Ronaldinho joga para ajudar um outro Barcelona a não ser rebaixado

Por Luís Curro

Ronaldinho, que pelo espanhol Barcelona foi eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa duas vezes (2004 e 2005), vestirá nesta sexta (29) a camisa de um outro Barcelona, o de Guayaquil.

Por um cachê não revelado, o gaúcho de 35 anos, campeão do mundo com a seleção brasileira em 2002, será a principal atração da chamada “Noite Amarela”, o jogo festivo que o clube equatoriano organiza desde 1995, contra um adversário local ou estrangeiro, para apresentar à torcida o plantel para a temporada. Desta vez o rival será a Universidad de San Martín, do Peru.

Ronaldinho em cena de divulgação na "Noite Amarela" (Reprodução/Site do Barcelona de Guayaquil)
Ronaldinho em cena de divulgação na “Noite Amarela” (Reprodução/Site do Barcelona de Guayaquil)

Neste ano, o amistoso terá uma importância extra: arrecadar fundos que auxiliem o maior campeão nacional do país (são 14 títulos), que convive com sérios problemas financeiros, a pagar uma dívida que, se não for quitada, pode resultar no rebaixamento do time para a segunda divisão, algo que seria inédito.

O Barcelona deve, segundo o jornal “El Universo”, de Guayaquil,  US$ 662 mil (R$ 2,7 milhões) ao treinador espanhol Benito Floro, que comandou o time de janeiro a maio de 2009. No distrato com Floro, depois de apenas 17 partidas, o clube combinou um valor a ser pago, só que os dias passaram, os meses passaram, os anos passaram… e nada de cumprir o acordado.

Depois de muito esperar, Floro recorreu à Corte de Arbitragem do Esporte, que lhe deu razão. A pendência fez a Fifa agir. A entidade máxima do futebol enviou ofício ao Barcelona com o seguinte aviso: se o pagamento não for efetuado até dia 4 de fevereiro, o caso será levado à comissão disciplinar, que pode decidir punir o clube com o rebaixamento.

O Barcelona tentará faturar, entre outras ações de marketing relacionadas à “Noite Amarela”, com a venda de camisas de Ronaldinho, com a arrecadação de TV (o jogo só passará em “pay per view”) e com a bilheteria – os ingressos para o jogo no estádio Monumental, que tem capacidade para 59.283 pessoas, custam de US$ 20 a US$ 40 (R$ 81 a R$ 163).

X

O presidente do Barcelona, José Cevallos, ex-goleiro do time (1990-2004) e da seleção do Equador (1994-2010), afirmou que propôs a Ronaldinho contratos “de seis meses e de um ano”.   

O meia-atacante, que há algum tempo não consegue mais atuar em alto nível, reluta em encerrar a carreira e ainda não definiu por qual clube jogará neste ano.

Em tempo 1: O torcedor do Fluminense, último time de Ronaldinho, possivelmente se lembra de Cevallos. Foi ele quem, em pleno Maracanã, defendeu três pênaltis na disputa em 2008 que deu à LDU, de Quito, o título da Libertadores diante dos tricolores.

Em tempo 2: Nas 21 edições da “Noite Amarela” (nome alusivo à cor da camisa do Barcelona), o resultado que predominou foi o empate (nove vezes). O dono da festa ganhou sete das partidas e perdeu cinco. Somente uma vez um time brasileiro participou da festa, o Grêmio. Em 1996, os gaúchos ganharam de 1 a 0.