Os caras de Dunga – Marcelo fora da seleção: quem é o mentiroso?

Por Luís Curro

Tenho defendido neste espaço, há algum tempo, a convocação de Thiago Silva, campeão com o PSG no domingo (13) e que é, com sobras, o melhor zagueiro que o Brasil tem atualmente. Há quem discorde, em especial pelo histórico que inclui falta de equilíbrio emocional na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, e uma falha contra o Paraguai na Copa América de 2015, no Chile.

O fato é que Dunga, o treinador da seleção brasileira, também discorda (se concordasse, o teria convocado para os jogos contra Uruguai, dia 25, e Paraguai, dia 29, pelas eliminatórias da Copa de 2018), e é isso o que na realidade importa.

Agora, o que dizer da ausência do lateral esquerdo Marcelo, também considerado por muita gente (inclusive eu) o melhor brasileiro da posição?

A não convocação dele gerou, e ainda gera, polêmica.

Depois de o nome de Marcelo não aparecer na lista, Dunga justificou que decidiu poupá-lo, por ter tido muitas contusões ultimamente.

“O médico da seleção conversou com o médico do Real Madrid. Marcelo está machucado. Vem de uma série de lesões constantes. Achamos melhor ele ficar no seu clube, se recuperar, para no futuro voltar”, declarou Dunga, em entrevista após a divulgação da lista.

Nos dias seguintes a essa explicação, três personagens se pronunciaram a respeito, dois ligados ao Real Madrid e um à seleção brasileira.

Marcelo em ação contra a Roma, pela Liga dos Campeões da Europa, na semana passada (Paul White - 8.mar.2016/Associated Press)
Marcelo em ação contra a Roma, pela Liga dos Campeões da Europa, na semana passada (Paul White – 8.mar.2016/Associated Press)

Personagem 1: Marcelo. Na versão do jogador, na véspera da convocação, houve uma conversa com Rodrigo Lasmar, médico da seleção, na qual ele relatou que estava praticamente recuperado de uma contusão no ombro e que voltaria a treinar com o Real Madrid no dia seguinte, o que ocorreu. Havia passado a mensagem de que não estava mais machucado e que estava apto a ser convocado. Não foi, e declarou-se chateado, pois diz querer estar sempre com a seleção.

Personagem 2: Rodrigo Lasmar. O médico da seleção confirmou que falou com Marcelo antes da convocação, que o jogador expôs a situação e que apenas repassou as informações para Dunga, a quem caberia a decisão de incluir ou não o lateral na lista. Lasmar frisou que o lateral vinha de um tempo parado, que não tinha dia certo para voltar a jogar uma partida, e que isso deveria ser considerado. Passou a mensagem de que a recente inatividade pode ter influenciado na não convocação. Não esclareceu se fez ou não contato com o departamento médico do Real Madrid.

Personagem 3: Zinédine Zidane. O treinador do Real Madrid, carrasco do Brasil em duas Copas (1998 e 2006), afirmou categoricamente que Dunga mentiu ao dizer que houve contato com o corpo médico do Real Madrid a fim de obter um parecer sobre o quadro clínico de Marcelo. “Ninguém falou com as pessoas daqui (do Real) sobre o tema Marcelo. Isso é mentira.”

Vamos, então, ao fato mais relevante: Marcelo esteve em campo em todas as três partidas do Real Madrid após a convocação. Na mais importante, a volta das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, contra a Roma, no dia 8, jogou o tempo todo. Estava, sim, recuperado.

Eis outro fato: Dunga até agora está calado sobre a forte declaração de Zidane, dada no sábado (12). O francês o chamou de mentiroso, e é preciso dar uma resposta, caso haja uma. Parece que não há. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) afirmou que nem ela nem o treinador se pronunciarão a respeito. O único a comentar foi o coordenador de seleções da entidade, o ex-goleiro Gilmar Rinaldi, que disse ao site da ESPN Brasil: “Deixa o Zidane pra lá”.

Gosto de Marcelo e gostaria de vê-lo na seleção, que, com Filipe Luís e Alex Sandro, não deixa de estar bem servida.

Mas friso que não é esse o ponto.

O ponto é: Dunga mentiu ou não ao afirmar que “o médico da seleção conversou com o médico do Real Madrid”?

Se não mentiu… Deveria imediatamente ter esclarecido a razão de ter falado o que falou. Há outros personagens envolvidos na história, e o mentiroso pode ser outro.

Se mentiu… Isso era necessário? O técnico é (ou em tese é) soberano em suas decisões, chama quem quiser, quando quiser. Pode ser direto e dizer: “Marcelo está fora porque neste momento considero Filipe Luís e Alex Sandro em melhores condições físicas”. Ou outro motivo plausível. Mas não passar informação inverídica!

