Zagueiro francês de 21 anos despreza Barcelona e depois se arrepende

Por Luís Curro

“O Barcelona é um dos clubes mais importantes do mundo, mas eu recusaria uma oferta. Não fez contato comigo, nem agora nem antes, mas não me interessa.”

É quase impossível imaginar um futebolista não querer jogar no Barça, um dos maiores clubes do planeta. Só que por essas declarações, publicadas nesta segunda (8) pelo diário espanhol “Sport”, de Barcelona, há pelo menos um que não faz muita questão… ou não fazia.

De acordo com o “Sport”, o zagueiro francês Aymeric Laporte, do Athletic Bilbao, disse essas duas sentenças à TV francesa Téléfoot.

No terreno das notícias, a internet é multiplicadora. Rapidamente, essa se espalhou, com sites brasileiros e estrangeiros publicando a possível esnobada do atleta de 21 anos, que já defendeu as seleções de base de seu país 25 vezes porém nunca foi convocado para a principal.

Laporte percebeu o dano à imagem (deve ter pensado “quem é doido de desprezar o Barcelona?”) e a outro jornal espanhol, o “AS”, de Madri, tratou de colocar panos quentes no assunto.

“Em nenhum momento dei declarações que estão sendo publicadas por vários meios de comunicação. O que falei foi que, para tomar uma decisão sobre o Barcelona, é preciso existir uma proposta. E o que é mais importante é que qualquer oferta deve ser feita primeiro ao clube.”

O contrato de Laporte com o Athletic Bilbao foi renovado na metade de 2015 e vale por quatro anos. A multa por rescisão contratual é de € 50 milhões (R$ 218 milhões).

Laporte tenta parar Neymar em jogo do Athletic Bilbao contra o Barcelona pela Copa do Rei (Andreu Dalmau - 27.jan.2016/EFE)
Laporte tenta parar Neymar em partida do Athletic Bilbao contra o Barcelona pela Copa do Rei da Espanha (Andreu Dalmau – 27.jan.2016/EFE)

Eu tentei assistir à entrevista de Laporte à Téléfoot, ou ao menos ouvi-la, para verificar quais foram as palavras dele, se não houve alguma distorção ou má interpretação, porém não tive êxito.

No site da emissora, com a data de domingo (7), há tópicos de uma entrevista concedida pelo zagueiro de 1,89 m, canhoto, ótimo nas jogadas pelo alto e dono de técnica acima da média para a posição – gosta inclusive de fazer lançamentos longos, com bom índice de acerto.

A respeito do Barcelona, apenas uma declaração dele é exposta, em um contexto no qual a Téléfoot expõe um possível interesse do clube catalão em contratá-lo: “Tenho um caminho a percorrer. E ele passa por anos em Bilbao”.

Para bom entendedor, meia palavra basta. Ao dizer isso, Laporte não apenas descartava uma transferência para o Barcelona nos próximos anos, mas para qualquer outra equipe.

A conclusão: Laporte tinha uma posição assumida, a de permanecer no Athletic, clube que defende desde 2010, quando era um adolescente de 15 anos, e deveria honrá-la. Pega mal afirmar que pretende passar anos em Bilbao, o que significa implicitamente a decisão de não trocar de time, e no mesmo dia dizer que, havendo uma proposta, poderá “tomar uma decisão sobre o Barcelona”.

E o caminho a percorrer em Bilbao, como fica?

Mais incongruência, impossível.

Em tempo: Apesar de ainda não ter sido convocado pelo treinador Didier Deschamps para a seleção adulta da França, Laporte é um potencial selecionável e não deve demorar para ter uma oportunidade. As opções atuais na quarta zaga são apenas razoáveis: Koscielny, de 30 anos, do Arsenal, e Mangala, de 24 anos, do Manchester City.