Os caras de Dunga – Um teste de fogo para os zagueiros da seleção

Por Luís Curro

Está chegando a hora de Brasil x Uruguai, na Arena Pernambuco, no Recife, na retomada das eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia-2018. Será nesta sexta (25), às 21h45.

Será também o maior teste que a defesa da seleção de Dunga terá, em especial os zagueiros, que receberão a incumbência de parar Luis Suárez, o artilheiro do Barcelona nesta temporada e que vive fase estupenda.

Será o retorno de Suárez à Celeste depois da suspensão recebida na Copa do Brasil, em 2014, pela mordida no italiano Chiellini. Certamente o dentuço está com fome – suponho e espero, somente de gols.

Gols que no Barcelona têm saído aos montes. Foram até aqui 43 na temporada 2015-2016, incluindo Campeonato Espanhol, Copa do Rei, Supercopa da Espanha, Supercopa da Europa, Mundial de Clubes da Fifa e Liga dos Campeões da Europa.

Como ele esteve em campo 43 vezes, a média é de um gol por jogo, igual à de Messi (40 gols em 40 jogos, incluindo os tentos pela seleção argentina) e bem superior à de Neymar (27 gols em 40 partidas, média de 0,68 gol por jogo, incluindo os tentos com a seleção brasileira), ambos craques-colegas de Barcelona e que, com Suárez, formam o badalado trio MSN.

E quem irá tentar pará-lo?

O zagueiro Miranda em treinamento da seleção brasileira (Nelson Almeida - 10.nov.2015/AFP)
O zagueiro Miranda em treinamento da seleção brasileira (Nelson Almeida – 10.nov.2015/AFP)

Nome certo é Miranda, o zagueiro central da seleção e homem em quem Dunga confia plenamente. Eu, nem tanto. Miranda tem alternado na Inter de Milão boas apresentações com algumas em que falhas sobressaíram.

Suárez é muito rápido, e Miranda, não – compensa geralmente com bom posicionamento e poder de antecipação.

Na quarta zaga, é difícil dizer quem joga: Gil ou David Luiz?

Gil foi o titular na última partida nas eliminatórias, 3 a 0 no Peru em Salvador, em novembro, pois David Luiz estava suspenso. Há quem considere que ele conquistou a titularidade. Será? Se sim, problema.

O ex-corintiano, como Miranda, não é dos mais rápidos (me lembra pelo porte físico e pela movimentação, por ser negro e por ostentar cabelo farto, Dante, que jogou no fatídico 7 a 1 da Alemanha no Brasil na Copa-2014) e agora está atuando no futebol chinês – lá, se o nível é considerado mais baixo, é certo que tem muita correria.

Se bem que, cabelo farto por cabelo farto, a cabeleira do David Luiz é mais famosa. O beque do PSG foi um dos destaques na conquista do Campeonato Francês e vinha se apresentando seguro, controlando seu ímpeto por dar uma enfeitada ou fazer uma jogada destrambelhada. Até que, no fim se semana, cometeu falha indesejável (errar na tentativa de um passe dentro na própria grande área e na sequência fazer um pênalti) para alguém do seu nível na partida contra o Monaco.

Uma dica a Miranda, Gil, David Luiz e também ao lateral esquerdo Filipe Luis, já que Suárez gosta de se deslocar para a direita em parte do tempo: fechem as pernas, pois Luisito é o rei das canetas, mestre nesse drible humilhante.

Gil em entrevista na Granja Comary, em Teresópolis, onde o Brasil treina nesta semana (Lucas Figueiredo - 21.mar.2016/MoWA Press)
Gil em entrevista na Granja Comary, em Teresópolis, onde o Brasil treina nesta semana (Lucas Figueiredo – 21.mar.2016/MoWA Press)

Uma boa notícia a ser considerada é a presença na seleção de Daniel Alves, titular da lateral direita e companheiro de Suárez no Barça. Ele pode passar dicas valiosas de como se comportar diante do camisa 9 uruguaio.

Mas tem a má notícia. O Uruguai, no ataque, não é só Suárez. Há também Cavani, reconhecidamente um artilheiro, forte fisicamente, bom tecnicamente e que finaliza muito bem, tanto com os pés como com a cabeça.

