia, Bleu sempre”.

(Reprodução/Twitter Karim Benzema)
(Reprodução/Twitter Karim Benzema)

Depois de uma reunião com Deschamps, o presidente da FFF, Noel Le Graet, afirmou em comunicado que “o desempenho esportivo é um critério importante (para selecionar os convocados), mas não é o único. A capacidade dos jogadores de buscar a unidade do grupo, dentro e fora do elenco, também influencia”.

A conclusão da federação: Benzema se tornou uma espécie de laranja podre e não será chamado para a Eurocopa.

Minha conclusão: esse caso analisado pela Justiça é um fator influenciador, mas… apesar de Benzema ser um craque, a FFF e Deschamps concluíram que é muito provável a França fazer bonito na Eurocopa mesmo sem ele, por isso avaliaram que não fará tanta falta. A atual geração de meias-atacantes e atacantes franceses é de fato ótima: Griezmann (que fez os dois gols do Atlético de Madri no jogo que eliminou o favorito Barcelona da Champions League), Pogba, Payet, Ben Arfa, Martial, Giroud, Gignac, Lacazette, Coman… Se Ribéry (que está com 33 anos) for convencido a deixar sua aposentadoria da seleção, será um ataque com potencial ainda mais avassalador.

Em tempo: Valbuena também não esteve presente na última convocação de Deschamps, para os amistosos no fim de março em que os Bleus derrotaram Holanda, em Amsterdã, por 3 a 2, e Rússia, em Saint-Denis (Grande Paris), por 4 a 2. Ninguém levantou a hipóteses, mas talvez ele já esteja, como Benzema, descartado para a Eurocopa. Seria uma forma extra de tentar abafar um caso que causa incômodo até no governo local – o primeiro-ministro, Manuel Valls, disse que Benzema é um mau exemplo e não deveria pisar nos gramados franceses na competição.