Os caras de Dunga – Com hat-trick, Oscar tem atuação digna de Oscar

Por Luís Curro

Oscar, cujas performances tenho classificado como ruins e péssimas com frequência desde o início da temporada 2015-2016, anotou um hat-trick (três gols em uma mesma partida) no domingo (31), em partida da Copa da Inglaterra. Merece, por isso, um justíssimo “ótimo”.

Oscar recebe abraço de Hazard depois de fazer seu 3º gol contra o Milton Keynes Dons (John Sibley - 31.jan.2016/Reuters)
Oscar recebe abraço de Hazard depois de fazer seu 3º gol contra o Milton Keynes Dons (John Sibley – 31.jan.2016/Reuters)

Tomara que essa atuação, digna de Oscar (o prêmio), não seja um ponto fora da curva, mas uma ressurreição do bom futebol de Oscar (o jogador), que inclui gols e estava moribundo havia algum tempo. Tanto que vinha perdendo espaço na equipe de Dunga para Lucas Lima e Renato Augusto.

Não foi o primeiro hat-trick da carreira de Oscar. Ele já tinha obtido o feito pela seleção brasileira sub-20, na final da Copa do Mundo da categoria, em agosto de 2011, em Bogotá (Colômbia).

O Brasil derrotou Portugal por 3 a 2, na prorrogação, com três gols do então promissor meio-campista, que tinha como companheiros, entre outros, o lateral Danilo (Real Madrid) e o meia Philippe Coutinho (Liverpool). Foi o último título mundial conquistado pelos juniores do Brasil.

Essa atuação influenciou para Oscar se tornar presença constante na seleção brasileira adulta e foi um dos motivos que levaram o Chelsea a contratá-lo do Internacional, na metade de 2012.

Pelo clube inglês, em três ocasiões anotou dois gols em uma partida. Ou seja, o hat-trick pelos Blues foi inédito.

Ok, o adversário era o Milton Keynes Dons… Conhece? É o antepenúltimo colocado na segunda divisão da Inglaterra.

O que não tira o mérito de Oscar. Diego Costa, Fàbregas, Hazard… todos estiveram em campo e não fizeram três gols – nem mesmo dois (Hazard marcou um, de pênalti).

Oscar cita Ludmila, sua mulher, a filha, Júlia, e o filho que está por vir, Caio, na celebração de seu hat-trick  (Reprodução/Twitter de Oscar)
Oscar cita Ludmila, sua mulher, a filha, Júlia, e o filho que está por vir, Caio, na celebração de seu hat-trick (Reprodução/Twitter de Oscar)

O que é animador é que Oscar mostrou faro artilheiro que havia muito não se via nele, mesmo tendo jogado na maioria das partidas desta temporada bem avançado, geralmente próximo ao gol rival, como meia-atacante ou segundo atacante.

Nos dois primeiros gols, recebeu passes na área e finalizou com precisão, de perna direita, mesmo se desequilibrando nos lances. O terceiro gol foi uma pintura. Oscar recebeu a bola no lado esquerdo do ataque, avançou para o meio, em velocidade, passando por rivais, e finalizou com perfeição, de fora da área, sem defesa para o goleiro. Lembrou Kaká nos bons tempos.

Todos os gols foram no primeiro tempo, e o técnico Guus Hiddink decidiu substituir o camisa 8 antes da metade da segunda etapa. Impossível saber se, caso tivesse permanecido em campo, ele ampliaria a artilharia, fazendo quatro gols em um jogo pela primeira vez.

Da atual seleção de Dunga, apenas Neymar registou um hat-trick em 2015-2016 – diante do Rayo Vallecano, em outubro, pelo Espanhol, balançou as redes não três, mas quatro vezes.