O jogo é chave para o Brasil, que tem 7 pontos e está em terceiro lugar na tabela das eliminatórias – quatro se classificam direto para a Copa e o quinto disputa uma repescagem. O Uruguai tem 9 pontos, e o Equador, líder, 12. Com 7 pontos, como o Brasil, estão Paraguai e Chile. A Argentina tem 5, e a Colômbia, 4.

Se a seleção for surpreendida pelos uruguaios, pode ter de enfrentar o Paraguai em Assunção, na terça (29), dependendo do resultado das partidas da concorrência nesta semana, sob enorme pressão de ter de vencer para não sair da zona de classificação.

A seguir, o desempenho de cada jogador da última lista de Dunga (4 dos 23 atuam no Brasil) nos últimos sete dias:

Goleiros

Alisson (Internacional) – Lajeadense 0 x 0 Inter (Gaúcho). Sob as traves, fez uma única defesa. Ao dar uma de líbero, chutou errado e quase levou um gol por cobertura de Diego Miranda. Regular

Marcelo Grohe (Grêmio) – San Lorenzo 1 x 1 Grêmio (Libertadores). Grohe salvou o Grêmio na Argentina, com defesas espetaculares, duas no 1º tempo e uma no 2º, já nos acréscimos. Ypiranga 1 x 2 Grêmio (Gaúcho). Fez grande defesa em chute de Danilinho, de fora da área, no 1º tempo. No 2º, atrapalhou-se em saída do gol, mas se recuperou a tempo de tirar a bola da área. Ótimo

Diego Alves (Valencia-ESP) – Valencia 2 x 1 Athletic Bilbao (Liga Europa). Não foi relacionado para essa partida – mesmo ganhando, o Valencia foi eliminado da competição. Valencia 0 x 2 Celta (Espanhol). Novamente, não foi relacionado. O titular foi o australiano Ryan. Sem avaliação

Defesa

Daniel Alves (Barcelona-ESP) – Barcelona 3 x 1 Arsenal (Champions League). Não foi exigido na defesa. Fez o cruzamento para Suárez fazer belo gol, o segundo do Barça. Villarreal 2 x 2 Barcelona (Espanhol). Começou na reserva e entrou no lugar de Arda Turan aos 12 minutos do 2º tempo. Nesse mesmo minuto, o Villarreal diminuiu – depois, empatou com gol contra de Mathieu, que substituíra Piqué. Não falhou nos gols e não foi alternativa de ataque. Regular

Miranda (Inter de Milão-ITA) – Roma 1 x 1 Inter (Italiano). Após um 1º tempo razoável, não esteve bem no 2º. Foi mal em lance em que saiu da área para marcar um rival; perdeu disputa pelo alto com Dzeko que quase resultou em gol; e, aos 39 minutos, não foi capaz de evitar chute de Nainggolan, que empatou a partida. Ruim

David Luiz (PSG-FRA) – PSG 0 x 2 Monaco (Francês). Fazia tempo que não acontecia, mas aconteceu. Cometeu falha grotesca ao tentar sair jogando e perder a bola para Fabinho na grande área; na sequência do lance, derrubou o compatriota e cometeu pênalti, convertido pelo próprio Fabinho. Ruim 

Na barreira do PSG, David Luiz salta para evitar que o Monaco tivesse êxito em cobrança de falta (Charles Platiau - 20.mar.2016/Reuters)
Na barreira do PSG, David Luiz salta para evitar que o Monaco tivesse êxito em cobrança de falta (Charles Platiau – 20.mar.2016/Reuters)

Filipe Luís (Atlético de Madri-ESP) – Atlético (8)0 x 0(7) PSV (Champions League). Teve alguns lampejos no ataque e quase nenhum trabalho na defesa. Na disputa de pênaltis, sob forte pressão, bateu bem o seu. Sporting Gijón 2 x 1 Atlético (Espanhol). Estava alguns passos atrasado na marcação de Castro no gol que deu a vitória ao time da casa aos 44 minutos do 2º tempo. Regular

Danilo (Real Madrid-ESP) – Real Madrid 4 x 0 Sevilla (Espanhol). Titular na lateral direita, deixando Carvajal na reserva, não comprometeu na marcação e, em dos poucos avanços, cruzou na cabeça de Cristiano Ronaldo, que fez Real 2 a 0. Bom

