Presidente do Barcelona propõe convites na Champions League, como no tênis

Por Luís Curro

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, defende a introdução de um sistema de convites para assegurar que os maiores clubes (leia-se os mais abastados, com as maiores torcidas e os jogadores de mais renome) estejam sempre presentes na Liga dos Campeões da Europa, o principal interclubes do velho continente.

“Para o interesse do futebol, por que não oferecer convites, como no tênis?”, indagou ele à BBC. “Algumas vezes os principais tenistas são convidados (para torneios). Isso pode ocorrer no futebol.”

Falando para um meio de comunicação britânico, soa um tanto como politicagem de Bartomeu, já que o seu Barcelona não tem corrido riscos de não se classificar para a Champions League, mas alguns grandes da Inglaterra, sim.

Nesta temporada, Manchester United, Chelsea e Liverpool estão fora da zona de classificação, ocupada neste momento por Leicester, Tottenham, Arsenal e Manchester City – este último, se o Inglês acabasse hoje, disputaria a “Pré-Champions”.

Na Itália, a dupla de Milão, Inter e Milan, atualmente em fase medíocre na Série A, corre risco considerável de não obter vaga – estão classificados, por ora, Juventus, Napoli e Roma.

“Às vezes os clubes têm uma temporada ruim e é uma grande punição ficar fora da Champions League. Precisamos de uma Liga dos Campeões forte, competitiva, que atraia mais e mais a atenção dos fãs”, declarou Bartomeu.

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, que quer lugar cativo para os grandes clubes na Champions League  (Lluis Gene - 7.jan.2015/AFP)
O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, que quer lugar cativo para os grandes clubes da Europa na Champions League (Lluis Gene – 7.jan.2015/AFP)

É até tentador introduzir uma espécie de salvo-conduto para que os clubes mais badalados (não só na Europa, mas em outras praças) estejam sempre se cruzando em busca do mais importante troféu.

Mas eu sou, por ideologia, contra convites no futebol. Defendo que o mérito esportivo seja o que determine a classificação das equipes de cada país, em seus respectivos torneios nacionais, para as competições continentais.

Acabou lá em cima na tabela? Joga a Champions, joga a Liga Europa. Não conseguiu? Tem de reformular o time, rever os conceitos, analisar o que deu errado… Enfim, jogar mais bola para fazer jus ao doce.

Ah, mas no tênis tem convite… Sim, convites são tradição no ambiente das raquetes e da bolinha amarela, com diversos interesses em jogo, logicamente. Mas o tênis é outro esporte, outro mundo, outra história. É uma comparação esdrúxula a feita por Bartomeu.

Porém, como muitas vezes o que a cartolagem fala é levado em conta, não duvido de que a Uefa (entidade que controla o futebol na Europa) delibere a respeito dessa possibilidade.

É lógico que a Champions perde sem a tradição de um Manchester United e/ou de um Liverpool, mas nem sempre dá para ter todos os supertimes na disputa, todo ano. E a competição ganha com novos nomes, pois novidades geralmente são interessantes, bem-vindas.

Anseio por ver o Leicester na Champions 2016/2017. Na Alemanha, se o Hertha Berlin (atual terceiro colocado na Bundesliga) ou o Mainz (quinto) se classificarem, será lindo.

Assim, que desta vez não mudem as regras, ao menos não para a introdução de convites a quem não demonstrou competência e merecimento.