A seguir, o desempenho de cada jogador da última lista de Dunga (7 dos 23 atuam no Brasil) nos últimos sete dias:

Goleiros

Alisson (Internacional) – Inter 0 x 0 Coritiba (Primeira Liga). Bom sob as traves, bom nas saídas pelo alto, bom quando precisou atuar como líbero. Inter x Ypiranga (Gaúcho). O jogo foi adiado devido a temporal em Porto Alegre. Bom

Cássio (Corinthians) – Corinthians 1 x 0 XV de Piracicaba (Paulista). Fez grande defesa em cabeçada de Rodrigo Silva que impediu a abertura do placar, no 1º tempo. Bom

Jefferson (Botafogo) – Bangu 0 x 2 Botafogo (Estadual do Rio). Foi um mero espectador no jogo, pois o Bangu não ameaçou a meta botafoguense. Regular

Defesa

Daniel Alves (Barcelona-ESP) – Barcelona 3 x 1 Athletic Bilbao (Copa do Rei). Participou do segundo gol: em jogada pela ponta direita, ganhou no corpo de rival e cruzou na cabeça de Piqué. Barcelona 2 x 1 Atlético de Madri (Espanhol). Foi ao ataque e tentou dois chutes a gol – um foi bloqueado e o outro, para fora. Deu lançamento primoroso para Suárez fazer o gol da vitória do Barça. Aos 37 minutos do 2º tempo, foi substituído por Sergi Roberto. Ótimo

Miranda (Inter de Milão-ITA) – Juventus 3 x 0 Inter (Copa da Itália). No segundo gol da Juventus, foi facilmente driblado por Evra, que cruzou da linha de fundo – Felipe Melo rebateu mal e a bola sobrou para Morata marcar. Milan 3 x 0 Inter (Italiano). Na segunda derrota seguida da Inter pelo mesmo placar, Miranda falhou na marcação de Bacca no segundo gol do Milan – ficou para trás em cruzamento, e o colombiano concluiu para as redes. Ruim

David Luiz (PSG-FRA) – PSG 2 x 0 Toulouse (Copa da Liga Francesa). Thiago Silva e Marquinhos ainda não se recuperaram de lesão, então David Luiz teve, como na semana anterior, a companhia do francês Kimpembe na zaga. Sem levar gol na partida, o PSG avançou à decisão da competição. Saint Étienne 0 x 2 PSG (Francês). Com dores no joelho direito, não foi relacionado para a partida. Bom 

Filipe Luís (Atlético de Madri-ESP) – Atlético 2 x 3 Celta (Copa do Rei). Nos primeiros 20 minutos, buscou apoiar o ataque, mas depois que o Celta fez o primeiro gol, aos 21 minutos, retraiu-se e seu rendimento caiu muito. A derrota eliminou o Atlético da competição. Barcelona 2 x 1 Atlético (Espanhol). Fazia partida medíocre até que, aos 45 minutos do 1º tempo, deu um pontapé em Messi e foi expulso. Péssimo 

Filipe Luís recebe o cartão vermelho após falta violenta em Messi (Albert Gea - 30.jan.2016/Reuters)
Filipe Luís recebe o cartão vermelho após falta violenta em Messi (Albert Gea – 30.jan.2016/Reuters)

Danilo (Real Madrid-ESP) – Real Madrid 6 x 0 Espanyol (Espanhol). Ficou na reserva de Carvajal. Sem avaliação

Gabriel Paulista (Arsenal-ING) – Arsenal 2 x 1 Bunrley (Copa da Inglaterra). Atuou no lugar de Mertesacker e não se destacou nem comprometeu. Regular

Gil (Shandong Luneng-CHN) – Deixou o Corinthians para atuar no futebol chinês, que está na intertemporada. Sem avaliação

Douglas Santos (Atlético-MG) – Atlético-MG 0 x 1 Flamengo (Primeira Liga). Regular na defesa, pouco eficaz no apoio. Uberlândia 0 x 1 Atlético-MG (Mineiro). Sem problemas na marcação, porém inconstante no apoio. Regular

Meio-campo

Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE) – Wolfsburg 1 x 1 Colônia (Alemão). Voltou a atuar depois de mais de dois meses parado por lesão e ficou em campo durante toda a partida. Arriscou a gol no 1º tempo (o goleiro saltou) e no 2º tempo também (a bola bateu na trave). Duro na marcação, recebeu um cartão amarelo. Bom

Elias (Corinthians) – Corinthians 1 x 0 XV de Piracicaba (Paulista). Arrojado, teve participação decisiva no gol corintiano, ao dividir com o goleiro nos acréscimos do 2º tempo. A bola sobrou para Romero, que a mandou para a rede. Bom