A segunda hipótese estando correta, a seleção precisa ter alguém com inclinação a pinóquio no comando? É caso para reflexão.

X

A seguir, o desempenho de cada jogador da última lista de Dunga (4 dos 23 atuam no Brasil) nos últimos sete dias:

Goleiros

Alisson (Internacional) – Inter 1 x 1 São Paulo (Gaúcho). Não teve responsabilidade no gol de cabeça de Cidinho, resultante de falha coletiva da defesa colorada. No resto do jogo, foi pouco exigido. Regular

Marcelo Grohe (Grêmio) – Cruzeiro 1 x 3 Grêmio (Gaúcho). Poupado, não atuou nesse jogo. O titular foi Bruno Grassi. Sem avaliação

Diego Alves (Valencia-ESP) – Athletic Bilbao 1 x 0 Valencia (Liga Europa). Não foi relacionado para essa partida. Levante 1 x 0 Valencia (Espanhol). O Valencia, que faz um campeonato ruim, só não levou uma goleada devido a Diego Alves, que fez três defesas no 1º tempo (uma fácil, uma difícil, uma dificílima). Sem culpa no gol. Bom

Defesa

Daniel Alves (Barcelona-ESP) – Barcelona 6 x 0 Getafe (Espanhol). Ficou na reserva – jogou Aleix Vidal. Sem avaliação

Miranda (Inter de Milão-ITA) – Inter 2 x 1 Bologna (Italiano). Aos 30 minutos do 2º tempo, escorou de cabeça para o meio da área após cobrança de escanteio, e D’Ambrosio anotou o segundo gol da equipe de Milão. Sem culpa no gol do Bologna. Bom

David Luiz e Thiago Silva (2) se abraçam ao término da partida em que o PSG se sagrou campeão da Ligue 1 (Thibault Camus - 13.mar.2016/Associated Press
Os zagueiros David Luiz e Thiago Silva (de costas) se abraçam no final da partida em que o PSG goleou e se sagrou campeão da Ligue 1 (Thibault Camus – 13.mar.2016/Associated Press

David Luiz (PSG-FRA) – Chelsea 1 x 2 PSG (Champions League). Em dupla com Thiago Silva (que falhou no gol do Chelsea), esteve sério e seguro na partida. Troyes 0 x 9 PSG (Francês). Na goleada histórica que rendeu o título do campeonato ao PSG, ele e Thiago Silva estiveram praticamente perfeitos na marcação. Em um jogo fácil assim, faltou fazer um golzinho. Bom 

Filipe Luís (Atlético de Madri-ESP) – Atlético 3 x 0 Deportivo La Coruña (Espanhol). Pouco exigido na defesa, aproveitou para apoiar com mais frequência. Fez o cruzamento para Saúl marcar, de cabeça, o primeiro gol da partida. Bom

Danilo (Real Madrid-ESP) – Real Madrid 2 x 0 Roma (Champions League). A Roma praticamente só atacou pela direita, o que facilitou a vida de Danilo. Mas, mesmo sem trabalho atrás, pouco apoiou. Las Palmas 1 x 2 Real Madrid (Espanhol). Poupado, não ficou nem no banco. Daniel Carvajal foi o titular na lateral direita. Regular

Marquinhos (PSG-FRA) – Chelsea 1 x 2 PSG (Champions League). Zagueiro, mostrou versatilidade ao jogar como lateral direito; bem na defesa (mandou para escanteio um rebote do goleiro Trapp no fim do 1º tempo, evitando a virada do Chelsea), regular no apoio. Troyes 0 x 9 PSG (Francês). Substituiu o lateral direito Van der Wiel no intervalo. Atuação sem brilho e sem falhas. Bom 

Gil (Shandong Luneng-CHN) – Shandong Luneng 3 x 2 Liaoning Whowin (Chinês). No primeiro gol do Liaoning, olhou a bola em cobrança de escanteio e deixou espaço nas suas costas – Chamanga marcou. No 2º gol, não evitou chute de Traore. Ruim

Alex Sandro (Juventus-ITA) – Juventus 1 x 0 Sassuolo (Italiano). Atuando como ala pela esquerda, esteve muito presente no apoio e quase fez um gol de cabeça depois de cobrança de falta do argentino Dybala. Bom

Meio-campo

Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE) – Wolfsburg 1 x 0 Gent (Champions League). O volante jogou o futebol mediano de sempre e quase fez um gol no 2º tempo ao pegar a sobra em escanteio – o goleiro salvou. Hoffenheim 1 x 0 Wolfsburg (Alemão). Jogou o futebol mediano de sempre, mas desta vez não teve chance de marcar um gol. Regular