Marquinhos (PSG-FRA) – PSG 0 x 2 Monaco (Francês). O zagueiro, que parece ter ganho a posição na lateral direita do time, teve atuação mediana. O primeiro gol do Monaco se originou de uma jogada de linha de fundo nas suas costas. Regular 

Gil (Shandong Luneng-CHN) – Shandong Luneng 1 x 4 Seoul (Liga dos Campeões da Ásia). Toda a defesa da equipe da casa esteve mal nessa goleada sofrida ante o time sul-coreano, inclusive o ex-corintiano. Ruim

Alex Sandro (Juventus-ITA) – Bayern 4 x 2 Juventus (Champions League). Atuou mais avançado, na composição do meio-campo da equipe italiana pelo lado esquerdo – Evra atuou na lateral. Esteve taticamente bem quase todo o jogo, como todo o time, e “desandou”, como todo o time, na prorrogação. Foi lento na marcação de Müller, permitindo ao alemão concluir a tabela que resultou no terceiro gol do Bayern, de Thiago Alcántara. Torino 1 x 4 Juventus (Italiano). No 1º tempo, teve atuação discreta e recebeu cartão amarelo. No início do 2º tempo, cometeu pênalti em Bruno Peres, convertido por Belotti.  Ruim

Meio-campo

Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE) – Wolfsburg 1 x 1 Darmstadt (Alemão). Com o zagueiro e compatriota Naldo machucado, foi o capitão da equipe. Jogou o futebol burocrático de praxe, com muitos toques de lado e marcação adequada. No 2º tempo, aventurou-se à ponta esquerda e deu um chute-cruzamento perigoso, interceptado pelo goleiro Mathenia. Regular

Fernandinho (Manchester City-ING) – Manchester City 0 x 0 Dínamo de Kiev (Champions League). Compôs a dupla de volantes com o compatriota Fernando. Esteve discreto durante toda a partida. Manchester City 0 x 1 Manchester United (Inglês). Desta vez, começou como primeiro volante e virou zagueiro central a partir dos 8 minutos do 2º tempo, quando o atacante Bony entrou no lugar do beque Demichelis – fora de sua posição, não esteve muito à vontade, mas não comprometeu. Regular

Fernandinho, do City, toma a frente de Martial, do United, no clássico de Manchester (Phil Noble - 20.mar.2016/Reuters)
Fernandinho, do City, toma a frente de Martial, do United, no clássico de Manchester (Phil Noble – 20.mar.2016/Reuters)

Oscar (Chelsea-ING) – Chelsea 2 x 2 West Ham (Inglês). Mais uma partida esquecível para o meia, que de novo nem gol fez nem assistência deu e, sem dúvida, atravessa a pior fase na carreira. Foi substituído aos 39 minutos do 2º tempo por Loftus-Cheek. Ruim

Willian (Chelsea-ING) – Chelsea 2 x 2 West Ham (Inglês). Jogou mais aberto pela direita. No 1º tempo, teve chance em cobrança de falta, porém bateu para fora. Quase no fim do jogo, avançou em velocidade pelo meio e tocou para Loftus-Cheek, que foi derrubado na área. O espanhol Fàbregas, que já havia feito, de falta, o primeiro gol dos Blues, bateu bem o pênalti. Recebeu um cartão amarelo nos acréscimos. Regular

Lucas Lima (Santos) – XV de Piracicaba 0 x 1 Santos (Paulista). De volta de suspensão, voltou a comandar as ações santistas. De seu pé direito (que não é o bom) saiu o cruzamento perfeito para o único gol do jogo, do zagueiro Gustavo Henrique, de cabeça. No 2º tempo, o campo encharcado pela chuva prejudicou seu futebol. Foi substituído por Rafael Longuine aos 34 minutos. Rio Claro 0 x 0 Santos (Paulista). Com campo seco e os cabelos na cor natural (esteve descolorido), rendeu bem quase todo o jogo, com passes precisos, curtos e longos (um deles pôs Neto Berola na cara do goleiro, que defendeu o chute). Bom

Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN) – Tianjin Teda 0 x 0 Beijing Guoan (Chinês). Na estreia da equipe de Pequim no Chinês, Renato Augusto procurou dar ritmo e qualidade à equipe no meio-campo, mas não foi o bastante para sair um gol. Regular