Fernandinho (Manchester City-ING) – Manchester City 3 x 1 Everton (Copa da Liga Inglesa). Em seu retorno ao time depois de algumas semanas fora por lesão, foi decisivo. Igualou a partida em um chute de fora da área aos 24 minutos do 1º tempo, iniciando a reação do City, que conseguiu o placar que precisava para avançar à decisão do torneio – o adversário será o Liverpool. Aston Villa 0 x 4 Manchester City (Copa da Inglaterra). Com Fernando como primeiro volante, Fernandinho teve liberdade para avançar mais. Distribuiu bem o jogo, fez jogadas pela direita do ataque e teve chance de marcar tanto no 1º quanto no 2º tempo – Guzan espalmou os chutes. Saiu do jogo aos 33 minutos do 2º tempo – entrou Celina. Ótimo

Fernandinho chuta para empatar o jogo do Manchester City contra o Everton (Andrew Yates - 27.jan.2016/Reuters)
Fernandinho chuta para empatar o jogo do Manchester City contra o Everton (Andrew Yates – 27.jan.2016/Reuters)

Oscar (Chelsea-ING) –Milton Keynes Dons 1 x 5 Chelsea (Copa da Inglaterra). Três gols para Oscar, os três primeiros do Chelsea, todos no 1º tempo. O terceiro foi muito bonito. Aos 19 minutos do 2º tempo, foi substituído por Willian. Ótimo

Willian (Chelsea-ING) – Milton Keynes Dons 1 x 5 Chelsea (Copa da Inglaterra). Entrou aos 19 minutos do 2º tempo, no lugar de Oscar. Atuou mais centralizado e não rendeu muito. Levou uma pancada forte no pé perto do fim do jogo, mas permaneceu em campo até o apito final. Regular

Lucas Lima (Santos) – Santos 1 x 1 São Bernardo (Paulista). Muito participativo, fez ótimo cruzamento para Gabriel empatar a partida na Vila Belmiro. Bom

Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN) – Deixou o Corinthians para atuar no futebol chinês, que está na intertemporada. Sem avaliação

Kaká (Orlando City-EUA) – A Major League Soccer terminou no dia 6 de dezembro com o título do Portland Timbers. A próxima edição da MLS começa no próximo mês. Sem avaliação

Ataque

Neymar (Barcelona-ESP) – Barcelona 3 x 1 Athletic Bilbao (Copa do Rei). Voltou a jogar muito bem, como tem sido praxe, e marcou um golaço, um chute de canhota no ângulo, nos acréscimos do 2º tempo. Barcelona 2 x 1 Atlético de Madri (Espanhol). Deu trabalho para Juanfran, que levou cartão amarelo após cometer falta dura no camisa 11. No gol de empate do Barça, acionou Jordi Alba, que cruzou para Messi superar o goleiro Oblak. Os problemas extracampo não parecem afetá-lo. Bom

Neymar vibra ao fazer o 2º gol do Barcelona contra o Athletic Bilbao (Ander Gillenea - 20.jan.2016/AFP)
Neymar vibra ao fazer o 3º gol do Barcelona contra o Athletic Bilbao (Ander Gillenea – 20.jan.2016/AFP)

Hulk (Zenit-RUS) – Zenit 2 x 0 Brøndby (Atlantic Cup). Começou na reserva e entrou no lugar de Dzyuba ao 26 minutos do 2º tempo no torneio disputado em Algarve (Portugal). Em uma tentativa de muito longe, do próprio campo do Zenit, por pouco não encobriu o goleiro e marcou um gol memorável na equipe da Dinamarca. Regular

Douglas Costa (Bayern de Munique-ALE) – Bayern 2 x 0 Hoffenheim (Alemão). Atuou na meia esquerda, pois Coman e Robben ocuparam os flancos na escalação de Guardiola. Deu o cruzamento, rasteiro, para Lewandowski abrir o placar. Levou cartão amarelo depois de cometer falta dura. Aos 43 minutos do 2º tempo, saiu para a entrada de Juan Bernat. Bom

Ricardo Oliveira (Santos) – Santos 1 x 1 São Bernardo (Paulista). Pouco apareceu no jogo. Ruim

Em tempo: Daniel Alves, a quem já critiquei devido a falhas na defesa, nesta semana merece elogios por suas ótimas atuações. Se atuar sempre assim, não há por que não ser titular da seleção.