Uma verdade difícil de acreditar no Dia da Mentira

Por Luís Curro

Quem acompanha há algum tempo o futebol inglês sabe bem: a enfermaria do Arsenal, um dos grandes clubes de Londres, está sempre cheia.

É difícil haver time no mundo cujos jogadores se machuquem com tanta frequência, e ultimamente não tem sido muito diferente.

O treinador Arsène Wenger não pôde contar em algum momento, desde o início da temporada 2015-2016, com uma série de jogadores importantes: Cech, Koscielny, Mertesacker, Coquelin, Arteta, Walcott, Welbeck. Esses são os que eu lembro de cabeça, e que já se recuperaram.

Mas prosseguem encostados outros sete: Ramsey, Chamberlain, Cazorla, Flamini, Jenkinson, Rosicky e Wilshere.

O último citado, Jack Wilshere, tem sido considerado há alguns anos uma das maiores promessas do futebol inglês. Canhoto, habilidoso, inteligente, bom finalizador, boa visão de jogo, características que lhe renderam a camisa 10 do Arsenal.

Só que os problemas físicos o acompanham em sua carreira. Aos 24 anos, Wilshere já teve, desde o começo de 2010, dez contusões, que incluem lesões musculares, no pé, no joelho, no tornozelo…

A mais recente, uma fratura na fíbula (osso da perna), o mantém afastado dos gramados desde o início de agosto do ano passado, ou seja, quase oito meses.

A falta de uma sequência tornou a torcida dos Gunners um tanto quanto descrente quanto a poder ver o talentoso Wilshere jogando novamente.

Tanto que, quando o Arsenal anunciou, nesta sexta (1º), por uma rede social, que o meia retornou aos treinamentos, dezenas de fãs acharam que fosse uma brincadeira de 1º de abril, que é mundialmente o Dia da Mentira.

“Wilshere voltou mesmo a treinar ou é uma piada de 1º de abril?”, questionou um torcedor. “A volta de Wilshere é uma brincadeira do Dia da Mentira?”, indagou outro. Um terceiro foi incisivo: “Já ouvi muitas piadas no 1º de abril, mas a volta de ‘Super Jack’ superou todas elas”.

Com toda essa desconfiança, tanto o Arsenal quanto o jogador esclareceram que não se tratava de uma lorota. O clube postou um vídeo de Wilshere em ação, e o atleta escreveu: “Não é uma pegadinha no Dia da Mentira”.

Wilshere esclarece que ele de fato voltou a treinar (Reprodução/Twitter de Jack Wilshere)
Wilshere esclarece que não é mentira: de fato voltou a treinar (Reprodução/Twitter de Jack Wilshere)
Wilshere de volta aos treinos (Reprodução/Twitter do Arsenal FC)
O meia em seu retorno aos treinamentos do Arsenal (Reprodução/Twitter do Arsenal FC)

Em breve, o treinador Wenger espera poder voltar a escalar Wilshere, que, se conseguir se manter ileso às contusões, é um grande reforço para os Gunners, que ainda tem chance, mesmo que modesta, de conquistar o Campeonato Inglês – a equipe tem mais sete partidas a disputar, e a distância para o líder (Leicester) é de oito pontos.

Reforço também para a seleção inglesa. É bem provável que, se Wilshere mostrar boa forma nas próxima semanas, o treinador do English Team, Roy Hodgson, o convoque para a Eurocopa, que começa em junho, na França.

O jogador esteve no elenco que veio à Copa do Mundo no Brasil, em 2014.