Philippe Coutinho (Liverpool-ING) – Mancheter United 1 x 1 Liverpool (Liga Europa). Esbanjando velocidade e habilidade, foi decisivo na partida em que o Liverpool eliminou da competição o maior rival. No final do 1º tempo, com o United na frente, partiu para cima de Varela pela ponta esquerda, superou sua marcação e já na área deu um leve toque, quase sem ângulo, por cima de De Gea para empatar o jogo. Recebeu um cartão amarelo. Southampton 3 x 2 Liverpool (Inglês). Fez o primeiro gol do jogo, bem ao seu estilo. Pegou a bola na esquerda, foi avançando para o meio e chutou, forte e colocado, da intermediária, no canto do goleiro. Ótimo

Philippe Coutinho comemora seu gol pelo Liverpool contra o Southampton (Adam Davy - 20.mar.2016/Associated Press)
Philippe Coutinho comemora seu gol pelo Liverpool contra o Southampton (Adam Davy – 20.mar.2016/Associated Press)

Ataque

Neymar (Barcelona-ESP) – Barcelona 3 x 1 Arsenal (Champions League). Mais uma atuação grandiosa do atacante. No 1º tempo, depois de dar lançamento primoroso para Messi, que parou no goleiro Ospina, recebeu passe de Suárez e abriu o placar para o Barça. No 2º tempo, deu lindo passe de calcanhar para Messi chutar e Ospina salvar; participou da jogada do segundo gol, ao acionar Daniel Alves, que cruzou da direita para Suárez concluir de voleio; e participou do lance em que a bola sobrou para Messi marcar de “cavadinha”. Villarreal 2 x 2 Barcelona (Espanhol). Cavou pênalti em lance com o goleiro Asenjo, no final do 1º tempo. Ele mesmo bateu e fez 2 a 0. Em jogada individual no 2 tempo, teve a chance de fazer o terceiro, mas Asenjo fez a defesa. O Villarrreal reagiu e empatou. Ótimo

Hulk (Zenit-RUS) – Krylya Sovetov 0 x 2 Zenit (Russo). Não conseguiu arriscar a gol como costumeiramente faz. Marcou um gol de pênalti no 1º tempo, o segundo do time. Foi substituído por Kokorin aos 36 minutos do 2º tempo. Regular

Douglas Costa (Bayern de Munique-ALE) – Bayern 4 x 2 Juventus (Champions League). Até os 15 minutos do 2º tempo, atuou na ponta direita, pois Ribéry foi escalado por Guardiola do outro lado. Quando Coman entrou no lugar de Xabi Alonso, foi quem ocupou o antigo espaço do brasileiro, que foi deslocado para a meia. Não rendeu muito bem nem na ponta nem no meio, tendo como maior mérito ter feito o cruzamento para o gol de Lewandowski que iniciou a reação do time bávaro. Colonia 0 x 1 Bayern (Alemão). De volta à ponta esquerda, foi perigoso nas jogadas de linha de fundo, como costuma ser quando atua por ali. Tentou um gol de falta, mas errou o alvo. Foi substituído por Ribéry aos 27 minutos do 2º tempo. Regular

Jonas (Benfica-POR) – Boavista 0 x 1 Benfica (Português). Na primeira partida após ser convocado para o lugar do contundido Roberto Firmino, parecia que passaria em branco. Não passou. Aos 48 minutos do 2º tempo, fez o gol da vitória, em um sem-pulo de canhota de dentro da área, e manteve o time na liderança do campeonato. Ótimo

Jonas  vibra com seu gol, que deu a vitória ao Benfica contra o Boavista (Francisco Leong - 20.mar.2016/AFP)
Jonas vibra com seu gol, que deu a vitória ao Benfica contra o Boavista (Francisco Leong – 20.mar.2016/AFP)

Ricardo Oliveira (Santos) – XV de Piracicaba 0 x 1 Santos (Paulista). Poupado, não ficou nem no banco. Rio Claro 0 x 0 Santos (Paulista). Pouco acionado, o capitão santista tentou o gol em cobrança de falta no 2º tempo – o goleiro Lucas mandou para escanteio. Regular