O volante Luiz Gustavo domina a bola no jogo diante do Gent, da Bélgica, na Champions League (Michael Sohn - 8.mar.2016/Associated Press)
Luiz Gustavo domina a bola no jogo diante do Gent, da Bélgica, na Champions League (Michael Sohn – 8.mar.2016/Associated Press)

Fernandinho (Manchester City-ING) – Norwich 0 x 0 Manchester City (Inglês). Escalado como segundo volante (o primeiro foi Fernando), teve liberdade para avançar e procurou fazer algumas jogadas pelas pontas, mas sem grande efetividade. Regular

Oscar (Chelsea-ING) – Chelsea 1 x 2 PSG (Champions League). Substituiu Hazard aos 32 minutos do 2º tempo. Em 15 minutos em campo, nada fez. O Chelsea foi eliminado da competição. Everton 2 x 0 Chelsea (Copa da Inglaterra). Entrou no lugar de Willian aos 28 minutos do 2º tempo. Não viu a cor da bola e foi eliminado, junto com o Chelsea, da competição. Ruim

Willian (Chelsea-ING) – Chelsea 1 x 2 PSG (Champions League). Deu o passe para Diego Costa levar vantagem no duelo com Thiago Silva e empatar para os Blues. No começo do 2º tempo, quase virou o jogo em chute forte da entrada da área – o goleiro do PSG espalmou. Everton 2 x 0 Chelsea (Copa da Inglaterra). Mais aberto pela direita, não buscou a linha de fundo como em ocasiões anteriores. No final do 1º tempo, teve chance em uma falta, defendida pelo goleiro Robles. Sem evoluir no 2º tempo, foi substituído aos 28 minutos por Oscar. Bom

Lucas Lima (Santos) – Santos 1 x 0 Água Santa (Paulista). Suspenso, não jogou. Sem avaliação

Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN) – Não atuou na semana que passou. A estreia da equipe no Campeonato Chinês estava agendada para sexta (11), mas o jogo com o Hebei Fortune não aconteceu. Sem avaliação

Philippe Coutinho (Liverpool-ING) – Liverpool 2 x 0 Mancheter United (Liga Europa). Perdeu um gol feito no 1º tempo ao, na pequena área, chutar fraco, permitindo ao goleiro De Gea salvar. No 2º tempo, arriscou de fora da área, como gosta de fazer, e De Gea fez grande defesa. Recebeu um cartão amarelo. Regular

Ataque

Neymar (Barcelona-ESP) – Barcelona 6 x 0 Getafe (Espanhol). Com Suárez poupado, teve protagonismo ainda maior. Sempre rápido e incisivo (também muito caçado pelos rivais), sofreu um pênalti, desperdiçado por Messi, e marcou dois gols, ambos depois de passes de Messi. Ótimo

Neymar celebra gol contra o Getafe no Camp Nou (Manu Fernandez - 12.mar.2016/Associated Press)
Neymar celebra gol contra o Getafe no Camp Nou (Manu Fernandez – 12.mar.2016/Associated Press)

Hulk (Zenit-RUS) – Zenit 1 x 2 Benfica (Champions League). Mostrou muita luta e disposição, mas, bem marcado, teve poucas chances de concluir a gol. Em uma delas, fez de cabeça, uma raridade em sua carreira. O Benfica, porém, virou o jogo e eliminou o Zenit. Foi advertido com cartão amarelo no penúltimo minuto da partida. Zenit 4 x 2 Rubin Kazan (Russo). Deu ótima assistência para Dzyuba fazer o segundo gol e marcou o terceiro, em bela jogada individual. Ótimo

Douglas Costa (Bayern de Munique-ALE) – Bayern 5 x 0 Werder Bremen (Alemão). Ficou na reserva. Sem avaliação

Roberto Firmino (Liverpool-ING) – Liverpool 2 x 0 Mancheter United (Liga Europa). Depois de um 1º tempo regular, fez o segundo gol do Liverpool, na 2ª etapa – Carrick falhou na jogada, e Lallana deu passe preciso para Firmino, na entrada da pequena área, chutar de canhota e superar De Gea. O belga Origi entrou em seu lugar aos 39 minutos. Bom

Ricardo Oliveira (Santos) – Santos 1 x 0 Água Santa (Paulista). O capitão santista teve apenas uma chance clara de gol, aos 37 minutos do 2º tempo. Seu chute foi defendido pelo goleiro Richard. Regular